sábado, 13 de junho de 2015

Vespas Mandarinas lança “O Ovo Enjaulado” com participação de Mark Arm do Mudhoney





Chega às lojas na próxima semana, o novo compacto em vinil do Vespas Mandarinas, “O Ovo Enjaulado” (Polysom), com duas faixas: “A Man Without Qualities” e “Estrada Escura”.  

O Vespas Mandarinas, que tem se destacado no cenário pop rock brasileiro com uma poética bastante peculiar, aproveitou o que eles chamam de uma espécie de 'janela', enquanto não gravam o novo álbum, para experimentar novas formações e estilos dentro do amplo universo de referências do rock. O proto-punk e a psicodelia deram o tom nas gravações.

“A Man Without Qualities”, a faixa do lado A, é uma versão em inglês para “Um Homem Sem Qualidades” música já aclamada pela crítica especializada e apontada como a 20ª melhor música de 2013, segundo a lista de “Melhores do Ano” da revista Rolling Stone. De autoria de Thadeu Meneghini e Adalberto Rabelo Filho, este também responsável pela versão em inglês, a faixa conta com a participação especialíssima de Mark Arm, vocalista da banda norte-americana Mudhoney, no vocal. Mark foi um dos responsáveis pelo embrião do movimento grunge, que teve seu ápice nos anos 90 e reconhecimento internacional através de bandas como Nirvana e Pearl Jam. Trata-se do lado de referências proto-punkdo compacto. Produzida por Chuck Hipolitho e Thadeu Meneghini no estúdio Costella, a faixa conta ainda com a participação de Lee Marcucci no contra-baixo.

“Estrada Escura”, faixa do lado B, é uma canção escrita por Taciana Barros (Gang 90/Solano Star) e Michel Kuaker (Yo Ho Delic). A faixa evoca uma espécie de elo perdido no rock paulistano/brasileiro. Algo como se Mutantes e Violeta de Outono entrassem num túnel do tempo e montassem um novo grupo em 2015, nos porões do Centro Cultural São Paulo(CCSP), transformando-se no que o poeta Roberto Piva definiria como 'um grupo com a noção perfeita da cloaca primitiva', que varresse da consciência 'nossos sonhos medíocres' e nos libertasse 'desta última hipnose chamada civilização'. Nos versos da canção, Thadeu derrama: “onde a loucura é amiga da lucidez”, trazendo à tona o desvio psicodélico/surrealista do compacto. Produzida por Thadeu Meneghini & Michel Kuaker no estúdio Wha Wha, a faixa traz a participação de Rodrigo Bourganos (Bombay Groovy) no sitar.

A capa escolhida para o compacto é um capítulo à parte. O desenho criado pelo artista Theo Castilho - punk de nascença e criador de uma das casas de punk rock mais emblemáticas de São Paulo, o já extinto Carbono 14 - representa de maneira quase exata a intersecção dos dois universos citados logo no início: o proto-punk e a psicodelia. A direção de arte é assinada por Taciana Barros.

No contexto atual, onde o rock nacional não tem censura mas também não se atreve, o compacto “O Ovo Enjaulado” se apresenta como um banho de lua, ou apenas como um remédio pra livrar-nos do tédio. O resto é história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário