sábado, 28 de setembro de 2013

Shadowside grava novo videoclipe neste final de semana em Santos





A banda Shadowside, um dos principais nomes do heavy metal brasileiro, grava, neste domingo, nas ruas do Centro Histórico de Santos, o segundo videoclipe para divulgação do aclamado novo álbum "Inner Monster Out".

Banda durante show histórico em Paris – foto: Costábile Salzano Jr | The Ultimate Music – PR
Com a agenda a todo vapor, a Shadowside, umas das principais bandas de heavy metal do país, encontrou tempo para gravar, neste final de semana, videoclipe para a música Habitchual, segundo single do aclamado álbum "Inner Monster Out", considerado um dos discos mais importantes da história do metal brasileiro pela revista Roadie Crew.
O processo de produção deste novo registro, como roteiro e script, já está finalizado. As gravações serão realizadas neste domingo. O set de filmagem escolhido é o Centro Histórico de Santos e será produzindo para o TCC da primeira turma de Cinema da Unimonte – Universidade Monte Serrat. O clipe será gravado com qualidade HD e novamente inspirado na atmosfera do cotidiano de pessoas escravas dos mais diversos vícios: sexo, drogas, bebidas, jogos, entre outros.
Desde o começo, a banda participou do casting call para o recrutamento de uma protagonista e figurantes. O resultado deve ser divulgado apenas em novembro.
Detalhes da Shadowside em cena e behind the scenes serão divulgados logo após o último take.
"Inner Monster Out" foi gravado, mixado e masterizado por Fredrik Nordström, um dos principais produtores de Heavy Metal da atualidade, no Fredman Studio, em Gotemburgo, Suécia. O CD traz a participação dos vocalistas Mikael Stanne (Dark Tranquillity), Björn "Speed" Strid (Soilwork), Niklas Isfeldt (Dream Evil) e Roger Moreira, lider do grupo Ultraje a Rigor!.
A turnê promocional de divulgação deste registro fonográfico continua na estrada. Produtores interessado em contratar o espetáculo da Shadowside devem enviar e-mail para contato@furiamusic.com.br.
Links relacinados:

Degustação Musical - 2° Semestre - Benjamin Britten



sexta-feira, 27 de setembro de 2013

P.J., baixista do Jota Quest, assina trilha da peça “Em Louvor a Vergonha”, de Diego Bagagal, sobre Oscar Wilde


Enquanto se prepara para o lançamento do novo álbum do Jota Quest, previsto para outubro, o baixista P.J. compôs sua primeira trilha sonora, do espetáculo “Em Louvor a Vergonha”, dirigida por Diego Bagagal e com estreia nesse final de semana no Galpão 3, Funarte, em Belo Horizonte (MG).
“Sempre me interessei por como a música intercede em um filme, teatro, games e até mesmo em programas de TV. As reações emocionais que os atores desencadeiam nos espectadores são, com certeza, catalisadas por uma boa trilha sonora. É difícil imaginar “Blade Runner”, “Star Wars” e “Hair”, entre outras obras cênicas, sem suas respectivas trilhas sonoras. Fiquei muito feliz com o convite.” – comentou P.J..
Como “Em Louvor a Vergonha” trata da última hora de vida do controverso autor irlandês Oscar Wilde, a trilha é densa, dramática e de forte apelo emocional. “Usei o baixo (instrumento que me especializei) neste trabalho não como um instrumento solo, mas como uma peça centralizadora de todos os eventos que giram em torno do momento musical. Em alguns trechos, o mesmo faz base, tema e contrapontos. Tentei ao máximo criar uma voz diferente para este trabalho, me desapeguei de qualquer referencia que tinha em mente” - completa. Todo o processo de produção, gravação, mixagem e masterização foi feito no próprio estúdio do Jota Quest, Minério de Ferro, em Belo Horizonte.

LIA DE ITAMARACÁ NA CAIXA CULTURAL CURITIBA


LIA DE ITAMARACÁ NA CAIXA CULTURAL CURITIBA


A cantora apresenta o show com músicas do álbum “Ciranda de Ritmos”

  

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 11 a 13 de outubro, o show “Lia de Itamaracá – Ciranda de Ritmos”, no qual a artista apresenta músicas do CD homônimo. O público curitibano terá a oportunidade de ouvir clássicos como “Essa Ciranda quem me deu foi Lia” (Antônio Baracho), “Cirandando pela praia” (Carlos Zens), e “Suíte do Pescador” (Dorival Caymmi), entre outros.


Patrimônio vivo e cultural de Pernambuco, Maria Madalena Correia do Nascimento, ou Lia de Itamaracá, como é conhecida, é compositora e cantora de ciranda e, sem dúvida, a grande referência nacional do gênero.


O CD “Ciranda de Ritmos” foi lançado em 2008, com direção musical de Carlos Zens, e reúne faixas com os ritmos de ciranda, coco, maracatu, frevo e maxixe. O conceito do trabalho teve inspiração no músico saxofonista e compositor Bezerra do Sax, que tocou com Lia durante 40 anos. Ele é autor de seis das 14 canções do disco.


O show já passou por quase todo o Brasil e por três vezes na Europa. Após a temporada no Rio de Janeiro, o show também aconteceu, em julho, na CAIXA Cultural Brasília e termina na CAIXA Cultural Curitiba.


Lia de Itamaracá:

O nome da artista está ligado à Ilha de Itamaracá (PE), onde nasceu e vive até hoje. Em 2004, a cirandeira foi agraciada com a Ordem do Mérito Cultural, premiação concedida pelo Ministério da Cultura a personalidades brasileiras e estrangeiras, que são reconhecidas por suas contribuições à cultura do Brasil.


Ficha técnica:

Voz: Lia de Itamaracá

Banda: Toinho (tarol), Bibil (trompete), Bio Negão (trombone), Tom Jaime (saxofone), Tony Boy (surdo, alfaia e pandeiro), Biu Baracho (vocal), Dona Dulce (vocal), Ganga (ganzá, alfaia e padeiro)

Coordenação geral: Beto Hees e Laercio Costa

Realização: Centro Cultural Estrela de Lia e 78 Rotações

Produção: Nalva Domingos

Produção Local: Fuá Produções

Duração: 80 minutos



Serviço:

Show “Lia de Itamaracá – Ciranda de Ritmos”

Local: CAIXA Cultural Curitiba - Rua Conselheiro Laurindo, 280 - Centro, Curitiba/PR

Datas: de 11 a 13 de outubro de 2013 (sexta-feira a domingo)

Horário: sexta-feira e sábado às 20h, domingo às 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre

The Abyssinians no Clash Club dia 27 de setembro


Show do lendário grupo jamaicano marca a estreia do projeto Babylon’s Burning

Dia 27 de setembro, sexta-feira, estreia em São Paulo o projeto Babylon's Burning, direcionado, como o próprio nome sugere, ao reggae, ska e afins. A festa acontecerá uma vez por mês no Clash Club, sempre apresentando grandes nomes nacionais e internacionais dos gêneros originários da Jamaica.

Para sua estreia a Babylon's Burning traz o lendário The Abyssinians. Fundado na Jamaica em 1968 por Donald Manning, Bernard Collins e Linford Manning, o The Abyssinians é uma das mais tradicionais bandas de reggae, considerada uma das principais e mais influentes do gênero. Seu nome é originário da Etiópia, que antigamente se chamava Abissínia. Neste show especial eles farão um apanhado da carreira, tocando seus maiores sucessos, como “African Race”, “I And I”, “Abendigo”, “The Good Lord”, “Abednego” e o hino Rastafari "Satta Massagana". 

Na discotecagem da noite, ninguém melhor que o DJ Yellow P., um dos grandes especialistas em reggae e dub do Brasil.

Serviço
Show: The Abyssinians - Festa de estreia do projeto Babylon’s Burning
DJ: Yellow P
Local: Clash Club - Rua Barra Funda, 969 – Barra Funda – São Paulo/SP
Data: 27 de setembro (sexta)
Horário de abertura da casa: 20h
Ingressos:
Primeiro Lote – Pista R$40 / Camarote R$80 (estudante/meia entrada e promocional)
Segundo Lote - Pista R$60 / Camarote R$100 (estudante/meia entrada e promocional)
Loca
is
de venda:
 
Loja Johnny Be Good - Rua 24 de Maio, 116 - Galeria Presidente, loja 14 e 19 - Telefone: (11) 3223-3492
Bilheteria do Clash Club - Rua Barra Funda, 969 
Barra Funda
Capacidade: 500 pessoas
Censura: 18 anos
Informações: Tel: (11) 3661-1500 / www.clashclub.com.br
Estacionamento: R$20

Sobre o Clash Club
Localizado em um antigo galpão da Barra Funda da década de 30, o Clash Club foi inaugurado em fevereiro de 2007 e, ao longo dos anos, se firmou como uma das principais casas noturnas de São Paulo, com espaço para shows dos mais variados estilos de grandes artistas nacionais e internacionais
.

Anathema envia mensagem aos fãs sul-americanos




A lendária banda inglesa Anathema enviou mensagem aos fãs para prestigiarem os shows que farão pela América do Sul. O grupo faz única e tão aguardada apresentação no Brasil, no próximo dia 13 de outubro, no Carioca Club, em São Paulo. Ainda há ingressos à venda.
 
Banda desembarca no Brasil para tão aguardada performance
 
Mesmo atualmente estremecendo os Estados Unidos, o Anathema já está se preparando para retornar ao Brasil após bons anos de espera. Considerado um dos grupos mais respeitados no cenário do doom metal mundial, os ingleses fazem única apresentação no país, no próximo dia 13 de outubro, no Carioca Club, em São Paulo.
 
Por meio de uma rápida e descontraída mensagem, a banda convidou os fãs sul-americanos para prestigiarem as apresentações que realizarão pelo Continente. Confira o video em www.youtube.com/watch?v=Jh-Wfjcb8CI.
 
Os ingressos seguem à venda pelo site da Ticket Brasil (https://ticketbrasil.com.br/show/anathema-sp), na tradicional Galeria do Rock (lojas Lady Snake e Mutilation) e em Santo André (Metal CDs). Os preços variam de R$ 70,00 (1° lote pista estudante/promocional) à R$ 150,00 (2° lota estudantes e promocionais). Mais informações no serviço abaixo.
 
Neste momento, Vincent Cavanagh (guitarra/vocal), Daniel Cavanagh (guitarra/vocal/teclado), Jamie Cavanagh (baixo), Lee Douglas (vocal) e John Douglas (bateria) seguem divulgando o aclamado e bem-sucedido álbum "Weather Systems", lançado no ano passado, via The End Records. Porém, o Anathema recentemente lançou o filme e disco duplo ao vivo “Universal”, gravado na estreia triunfante desta turnê, no antigo teatro romano de Philippopolis com a Orquestra Filarmonica de Plovdiv. Este show impecável foi documentado pelo renomado Lasse Hoile (Dream Theater, Opeth, Steven Wilson, Porcupine Tree).
 
As datas da turnê do Anathema pela América Latina são as seguintes:
Oct 07 - Circo Volador - Cidade do México, México
Oct 10 - Teatro Capoulican - Santiago, Chile
Oct 12 - Teatro Flores - Buenos Aires, Argentina
Oct 13 - Carioca Club - São Paulo, Brasil

Krisiun, se apresenta, neste final de semana, em São Paulo


Após exaltadíssima performance no Rock in Rio, o Krisiun, um dos ícones do metal brasileiro no exterior, se apresenta, neste final de semana, em São Paulo (28/09 – Clash Club) e Osasco (29/09 – Estádio Municipal Elzo Piteri | Osaco Rock Fest [Matanza, Velhas Virgens, entre outros]).




Após Rock in Rio, Krisiun faz shows em SP e Osasco neste final de semana
Krisiun 06.07.2011 Session
Grupo é um dos nomes mais importantes do metal mundial

Ícone do heavy metal brasileiro no exterior, o Krisiun retorna aos palcos após a bem-sucedida e elogiada performance no Rock in Rio. O grupo aproveita este mais novo grande momento na carreira para seguir na estrada com a “The Great Execution tour”. Após participar do maior festival de rock do mundo, Alex Camargo (baixo/vocal), Moyses Kolesne (guitarra) e Max Kolesne (bateria) se apresentam, neste sábado (28/09), na Clash Club, em São Paulo.

Clássicos como “Kings of Killing”, “Bloodcraft”, “The Will to Potency”, “Blood of Lions”, “Combustion Inferno” e “Vicious Wrath” devem ditar o ritmo de mais uma exibição devastadora do power trio. A última apresentação na capital paulista foi no começo deste ano. Os ingressos custam de R$25,00 (pista – 1° lote - estudante/meia entrada e promocional) a R$ 80,00 (camarote – 2° lote - estudante/meia entrada e promocional) e estão à venda na Galeria do Rock (Consulado do Rock). A abertura está sob a responsabilidade do Torture Squad e do TEST.

Já no dia seguinte, a banda é uma das atrações do Osasco Rock Fest. O evento acontece no estádio Municipal Elzo Piteri e tem no cast Matanza, Velhas Virgens, entre outros. A expectativa de público é de 15 mil pessoas.

Formada em Ijuí (RS), o Krisiun já lançou nove álbuns de estúdio, contabiliza inúmeras turnês mundiais e conquistou diversos prêmios ao redor do mundo. Precursora do movimento brutal death metal, o Krisun tem provado por que é um dos grandes nomes da música pesada internacional.Assista a performance no Rock in Rio em http://www.youtube.com/watch?v=3JaNovk4Ge4.

Confira o videoclipe da música "The Will to Potency" em www.youtube.com/watch?v=97fiImWsQY0.

A Agência Sob Controle continua agendando mais shows do Krisiun pelo Brasil e América Latina. Produtores interessados devem entrar em contato o mais rápido possível no e-mail sobcontroleproducoes@yahoo.com.br.

Serviço São Paulo
Clash Club orgulhosamente apresenta Krisiun
Data: 28 de setembro de 2013
Local: Clash Club
End: Rua Barra Funda, 969 – Barra Funda
Convidados especiais: Torture Squad e TEST
Hora: 18h (abertura das portas)
Ingressos: R$25,00 (pista – 1° lote - estudante/meia entrada e promocional)
R$35,00 (pista – 2° lote - estudante/meia entrada e promocional)
Camarote:
R$ 60,00 (1° lote - estudante/meia entrada e promocional)
R$ 80,00 (2° lote - estudante/meia entrada e promocional)
Pontos de venda: Consulado do Rock (Galeria do Rock) – Rua 24 de Maio, 62 - 1º andar - Loja 234 - Fone: (11) 3221.7933
Não há chapelaria em dia de show
Estacionamento R$ 20,00
Censura: 18 anos
Imprensa: (11) 9 6419.7206 – press@theultimatemusic.com
Evento Facebook: https://www.facebook.com/events/579609208744740/
Cartaz: http://bit.ly/1fDYECS

SERVIÇO OSASCO ROCK FEST
Bandas: Krisiun, Velhas Virgens, Matanza, Troll, Infestatio, No Way, Stoneria, Suíteluxo, Euphúria, Etnias
Local: Estádio Municipal Elzo Piteri
Data: 29 de setembro
Horário: início às 10h e término às 22h
Endereço: Rua José Teruel Lopes, 275 – Jd. Yolanda – Osasco | SP
Ingresso: 1 kg de alimento não perecível (por favor! Não levar sal, farinha e fubá)
Infos: www.osascorockfest.com.br
Realização: Amplitude Produtora & Studio

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Quinteto Madeira de Vento se apresenta na Fundação Ema Klabin







Com repertório eclético, grupo mistura música de câmara com elementos da música erudita e popular brasileira. Concerto tem entrada franca
   


     


   
     

No próximo dia 28, às 16h30, o quinteto de clarinetas Madeira de Vento apresenta o concerto "Chovendo Clarinetes" na Fundação Ema Klabin, pelo Programa Tardes Musicais. No repertório, obras de Jacob do Bandolim, Heitor Villa-Lobos, Tom Jobin, Luiz Gonzaga, Dominguinhos, entre outros.

Formado em 98, o grupo já tem dois CDs gravados e é formado pelos músicos:   João Francisco Correia, Michel Moraes, Fernando de Oliveira, Mário Marques e Otinilo Pacheco.  O quinteto já se apresentou em diversos festivais internacionais como Clarinetfestna cidade de Assisi – Itália (2013), Atlanta – EUA (2006), Vancouver – Canadá (2007); e no China Internacional Clarinet&Saxofone Music Festival, em Naning- China (2010)

A programação tem apoio cultural do ProAC, programa de incentivo à cultura do Governo do Estado de São Paulo.





Chegue uma hora antes e conheça a Casa-Museu mais bonita de São Paulo

Das 15h às 16h30, a Casa-Museu estará aberta para visitação gratuita. Aberta ao público há seis anos, a Fundação Ema Klabin é uma instituição sem fins lucrativos, de utilidade pública, que tem por objetivo conservar e divulgar o acervo artístico reunido ao longo de mais de 70 anos pela empresária, mecenas e colecionadora Ema Gordon Klabin, além de promover atividades culturais e educativas.

Inspirada no Palácio de Sanssouci, em Potsdam, Alemanha, a casa-museu de 900 m², possui 1542 obras de grandes mestres da arte mundial, entre quadros do russo Marc Chagall, dos modernistas brasileiros Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Portinari e Lasar Segall; talhas do mineiro Mestre Valentim, mobiliário de época, peças arqueológicas e decorativas.



Serviço:

Concerto:  Madeira de Vento apresenta o espetáculo "Chovendo Clarinetes"

Data: 28/9

Horários:  Show 16h30

Entrada Gratuita

Lotação: 180 -  Indicação: Livre

Aos sábados, visitação gratuita ao Museu, a partir das 15h.

Fundação Ema Klabin

Rua Portugal, 43 - Jardim Europa - São Paulo | 01446-020

Fone: 11 3062-5245

http://emaklabin.org.br  

A musicalidade de países latinos na interpretação do Coro da Camerata Antiqua


A riqueza rítmica e melódica de países latinos invade a Capela Santa Maria Espaço Cultural, neste fim de semana, nas vozes do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, com o espetáculo Cantares da América Latina. As apresentações acontecem às 20h de sexta-feira (27) e às 18h30 de sábado (28). No programa estão 17 músicas do século 20, de representativos compositores do Brasil, Argentina, Cuba e Venezuela.

O concerto integra a agenda anual de apresentações patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo, e estará sob o comando da maestrina cubana Maria Antonia Jimenez, que responde pela direção artística e a regência do Coro da Camerata, na temporada 2013. Maria Antonia também fará comentários sobre as obras executadas, permitindo ao público uma melhor apreciação do espetáculo.

“O repertório mistura ritmos e cantares que evidenciam a diversidade e a força musical da América Latina”, destaca Maria Antonia. “No programa estão partituras originais e arranjos com um perfil popular e folclórico, escritos no século 20, transitando por diversos estilos”, adianta a maestrina. A escolha das obras exige versatilidade dos cantores e evidencia o preparo vocal dos integrantes do Coro da Camerata, que se apresentam “a cappella” (sem acompanhamento instrumental).

O concerto confirma a excelência do trabalho desenvolvido pelo grupo, desde a sua criação, em 1974, e que extrapolou fronteiras. A mais recente viagem internacional do Coro da Camerata Antiqua aconteceu em junho passado, quando representou o Brasil na 3ª Bienal de Coros (3ª Internationalen Chorbiennale), em Aachen, na Alemanha, figurando entre os mais importantes corais europeus e de outros continentes.


Repertório – Na extensa relação de obras do repertório desse concerto do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba está a composição La Muerte del Ángel, do argentino Astor Piazzolla, uma das peças “angelicais” com as quais o autor abalou o mundo conservador do tango. Com essa obra dedicada a seu pai, Piazzolla usou o equação “novo tango + tragédia + comédia + bordel” para definir sua inovadora direção, acrescentando sofisticação harmônica com um swing de jazz indescritível. Da Argentina também figuram Arroz com Leche e Se Equivocó la Paloma, de Carlos Guastavino, El Mareao, de Alberto Rodríguez; mais Alfonsina y el Mar, de Ariel Ramires e Felix Luna.

Do Brasil foram escolhidas Berimbau, de Baden Powell e Vinicius de Moraes, composição que é um mergulho nas tradições não ocidentais; Quadrilha, de Osvaldo Lacerda sobre poesia de Carlos Drummond de Andrade, que mostra a criatividade do músico frente ao trabalho do poeta; Cantares, de Ronaldo Miranda; e Carinhoso, de Pixinguinha e João de Barro, uma das mais importantes obras da música popular brasileira. Da Venezuela vem El Explicao, com arranjo de Pablo Hurtado.

Cuba tem sete composições selecionadas: Penas, de Beatriz Corona sobre poema de José Martí; Son Mercedes, de Leo Brouwer; Tiempo para un Tiempo, de Roberto Valera; Juramento, canção em forma de bolero de Miguel Matamoros; Canto de los Cafetales, de Alejandro Garcia Caturla, que revela as profundas raízes africanas da cultura cubana; Entre el Espanto y la Ternura, de Beatriz Corona e Silvio Rodríguez; e Guayaboso, rumba de Guido López-Gavilán, um verdadeiro quebra-cabeça de ritmos afro-cubanos, de complexidade vertiginosa, no qual as vozes assumem o papel de percussão.


A regente – Formada em Regência Coral pelo Conservatório de São Petersburgo (Rússia), a cubana Maria Antonia Jimenez foi convidada, em 1995, pela Fundação Carlos Gomes (Belém do Pará) para ministrar aulas de canto e regência coral. No mesmo ano, fundou o Coro Carlos Gomes, com o qual obteve reconhecimento da crítica especializada e do público, no Brasil e no exterior.

Com importantes premiações, entre elas os Diplomas de Ouro e Prata no 26º Concurso Internacional de Coros Franz Schubert (Áustria – 2010), as Medalhas de Ouro e Prata nas 5ª Olimpíadas Mundiais de Coros (Áustria – 2008), a Medalha de Ouro no 9º Concurso Internacional de Coros Orlando Di Lasso (Itália – 202) e a Medalha de Bronze no 12º Concurso de Música Sacra (Grécia – 2006), também realiza pesquisas sobre a música folclórica paraense.

Maria Antonia ainda respondeu pela produção e direção musical dos CDs solos do Coro Carlos Gomes, intitulados O Belo (2002) e O Cantochão dos Mercedários do Grão Pará (2004). Em 2012, foi homenageada pela Fundação Carlos Gomes pela sua contribuição musical.


Serviço:

Apresentações do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba com o programa Cantares da América Latina, sob a regência da maestrina Maria Antonia Jimenez, dentro da temporada 2013 de espetáculos patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo.

Datas e horários: dia 27 de setembro (sexta-feira), às 20h, e dia 28 de setembro de 2013 (sábado), às 18h30. As apresentações contam com comentários da maestrina Maria Antonia Jimenez. 

Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada). Pagamento somente em dinheiro.


Programa

1- Astor Piazzolla (1921 – 1992, Argentina)

Arranjo: Néstor Zadoff

La Muerte del Ángel


2-Beatriz Corona (1962, Cuba)

Poema: José Martí

Penas


3-Osvaldo Lacerda (1927 – 2011, Brasil)

Texto: Carlos Drummond de Andrade             

Quadrilha


4-Carlos Guastavino  (1912 – 2000, Argentina)                            

 Arroz con Leche


5-Leo Brouwer  (1939, Cuba)                                               

Son Mercedes


6-Ronaldo Miranda (1948, Brasil)          

Texto: Walter Mariani                            

Cantares


7-Ariel Ramirez (1921 – 2010, Argentina) / Felix Luna (1925 – 2009, Argentina)

Arranjo: Hugo de la Vega

Alfonsina y el Mar


8-Roberto Valera (1938, Cuba)

Arranjo: Conrado Monier (Cuba)                                          

Tiempo para un Tiempo


9-Pixinguinha (1897– 1973, Brasil) / João de Barro (1907 – 2006, Brasil)

Carinhoso


10-Arr. Pablo Hurtado (Venezuela)                              

El Explicao


11-Miguel Matamoros (1894 – 1971, Cuba)

Arranjo: Electo Silva

Juramento


12-Alejandro Garcia Caturla (1940, Cuba)                                           

Canto de los Cafetales


13-Carlos Guastavino (1912 – 2000, Argentina)          

Texto: Rafael Alberto                 


Se Equivocó la Paloma 

14-Baden Powell (1937 – 2000, Brasil) / Vinicius de Moraes (1913 – 1980, Brasil)

Arranjo: Arlindi Teixeira             

Berimbau


15-Beatriz Corona (1962, Cuba) / Silvio Rodríguez (1946, Cuba)            

Entre el Espanto y la Ternura


16-Alberto Rodríguez (1946, Argentina)            

Arranjo: Fernando Moruja

El Mareao


17-Guido López- Gavilán (1944, Cuba)                                        
Guayaboso

Lendário GBH confirma shows pelo Brasil


A lendária banda inglesa GBH está de volta ao Brasil para mais uma turnê. O grupo, reconhecido com um dos ícones do punk rock mundial, se apresenta, em Curitiba (25/10 – Espaço Cult), São Paulo (26/10 – Hangar 110) e Americana (27/10 - Teatro de Arena Ellis Regina). Os ingressos para o show na capital paulista já estão à venda.

Banda volta ao país após quatro anos – foto: divulgação
 
A lendária banda GBH, considerada pioneira do punk rock inglês ao lado de Discharge, Broken Bones, The Exploited, The Varukers e Shock Frot, recentemente confirmou única apresentação na cidade de São Paulo. O show está confirmado para o próximo dia 26 de outubro, no tradicional Hangar 110.Esta será a única apresentação na capital paulista.
 
Os ingressos já estão à venda na Galeria do Rock (Loja 255), Santo André (Ratus Skateshop) e no site www.hangar110.com.br, e custam R$ 50,00 (estudante), R$ 80,00 (promocional) e R$ 100,00 (na porta). A abertura fica por conta do Seek Terror, que deve tocar suas novas composições e os clássicos dos álbuns “Peste Católica” e “Aborto Legal”, e do Deserdados.
 
A banda desembarca no Brasil com três membros da formação original: Colin Abrahall (vocal), Colin “Jock” Blyth (guitarra) e Ross Lomas (baixo). Já na bateria segue sob o comando de Scott Preece, que acompanha o grupo desde 1992.
 
Formada em 1979, o GBH se firmou como um dos principais nomes da segunda safra do punk rock inglês onde ficaram famosos graças a sucessos como: "Sick Boy", "Give Me Fire", "Big Women", "No Survivors", "Alcohol", "Self Destruct" e "Crush 'Em".
 
A turnê pelo Brasil é a seguinte:
25/10 – Espaço Cult – Curitiba/PR
26/10 – Hangar 110 – São Paulo/SP
27/10 – Teatro de Arena Ellis Regina – Americana/SP (Edem Skate Rock Festival)
 
Links relacionados:
 
Serviço São Paulo
Damar Productions, Fusa Records e Hangar 110 apresentam GBH
Data: 26 de outubro, sábado
Local: Hangar110
End: R. Rua Rodolfo Miranda, 110 – Metrô Armênia
Horário: 19h00 – Abertura dos Portões | Previsão de Término: 23h00
Bandas de abertura: Seek Terror e Deserdados
Infoline: 11 3229-7442
Censura: 14 anos (obrigatório documento original com foto)
Apoio: Zonapunk | Hellnoise booking
 
Preços:
Estudante: R$ 50,00 (necessária apresentação da carteira de estudante)
Promocional: R$ 80,00 (válido somente com a doação de 1kg de leite em pó)
Inteira/porta: R$ 100,00
 
Pontos de venda (a partir de 24/09)
Loja 255 (Galeria do Rock): R. 24 de Maio, 62 – Lj 255 – 1º Andar – Centro – (11) 3361-6951
- Ratus Skateshop: R. Dona Elisa Flaquer, 286 – Centro – Santo André – (11) 4990-5163
Ingresso online: www.hangar110.com.br
*A falta da apresentação do comprovante estudantil ou entrega de 1kg de leite em pó, implicará no pagamento do valor integral do ingresso.
* As doações serão para a instituição CASA DE DAVID, que cuida de crianças e adultos com deficiência intelectual, física e com autismo, em sua maioria abandonada pelos pais: https://www.facebook.com/casadedavid1962

Krisiun toca no Clash Club neste sábado (28)




Um dos grandes representantes do metal nacional se apresenta no Clash Club no próximo sábado, dia 28 de setembro. O Krisiun é uma das bandas brasileiras com maior reconhecimento internacional, acumulando discos lançados e inúmeras turnês pela Europa e EUA ao longo de seus mais de 20 anos de carreira.

Formado por Max Kolesne (bateria), Moyses Kolesne (guitarra) e Alex Camargo (baixo e vocal), o Krisiun tem como marca registrada um som que une peso e velocidade extrema. O grupo gaúcho é apontado com um dos responsáveis pelo surgimento do brutal death metal, uma das vertentes mais radicais do heavy metal. Ao logo dos anos tem apresentado uma grande evolução musical sem perder suas características originais, arrebatando assim cada vez mais fãs ao redor do mundo.

No show do próximo sábado (28) no Clash Club, o Krisiun vai apresentar músicas de toda a carreira, como “Kings of Killing”, “Ominous”, “Combustion Inferno” e “Viciuos Wrath”, entre várias outras.

A abertura fica por conta da banda paulista Torture Squad, tocando seus sucessos e músicas inéditas que farão parte de seu novo álbum, e também do TEST, uma grata revelação do cenário underground, formada por ex-integrantes das bandas Are You God? e D.E.R..

Serviço
Show: Krisiun
Abertura: Torture Squad e TEST
Local: Clash Club - Rua Barra Funda, 969 – Barra Funda – São Paulo/SP
Data: 28 de setembro (sábado)
Horário de abertura da casa: 18h
Ingressos:
Primeiro Lote – Pista R$25 / Camarote R$60 (estudante/meia entrada e promocional)
Segundo Lote - Pista R$35 / Camarote R$80 (estudante/meia entrada e promocional)
Ingressos Antecipados:
Galeria do Rock - Rua 24 de Maio, 62 - Loja 255 – Centro - São Paulo
Bilheteria do Clash Club - Rua Barra Funda, 969 - Barra Funda - São Paulo
Venda On-line: http://bit.ly/1akTlIP
Capacidade: 500 pessoas
Censura: 16 anos
Informações: Tel: (11) 3661-1500 / www.clashclub.com.br
Estacionamento: R$20

Sobre o Clash Club
Localizado na Barra Funda em um antigo galpão da década de 30, o Clash Club foi inaugurado em fevereiro de 2007 e, ao longo dos anos, se firmou como uma das principais casas noturnas de São Paulo, com espaço para shows dos mais variados estilos de grandes artistas nacionais e internacionais.

Novo disco do Bixiga 70


Bixiga 70 lança o seu segundo  álbum
A música é instrumental mas o discurso é claro. Bixiga 70 chega chegando ao segundo disco: o groove ficou mais pesado; guitarras e teclados agora estão na linha de frente junto com os metais; bateria, baixo e percussões impulsionam os arranjos sem massagem; a ira se espalha pelos timbres, pelas linhas melódicas, pelos riffs – a temperatura subiu geral. Terreiro, Jamaica, dinâmicas jazzísticas, Pará, Etiópia e um clima de “blaxploitation à brasileira” se misturam com equilíbrio. A influência do afrobeat – supracitada nas boas críticas do primeiro disco, de 2011 – agora se dilui num mar de referências e o som alcançado identifica a banda como uma impressão digital. A África, afinal, é o mundo inteiro.
O trompete que chora no solo de “Deixa a Gira Girá” (ponto de candomblé, já adaptado pelo trio baiano Os Tincoãs, em 1973); a bateria que demole qualquer tropa de choque em “Ocupaí”; a guitarra que insinua um certo mistério em “5 Esquinas”; o sintetizador que evoca o futurismo em “Kriptonita”; o lamento coletivo na saideira, “Isa”; tudo parece reverberar a frequência que tomou as ruas do Brasil em junho de 2013 – mês em que a banda finalizou este segundo disco, com produção de seus integrantes e mixagem de Victor Rice. O processo de composição coletivo no estúdio e o entrosamento afinado em turnês azeitou – ou melhor, “vinagrou” – a química.
A 13 de maio reflete junho de 2013. É no número 70 da rua mais famosa do Bixiga que a banda ensaia e grava, na sede do estúdio Traquitana, mesmo endereço que, uma vez por ano desde 2007, vê as ruas tomadas para a realização do Dia do Graffiti – mais um exemplo de evento que ocupa as ruas de São Paulo com programação cultural gratuita, ao ar livre. Rua. Ocupação. Música. Não é só no mapa de São Paulo que o Bixiga fica ali colado na Liberdade. Avante!


Ramiro Zwetsch / Radiola Urbana / Junho de 2013 
Faixas do disco:
1. Deixa a Gira Girá (Domínio Público)*
2. Ocupai (Rômulo Nardes, Cuca Ferreira e Bixiga 70)
3. Kalimba (Cris Scabello e Bixiga 70)
4. 5 Esquinas (Décio 7 e Bixiga 70)
5. Kriptonita (Décio 7 e Bixiga 70)
6. Tigre (Cris Scabello e Bixiga 70)
7. Tangará (Mauricio Fleury, Cuca Ferreira e Bixiga 70)**
8. Retirantes (Cris Scabello e Bixiga 70)
9. Isa (Marcelo Dworecki e Bixiga 70)

* adaptação do arranjo da faixa de mesmo nome do disco Os Tincoãs (1973)
** faixa-bônus presente apenas na edição digital (mp3 e CD).

Lucas Santtana, Luisa Maita, Jam da Silva, Marcos Paiva, Bruno Tessele, Juliana Perdigão, Juliano Holanda e Zé Godoy em show inédito dias 10 e 11 de outubro no Auditório Ibirapuera - Grátis


3ª edição do Na Mira traz Lucas Santtana, Luisa Maita, Jam da Silva, Marcos Paiva, Bruno Tessele, Juliana Perdigão, Juliano Holanda e Zé Godoy em show inédito e gratuito

Espetáculo acontece dias 10 e 11 de outubro no Auditório Ibirapuera

Idealizado por Myriam Taubkin e Gabriel Fontes Paiva, o 3º Na Mira propõe novo encontro inédito.

Funciona assim: os curadores convidam 8 músicos que não necessariamente se conhecem. Depois de algumas conversas, os ensaios começam e, a partir das ideias de todos, da experiência coletiva e da magia desse encontro, surge o repertório. Cenário, luz e a própria direção do espetáculo também se harmonizam e o resultado é um espetáculo único. Uma única vez que esses artistas estarão todos juntos, nesse formato, para um repertório e show especiais.

Essa é a terceira edição do Na Mira, que já teve como convidados Rodrigo Campos, Criolo, Kiko Dinucci, Ricardo Herz, Antonio Loureiro, Hugo Linns. Na edição de 2013, um time dos bons: Bruno Tessele (bateria), Jam Da Silva (percussões, efeitos e voz), Juliana Perdigão (clarinete, voz), Juliano Holanda (guitarra, baixo, viola, voz), Lucas Santtana (guitarras, flauta, voz), Luísa Maita (voz), Marcos Paiva (contrabaixo) e Zé Godoy (piano, teclados, sanfona).

São artistas com uma contribuição original no cenário atual da música brasileira, como compositores, cantores e/ou intrumentistas. Além de investirem em suas carreiras, participam de diversas experiências e formações, seja de grupos ou em projetos especiais. Essa pluralidade do dia a dia de cada um estimula um espetáculo dessa natureza, em que esses músicos podem ir fundo na criação e construção coletiva.

Domingo Onze e Meia com brincadeiras sonoras



Marcelo Brum-Lemos e o Som-de-Brinkedo lançam o CD Som-de-Brinkedo  com espetáculo no programa Domingo Onze e Meia, no Conservatório de MPB de Curitiba. A apresentação, que acontece às 11h30 deste domingo (29), reúne canções autorais de Marcelo Brum-Lemos e dos demais compositores participantes do grupo, com obras que integram o CD e outras inéditas. A entrada é franca.
O show explora sonoridades de instrumentos musicais díspares como kalimba (instrumento africano semelhante a um piano), dulcimer (instrumento de cordas percutidas, de origem medieval), viola caipira, cavaquinho, charamela (instrumento de sopro construído em madeira), violino, rabeca paranaense, violão de nylon, guitarra elétrica, acordeom, teclados, flautas e as mais variadas percussões, revelando a diversidade cultural do Paraná e do Brasil.
Formado atualmente por Marcelo Brum-Lemos, Aruana Moscheta, Leandro Leal, Mateus Sokolowski, Carlos Ramos e Gabriel Floriani, o Som-de-Brinkedo tem como convidado especial o músico Junior Lemos. O repertório foi pensado como uma amostragem da variada influência sonora dos componentes da banda. O medievalismo está em Manuscrito, de Carlos Ramos, o baião aparece em Plantei girassóis, de Leandro Leal, e O Almirante possuía um barco branco, de Marcelo Brum-Lemos, que também responde pela seresta Eterno e pela milonga Sementes, entre outros exemplos.
Na prática, o Som-de-Brinkedo é uma oficina sonora, na qual os músicos procuram trabalhar de maneira mais experimental e lúdica na criação dos arranjos. O grupo tem formação flutuante, mas se destaca pela versatilidade e qualidade dos integrantes. A proposta, já denunciada pelo título, é a de “brincar” com os sons, numa postura experimental e irreverente. Nesse sentido, os músicos costumam revezar-se entre diversos instrumentos para expressar composições caracterizadas por uma profunda relação com a palavra cantada.
Marcelo Brum-Lemos, também poeta e contista, procura com suas canções explorar os limites entre a poética da palavra e a linguagem musical propriamente dita. Dessa forma, a expressão vocal, entre o canto e a fala, assume posição essencial, fazendo da interpretação de Marcelo Brum-Lemos o real elemento que agrega música e texto. O artista e seu grupo Som-de-Brinkedo apresentam-se regularmente em Curitiba desde 2009 e, em 2012, estrearam internacionalmente, com espetáculos em Portugal.
Serviço:
Programa Domingo Onze e Meia, com show de Marcelo Brum-Lemos e o Som-De-Brinkedo, que lançam o CD Som-de-Brinkedo.
Local: Conservatório de MPB de Curitiba (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico).
Data e horário: dia 29 de setembro de 2013 (domingo), às 11h30.
Entrada franca.
Ficha técnica:
Repertório - canções do CD Som-de-Brinkedo e inéditas:
1.        Barco no mar (Marcelo Brum-Lemos)
2.        Eterno (Marcelo Brum-Lemos)
3.        Manuscrito (Carlos Ramos)
4.        Maldito o Rey (Marcelo Brum-Lemos sobre poema de Emiliano Perneta)
5.        Desculpa-me (Marcelo Brum-Lemos)
6.        Plantei girassóis (Leandro Leal)
7.        Sementes (Marcelo Brum-Lemos)
8.        O Almirante possuía um barco branco (Marcelo Brum-Lemos)
9.        Em cima de você (Marcelo Brum-Lemos/Junior Lemos)
10.     Eles (Marcelo Brum-Lemos)
11.     O fantasma do Guimarães (Marcelo Brum-Lemos)
12.     21/12/2012 (Marcelo Brum-Lemos)
13.     Baleias navegando o verde (Marcelo Brum-Lemos)
14.     Num safári (Marcelo Brum-Lemos)
15.     Ringo Starr (Marcelo Brum-Lemos)
Arranjos: coletivos
Arranjos de base: Marcelo Brum-Lemos
Tempo total de show: 70 minutos
Técnico de som: Rogério de Assis Dantas
Produção: Marcelo Brum-Lemos