quarta-feira, 5 de agosto de 2015

OBRAS COMPOSTAS ESPECIALMENTE PARA PROJETO SÃO DESTAQUE EM RECITAL NA CAIXA CULTURAL CURITIBA





Série Solo Musica comissionou composições para apresentação de oboé com Ricardo Rodrigues no dia 11 de agosto

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, no dia 11 de agosto (terça-feira), um recital de oboé com o carioca Ricardo Rodrigues. A apresentação, que faz parte da programação da Série Solo Música, será especial: o instrumentista executará duas obras compostas especialmente para a ocasião, uma de Harry Crowl e outra de Jorge Antunes.

Essa não será a primeira vez que o projeto traz peças inéditas, mas é a primeira em que participa ativamente da criação de uma obra, algo incomum nas programações de música clássica no país. A escolha do músico e do instrumento para que as composições fossem escritas partiram do produtor Alvaro Collaço, bem como o convite a Crowl e Antunes, dois dos mais significativos compositores do país.

Batizada de Mutação, a apresentação conta com, além das duas obras comissionadas, peças de Cláudio Santoro, Jocy de Oliveira e Augusto Valente.

“Temos aqui uma enorme contribuição para a música brasileira. As duas obras escritas para o projeto são de enorme dificuldade. A primeira versão da obra do Harry era quase impossível de tocar. Depois de diálogos e acordos chegamos a uma boa versão, muito interessante. Jorge Antunes foi sempre muito cooperativo nas duvidas, facilitando assim o estudo da peça. O resultado do trabalho com os compositores está sendo muito positivo. Assim, quem mais ganha é a musica brasileira”, anima-se Rodrigues.

Obras com características distintas
As duas peças têm características distintas. Jorge Antunes, que é conhecido por obras políticas, optou por tratar a relação entre música e natureza. Crowl, conhecido por abordar a natureza nos seus trabalhos, foi desta vez político.

Harry Crowl escreveu Solilóquio V. A peça “segue o idiomatismo das peças anteriores, do ciclo a partir de dois elementos sem qualquer conexão. O primeiro é o uso das letras CMYK, do padrão gráfico para impressão a cores, para gerar as notas musicais que permeiam toda a obra. O outro é o trágico dia 29 de abril de 2015, no Centro Cívico, em Curitiba, quando professores que protestavam contra uma votação na Assembleia Legislativa foram atacados pela Polícia Militar do estado. Explorando todos os aspectos técnicos e virtuosísticos do oboé, a peça caminha em direção a uma elegia aos acontecimentos desse dia”, explica Harry Crowl. .O compositor escreveu mais de 150 obras em sua carreira, sendo esta a segunda para oboé solo.

Em seu catálogo, Jorge Antunes tem cerca de 400 composições escritas. Até então, nunca tinha escrito para oboé solo. “Na obra resolvi colocar em cena o ritual sempre hermético e fascinante de um solista no palco. O ritual pretende penetrar nos mistérios da interseção entre natureza e cultura. Assim, o desenvolvimento da série atonal de seis sons, seguido do uso de variações da série harmônica, acaba levando à harmonia das esferas e ao quasi-tonal”, afirma o compositor.

Ricardo Rodrigues
O oboísta Ricardo Rodrigues nasceu em Nova Friburgo, Rio de Janeiro. A bolsa DAAD, concedida pelo Governo da Alemanha, permitiu estudar com Ingo Goritzki, Heinz Holliger, Georg Meerwein e na masterclass de Jochen Müller-Brincken. Atuou como primeiro oboísta da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e integrou o Quinteto Villa-lobos. Especialista em música contemporânea, Ricardo se apresentou e trabalhou com vários compositores brasileiros, notadamente Jocy de Oliveira. É professor de oboé na Escola Superior de Música Hanns Eisler de Berlim desde 1994. Possui dois discos autorais: Ricardo Rodrigues Oboe, com  obras de compositores da instituição e The Oboe in Brazilian Music, inteiramente dedicado a compositores brasileiros do século XX.

Serviço:
Música: Série Solo Música apresenta Ricardo Rodrigues (oboé)
Local: CAIXA Cultural Curitiba - Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba (PR)
Data: 11 de agosto de 2015 (terça-feira)
Hora: 20h
Ingressos: vendas a partir de 08 de agosto (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia - conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA. A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura)
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: Não recomendado para menores de 12 anos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário