sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

CANTORAS HOMENAGEIAM ELIZETH CARDOSO NA CAIXA CULTURAL CURITIBA




Alaíde Costa e Áurea Martins cantam juntas no showElizethíssima

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 06 a 08 de março, o show Elizethíssima, em que Alaíde Costa e Áurea Martins cantam juntas, pela primeira vez, em homenagem a Elizeth Cardoso, uma das maiores intérpretes brasileiras. O projeto foi idealizado por Hermínio Bello de Carvalho, compositor e poeta, que foi produtor musical das três artistas. Ele e o pianista Zé Maria Rocha (Grupo Terra Trio) assinam o roteiro do show, que prioriza canções que Elizeth gostava de cantar, mas que não foram gravadas, ou que ficaram marcadas por sua voz, incluindo músicas do LP Canção do Amor Demais (1958), com composições de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, considerado o marco inicial da Bossa Nova.

O repertório inclui mais de 20 canções como “Serenata do Adeus”, de Vinicius de Moraes, “Chega de Saudade”, de Tom Jobim, “Acontece”, de Cartola, e “Minhas Madrugadas”, de Paulinho da Viola. As cantoras são acompanhadas pelos músicos Kiko Horta (piano e acordeom), Pedro Aune (baixo acústico), Marcos Thadeu (percussão) e Lucas Porto (violão, arranjos e direção musical). Há participações de Hermínio Bello de Carvalho e do cantor e compositor Vidal Assis, que relembra o período em que a dupla Elizeth Cardoso e Ciro Monteiro apresentava o programa Bossaudade, na antiga TVRecord.

Com mais de 40 anos de carreira, Áurea e Alaíde conheceram Elizeth quando ainda não cantavam profissionalmente. Não demorou muito para se tornarem conhecidas e consideradas, pela própria homenageada, duas das melhores intérpretes do país. O projeto comemora, neste ano de 2015, os 80 anos de Hermínio Bello de Carvalho e Alaíde Costa, os 75 anos de Áurea Martins e os 95 anos de Elizeth Cardoso, caso ainda estivesse viva.
 
Sobre Alaíde Costa:
Alaíde iniciou a carreira em 1950, apresentando-se em programas de calouros infantis nas rádios Tupi, Clube do Brasil e Nacional. Em 1957, gravou seu primeiro disco,Tarde Demais. Dois anos depois, incentivada por João Gilberto, passou a cantar e gravar bossa nova. Em 1964, ao interpretar a canção “Onde Está Você”, de Luverci Fiorini e Oscar Castro Neves, em um programa da TV Record, alcançou sucesso nacional, o que lhe rendeu contrato com a emissora. Em 1972, gravou “Me Deixa Em Paz”, de Monsueto, em dueto com Milton Nascimento, no álbum Clube da Esquina. Seguiu gravando discos e realizando inúmeras apresentações no Brasil e no exterior.
 
Sobre Áurea Martins:
Com carreira iniciada na Rádio Nacional, Áurea gravou seu primeiro disco como prêmio pelo primeiro lugar no programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti, em 1969, na extinta TV Tupi. Em 2009, ganhou o Prêmio da Música Brasileira como melhor cantora MPB, pelo CDAté Sangrar, e lançou em 2010 o segundo CD De pontacabeça, os dois produzidos por Hermínio Bello de Carvalho e lançados pelo selo Biscoito Fino. Seu primeiro DVD, Iluminante, foi lançado em julho de 2012.

Sobre Hermínio Bello de Carvalho:
Poeta, produtor e diretor de espetáculos, Hermínio tem parcerias com compositores como Cartola e Carlos Cachaça (Alvorada), Pixinguinha (Fala Baixinho, Isso é que é Viver), Paulinho da Viola (Sei lá, Mangueira, Timoneiro), Chico Buarque (Chão de Esmeraldas), entre outros.  Nas décadas de 70 e 80, esteve à frente do departamento de música da Fundação Nacional da Arte (Funarte), onde criou os projetos Pixinguinha (espetáculos nacionais a preços populares), Lúcio Rangel de Monografias (estimulando a bibliografia sobre MPB), Almirante (edição de discos alternativos), Radamés Gnattali (educação musical) e Ary Barroso (divulgação da música brasileira no exterior).
 
Em 1964, revelou o talento de Clementina de Jesus, cantora que, no ano seguinte, estrelaria o histórico musical Rosa de Ouro. Também produziu, dentre outros, trabalhos de Radamés Gnattali, Elizeth Cardoso, Isaura Garcia, Elza Soares, Marlene, Zezé Gonzaga, Jane Duboc, Dalva de Oliveira, Pixinguinha e Simone.

Sobre Elizeth Cardoso:
Aos 16 anos, a carioca foi descoberta por Jacob do Bandolim, que a levou para cantar na Rádio Guanabara, onde se se apresentou no programa Suburbano, com Vicente Celestino, Aracy de Almeida, Moreira da Silva, Noel Rosa e Marília Batista, passando depois por outras rádios do Rio de Janeiro nos anos 30 e 40.
 
O sucesso em 1950, com a gravação da música "Canção de Amor", de Chocolate e Elano de Paula, que levou Elizeth à Rádio Tupi e, em 1951, a uma participação no primeiro programa de televisão no Rio de Janeiro, a TV Tupi. No mesmo ano, gravou um dos seus maiores sucessos, "Barracão", de Luís Antônio e Oldemar Magalhães. Em 1958, com o lançamento do discoCanção do Amor Demais, Elizeth entraria para a história da MPB.
 

Serviço:
Show: Elizethíssima – show com Alaíde Costa e Áurea Martins
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: 06 a 08 de março de 2015 (sexta-feira a domingo)
Hora: sexta-feira e sábado às 20h e domingo às 19h
Ingressos: vendas a partir de 28 de fevereiro (sábado), às 12h. R$ 20 e R$ 10 (meia - conforme legislação e correntista CAIXA)
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado, das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário