terça-feira, 27 de janeiro de 2015

33ª Oficina de Música termina com show de Raul de Souza e Ed Motta





            Um show que celebra os 80 anos do trombonista Raul de Souza, com a participação especial do cantor Ed Motta, marca o encerramento da 33ª Oficina de Música de Curitiba. O show, nesta quarta-feira (28), às 21h, no Guairão, faz parte da programação da fase de música popular brasileira da Oficina, que homenageia o instrumentista, mundialmente reconhecido pela sua genialidade musical.
            Em 20 dias de programação, a 33ª Oficina movimentou a cidade, atraindo músicos de todo o Brasil e do exterior. Perto de 1.500 alunos acompanharam os cursos de música erudita e popular brasileira, muitos deles estrangeiros. A etapa de MPB, que acontece há 23 anos, deixa um saldo bastante positivo. “Os cursos, como sempre, estiveram lotados. As apresentações atraíram um grande público. Não é um festival só de músicos. A gente percebe que a comunidade também acompanhou e apreciou os shows”, diz o saxofonista Glauco Solter, um dos coordenadores da Oficina de MPB junto com o clarinetista Sérgio Albach.
            Glauco Solter faz parte da banda de Raul Souza há 11 anos e também estará tocando no show de encerramento. Ele conta que o convite para Ed Motta participar dessa celebração surgiu de dois encontros casuais com Raul de Souza – o primeiro no Festival de Jazz de Parati e o segundo, em novembro do ano passado, em Paris. Raul de Souza divide sua residência entre Toulouse (França) e São Paulo. Glauco lembra da forte ligação de Raul com Curitiba, onde viveu na década de 1950, se casou e teve três filhos. Os filhos, netos e bisnetos continuam morando em Curitiba.
           
Carreira internacional - Raul de Souza acompanhou os últimos 60 anos de história da MPB, tocando ao lado de Ari Barroso, Pixinguinha, Sivuca, Baden Powel, Sérgio Mendes, e consolidou uma carreira internacional, gravando e fazendo inúmeros shows nos Estados Unidos e na Europa. Artisticamente batizado por Ari Barroso, tocou com Pixinguinha e Agostinho dos Santos. Posteriormente, gravou seu primeiro disco de música brasileira instrumental da história ao lado de Sivuca, Altamiro Carrilho e Baden Powell. Nos anos de 1970, Raul de Souza consolida sua carreira internacional após gravar álbuns nos Estados Unidos, tocando com artistas como Sergio Mendes, Airto Moreira, Sonny Rollins, George Duke, Freddie Hubbard e Cannonball Adderley.
Seu disco Colors virou matéria de estudo na renomada Berklee College of Music. Nomeado inúmeras vezes o melhor trombonista do mundo pelas revistas especializadas, hoje é considerado uma referência mundial no virtuosismo de seu instrumento e pela ginga e fraseado brasileiro – adquirido nas gafieiras cariocas. Após afastar-se das grandes gravadoras americanas, que não acompanhavam seu ecletismo musical, volta a gravar no Brasil com Tom Jobim, Zimbo Trio, Paulo Moura, Milton Nascimento, Djavan, Maria Bethania, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, entre outros.
Dividindo o tempo entre Brasil e França, nunca parou de produzir música, experimentar diferentes instrumentos e propostas musicais. Em 2013 lançou o DVD "O Universo Musical de Raul de Souza" e o CD "Voilá". Para os shows de celebração de seus 80 anosem vários palcos do Brasil e do mundo convidou velhos amigos como João Donato, Ron Carter, Richard Bona, Andre Ciccarelli entre outros. Acaba de gravar na França um CD inédito de composições entitulado "Brazilian Samba Jazz". Atualmente mostra uma disposição fenomenal, empunhando seu trombone, sempre acompanhado de seu grupo - Glauco Sölter (baixo), Mário Conde (guitarra), Fábio Torres (piano) e Mauro Martins (bateria).

            Participação especial - O cantor Ed Motta despontou em fins dos anos 80 e hoje é um cantor, compositor, multi-instrumentista, arranjador e produtor de trânsito internacional. Em seu estilo, sem abrir da veia funk-soul, recebe influências que vão do jazz à canção brasileira, das trilhas sonoras de Hollywood ao rock, da música clássica aos standards americanos, da bossa nova ao reggae.
Sobrinho do cantor e compositor Tim Maia, ele tem como primeiras lembranças a música do tio, os discos de samba-canção e bossa nova, os sucessos de Earth, Wind & Fire, Stevie Wonder e da disco music que então vigorava na década de 70. Sua carreira começa em meados dos anos 80, com o grupo Conexão Japeri, com quem excursionou por todo o Brasil e cantou três grandes sucessos - “Manuel”, “Baixo Rio” e “Vamos dançar”. Nos anos 90 partiu para a carreira solo e desde então gravou vários discos, viveu nos Estados Unidos, excursionou pela Europa, Japão, Estados Unidos e América do Sul.

Apoios - Realizada pela Prefeitura Municipal e Fundação Cultural de Curitiba, por meio do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), a Oficina de Música 2015 tem como principal patrocinadora a própria Prefeitura, além de participação da Copel e da Caixa. São apoiadores master a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).
Em 2015, os principais parceiros da Oficina de Música de Curitiba são o Centro Cultural Teatro Guaíra, Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo, Consulado Geral da França em São Paulo, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Curitiba Hostel, Família Farinha, E-Paraná, Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), Faculdade de Artes do Paraná (FAP), Instituto Goethe de Curitiba, Secretaria de Estado da Cultura, SESC da Esquina e Paço da Liberdade, Universidade Federal do Paraná (UFPR)/Pró-Reitoria de Extensão e Cultura.


Serviço:
33ª Oficina de Música de Curitiba – 23ª Oficina de MPB
Show de encerramento – Raul de Souza 80 Anos. Participação especial de Ed Motta
Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto - Guairão
Data: 28 de janeiro de 2015, às 21h
Ingressos: R$ 30 e R$ 15



Nenhum comentário:

Postar um comentário