sábado, 27 de outubro de 2012

Cultura de Arnaldo Antunes


Cultura

de Arnaldo Antunes

Ilustrações de Thiago Lopes
No de Paginas: 48



Não se tem muito o que falar. Cultura é um dos melhores lançmentos de infanto juvenil do ano!
( E.C.)


Cultura estimula a aprendizagem visual. Sem radicalizar, Arnaldo Antunes interpreta e transforma palavras e rearranja significados.

Nas ilustrações de Thiago Lopes que interpretam o poema há cores e formas insinuando o que as palavras não dizem.








LANÇAMENTO

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Tavito apresenta “Mineiro” no Teatro da CAIXA Cultural




Compositor de “Casa no Campo” e “Rua Ramalhete” traz à capital paranaense show do seu último trabalho

A Caixa Cultural apresenta, de 2 a 4 de novembro, o músico, compositor, arranjador, produtor publicitário Luís Otávio de Melo Carvalho, ou Tavito, como é mais conhecido.

Ele traz para Curitiba o show do CD “Mineiro”, seu último álbum. Acompanhado pelo guitarrista Ferdinando Cusato, o músico apresenta duas inéditas canções em parceria com seu amigo Zé Rodrix, falecido em 2009 e promete, além de músicas do disco novo, sucessos como “Casa no campo”, “Rua Ramalhete”, “Começo, meio e fim” e “Aquele beijo”.

Nascido e criado em Belo Horizonte, cercado por ideias, amigos e canções de Minas, Tavito mudou-se para o Rio de Janeiro em 1968, acompanhando a correnteza poética do amigo Vinícius de Moraes. Lá, se destacou primeiramente como guitarrista/violeiro do grupo "Som Imaginário", ao lado de Zé Rodrix, Robertinho Silva, Wagner Tiso, Luís Alves, Naná Vasconcellos e Fredera. Essa trupe de talento musical ímpar foi convocada para acompanhar o novato Mílton Nascimento com seu nascente Clube de Esquina, cheio de bons mineiros. Com o Som Imaginário gravou três LPs.

Em 1971, Tavito compôs com Zé Rodrix a canção "Casa no Campo", imortalizada na voz de Elis Regina. Em 1973, transferiu-se para São Paulo, onde passou a se dedicar à criação de jingles e trilhas publicitárias. Compôs trilhas para novelas, temas específicos para cinema, televisão, esporte e teatro. Fez shows pelo Brasil até 1992, retornando aos palcos 13 anos depois, em 2005. Sua discografia solo é composta por 4 discos, entre eles o CD independente “Tudo”, de 2010, com 4 mil cópias esgotadas em tempo recorde.

Serviço:

Show “Mineiro”, com Tavito

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 2 a 4 de novembro de 2012

Hora: Sexta e sábado às 20h e domingo às 19h

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

GONZAGUINHA E GONZAGAO UMA HISTORIA BRASILEIRA


GONZAGUINHA E GONZAGAO

UMA HISTORIA BRASILEIRA

de REGINA ECHEVERRIA 


Ano: 2012
Páginas: 432
Dimensões (A x L x P): 23,00cm x 16,00cm x 2,00cm


A biografia conjunta de Luiz Gonzaga (1912-1989) e de Gonzaguinha (1945-1991) arrancou aplausos entusiásticos do público que lotou o Cine Odeon. Gonzaga - De pai pra filho vai estrear no dia 23 de outubro. Antes, no dia 10, vai ganhar sua primeira pré-estreia nacional, que acontecerá no Recife. A história do músico pernambucano nascido em Exu, e da conturbada relação que teve com o filho, o cantor Gonzaguinha, que nasceu no Rio, é o eixo principal do filme. O roteiro surgiu de um argumento de Maria Hernandez e foi escrito por Patrícia Andrade, a principal parceira de Breno Silveira. O jornalista recifense George Moura, roteirista do programa Por toda minha vida, da TV Globo, também colaborou na confecção da história. A fonte principal é a biografia Gonzaguinha e Gonzagão - Uma história brasileira, de Regina Echeverría.

