sábado, 4 de maio de 2013

“Eu amei tocar no Brasil e quero revê-los nos shows em breve”, diz baterista do UFO

A lendária banda UFO está prestes a desembarcar no Brasil para quatro apresentações. Os shows acontecem em Rio de Janeiro (08/05 - Teatro Rival), Goiania (09/05 – Bolshoi Pub), São Paulo (11/05 - Carioca Club) e Porto Alegre (12/05 - Teatro CIEE).

 




Leia aqui uma entrevista com o baterista Andy Parker . Neste bate-papo descontraido, o músico nos contou como se sente em retornar ao território brasileiro, as lembranças da última passagem por aqui, fez elogios à Chris Cornell e à Steve Harris e comentou sobre algumas curiosidades atuais sobre o UFO. 


O UFO foi um dos principais nomes dos anos 70, servindo de influência para diversos outros grupos como Tesla, Def Leppard e Iron Maiden, que com o passar dos anos adotou a música “Doctor, Doctor” como tema de abertura dos shows da banda.

Após três anos desde seu último show no Brasil, a banda retorna ao país para quatro apresentações sendo elas: Rio de Janeiro (08/05 - Teatro Rival), Goiania (09/05 - Bolshoi Pub), São Paulo (11/05 - Carioca Club) e Porto Alegre (12/05 - Teatro CIEE).

A The Ultimate Music entrevistou exclusivamente com o baterista Andy Parker que, super bem humorado, nos contou como se sente em retornar ao território brasileiro, as lembranças da última passagem por aqui, fez elogios à Chris Cornell e à Steve Harris e comentou sobre algumas curiosidades atuais sobre o UFO.

por Juliana Lorencini | edição Costábile Salzano Jr.

Após tantos anos de banda, o UFO se apresentou no Brasil pela primeira vez em 2010. Quais são suas recordações desta primeira visita ao país? E quais são suas expectativas em voltar a se apresentar aqui?
Andy Parker: Eu amei tocar no Brasil! As pessoas ai são realmente apaixonadas por música. Parece que elas realmente a sentem e isso nos deixou extremamente empolgados em tocar para elas. Eu espero que fãs loucos como estes compareçam sempre aos nossos shows.

Vocês lançaram no último ano “Seven Deadly”, produzido por Tommy Newton, e gravado no estúdio Area 51, em Celle, na Alemanha. Como foi o processo de gravação e composição deste novo trabalho?
Andy Parker: Escrevo músicas em casa ou em quartos de hotel ao redor do mundo. Então faço demos das músicas e as entrego para os outros caras da banda. Phil escolhe as músicas que ele gosta mais e escreve as letras. Nós as ensaiamos juntos e então vamos para o estúdio para gravá-las. Tenho um estúdio em casa e faço todas as guitarras aqui, então mando as faixas para um técnico e ele as mixa.

Em 2011, vocês tiveram 11 de seus álbuns relançados em vinil. O que vocês acham dessa crescente volta do vinil ao mercado fonográfico, uma vez que os CDs em si perdem cada dia mais espaço para o MP3?
Andy Parker: Posso estar errado, claro, mas não vejo o vinil voltando a ser grande de novo. Acho que é um pouco de tendência apenas.

Como é ter Vinnie Moore integrando a banda?
Andy Parker: É ótimo tê-lo na banda! Ele é o cara mais incrível sempre! (risos). E o mais legal do planeta!

A propósito, vocês ainda acreditam que Pete Way poderá voltar à banda algum dia? Qual baixista virá acompanhando a banda na turnê sulamericana?
Andy Parker: Eu acredito que não. Infelizmente ele não está bem de saúde. Rob De Luca estará conosco durante a turnê brasileira.

O UFO é um dos principais nomes que serviu de influência para músicos de grandes bandas ao redor do mundo. Como você vê o hard rock/ heavy metal atualmente?
Andy Parker: Parece que ainda continua forte. O Rock nunca irá morrer.

Quais bandas da atualidade se destacam para vocês?
Andy Parker: Gosto muito do Chris Cornell. Parece-me que tudo em que ele está envolvido é ótimo. Também acho que Rival Sons é uma ótima nova banda.

Steve Harris é um fã assumido do UFO, tanto que “Doctor, Doctor” se tornou a música de abertura dos shows do Iron Maiden. Como vocês vêm essa homenagem ao grupo?
Andy Parker: Para mim é totalmente incrível! Ouvi dizer que ele também está tocando “Let it Roll” na turnê com sua nova banda.

Após os shows no Brasil, o UFO se prepara para mais uma turnê pela Europa, incluindo o Sweden Rock Fest. Como estão os preparativos para esses shows?
Andy Parker: Nós não nos preparamos normalmente. Apenas nos encontramos e ensaiamos um pouco e então vamos para estrada. Tocaremos também no Download Festival, em Castle Donnington. Nosso set é sempre mais curto em festivais, então temos que fazer um setlist especial e colocar nele algumas de nossas músicas mais curtas. Esta é a única circunstância em que preparamos algo e pensamos adiante. Normalmente nós nem mesmo ensaiamos, isso porque temos feito muitos shows.

Ainda falando em turnês, quais a principais diferenças que vocês vêm entre o público brasileiro e o europeu?
Andy Parker: Existem mais garotas bonitas no Brasil e nós amamos isso! Sinto que o público brasileiro é mais aberto e mostra mais seus sentimentos. Em certos lugares na Europa, as pessoas parecem ser mais reservadas. Mas isso pode mudar de cidade para cidade, então estou apenas generalizando.

Além da turnê de promoção de “Seven Deadly”, quais os planos da banda para esse ano?
Andy Parker: Existe a possibilidade de tocarmos na Costa Oeste nos Estados Unidos no final do ano.

Muito obrigada pela entrevista e eu gostaria que vocês enviassem um recado para os fãs brasileiros do UFO.
Andy Parker: Obrigado pela entrevista, gostei muito. Mal posso esperar para ver todos vocês no Brasil. Fãs incríveis, lindas garotas e churrascarias! Quem não seria feliz assim? (risos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário