quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Toninho Ferragutti e Marco Pereira juntos na Oficina de Música





A curadoria da 31ª Oficina de Música de Curitiba une dois grandes nomes da MPB num show que promete ser memorável. O violonista Marco Pereira e o acordeonista Toninho Ferragutti ocupam o palco do Teatro da Reitoria da UFPR nesta quinta (24), às 21 horas. No show, os dois tocam composições próprias e também de Hermeto Paschoal, Luperce Miranda e Zé do Norte.

Não foram poucos os músicos que se dedicaram ao acordeom. Muitos deles tornaram-se virtuoses no instrumento, além de criar um repertório fundamental que enriqueceu a MPB. Toninho Ferragutti é um destes exemplos. Desde cedo escolheu o instrumento como ferramenta de inspiração e construção de uma bem sucedida carreira. Seus primeiros acordes nasceram em Socorro, no interior do Estado de São Paulo, sua cidade natal. Toninho Ferragutti, músico, compositor e arranjador, possui uma extensa participação em shows e em CDs de artistas importantes no Brasil e no exterior. Seu CD Sanfonemas foi indicado ao Grammy Latino no ano 2000 como melhor CD de música regional. O seu mais recente CD solo, Nem Sol nem Lua, esteve, na opinião de diversos críticos, entre os 10 melhores CDs de música instrumental do ano de 2006. Além dos shows com trabalho autoral, vem atuando em shows da Orquestra de Maria Schneider (USA), de Celine Rudolf (Alemanha), Maria Bethânia, Mônica Salmaso, Gilberto Gil, Zizi Possi,Trio 202 , Edu Ribeiro, Jovino Santos Neto entre outros.

  Marco Pereira é natural de São Paulo e viveu na França por cinco anos, onde recebeu forte influência jazzística e também de música latino-americana, o que caracteriza, especialmente, o seu trabalho de composição. Apresentou-se com grande sucesso no Festival de Jazz de Paris de 1989, o que lhe possibilitou fazer apresentações na Alemanha, França, Suiça, Dinamarca, Canadá e Estados Unidos. A partir de 1990, já morando no Rio de Janeiro, participou, em quatro oportunidades diferentes, do Free Jazz Festival: numa memorável apresentação do Trio D'Alma, em 1989; com seu trabalho solo, em 1991; ao lado de Wagner Tiso, em 1992 e ao lado de Edu Lobo, em 1996. Gravou com importantes artistas do cenário musical brasileiro, tais como: Zélia Duncan, Edu Lobo, Cássia Eller, Gilberto Gil, Gal Costa, Wagner Tiso, Daniela Mercury, Zizi Possi, Rildo Hora, Paulinho da Viola, Tom Jobim, Milton Nascimento, Leila Pinheiro, Fátima Guedes, Nelson Gonçalves e Roberto  Carlos, entre outros. Recebeu o prêmio Sharp em dois anos consecutivos: em 1993, o de Melhor Arranjador de MPB pelo disco Gal, da cantora Gal Costa e em 1994, na categoria instrumental, o prêmio de Melhor Solista e Melhor Disco Instrumental, pelo trabalho Bons Encontros.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Nenhum comentário:

Postar um comentário