O LIVRO
Um vozeirão característico. Chapéu de couro e sanfona em punho. Antes de qualquer adjetivo, tinha orgulho de ser o 'Rei do Baião'. Já seu filho, um garoto sofrido, cresceu nas vielas de um morro, sem o amor de pai e mãe, mas dono de um coração puro e alma de artista. Com diferenças gritantes de personalidade, postura política e comportamento, o entendimento entre pai e filho só se daria após muitos anos de traumas, dores e enfrentamentos. Foi somente no final de 1979, no show Vida de viajante, que Gonzaguinha e Gonzagão enfim se apresentaram juntos, selando uma amizade que duraria até o fim de suas vidas. Durante esse período, mais de vinte horas de conversa entre os dois foram registradas. Foi da audição dessas fitas que essa biografia tomou forma. Uma história conturbada e trágica, mas de um amor profundo entre pai e filho, que faz vibrar o imaginário popular.


A AUTORA
Regina Echeverria é jornalista profissional desde 1972. Trabalhou nos jornais O Estado de S.Paulo, Jornal da Tarde, Folha de S.Paulo e nas revistas Veja, IstoÉ, Placar, Caras e A Revista. Publicou os livros: Furacão Elis (1985), Cazuza, só as mães são felizes (1997), Cazuza, preciso dizer que te amo (2001), Pierre Verger, um retrato em preto e branco (2002), Mãe Menininha do Gantois, uma biografia (2006) – os dois últimos em parceria com Cida Nóbrega. Ainda: Gonzaguinha e Gonzagão, uma história brasileira (2006) e Sarney, a biografia, lançado pela LeYa em 2011.
Trechos da entrevista da jornalista Regina Echeverria sobre a biografia Gonzaguinha e Gonzagão para a Alltv no dia 22/11/2006.







RELANÇAMENTO DA







quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Camerata apresenta-se no IV Festival Penalva




            A Camerata Antiqua de Curitiba realiza neste final de semana dois concertos dentro da programação do IV Festival Penalva, realizado em homenagem ao compositor paranaense José Penalva, falecido há 10 anos. Sob a regência do maestro Norton Morozowicz, serão apresentadas obras do compositor e de outros autores paranaense. As apresentações acontecem sexta-feira (26), às 20h, e sábado (27), às 18h30, na Capela Santa Maria – Espaço Cultural.
            O Festival Penalva, realizado pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, foi criado para divulgar a música paranaense e celebrar a memória e o legado do padre José Penalva (1924-2002), considerado um dos mais importantes compositores brasileiros do século 20. Regente, professor, musicólogo, Padre Penalva compôs música de câmara, peças para solistas, obras orquestrais e corais.
            Neste concerto, a Camerata executa duas de suas obras: Provérbios (moteto para coro misto e narrador) e Três Momentos (para orquestra de cordas). A regente do Coro da Camerata, Helma Haller, explica que a música vocal, na obra de José Penalva, predomina sobre a instrumental. Sua produção pode ser dividida em dois grandes blocos – o primeiro voltado à música mais independente, de função estética, e o outro que ele chamava de “música funcional”, voltado tanto à música sacra de função litúrgica, quanto à música de inspiração no folclore brasileiro, bossa nova e MPB, com função de entretenimento. De acordo com Helma Haller, “Provérbios” faz parte do primeiro grupo, ou seja, composição original de função estética. A obra escrita em 1970 para coro misto e narrador, divide-se em três partes. Os textos bíblicos que compõem este moteto foram retirados dos livros de Salmos, Provérbios e Eclesiastes, e se apresentam nessa ordem. 
            Para Elisabeth Seraphim Prosser, musicista e professora da Embap, a música de Penalva “revela um diálogo intenso, expressivo e extremamente significativo entre a tradição e a brasilidade, que se reconhece nos ritmos, modos, temas e gêneros que usa e nas linguagens da vanguarda e da pós-vanguarda, com sua ousadia e busca por novas sonoridades”. Seus “Três Momentos”, para cordas (1990), compõem-se de gêneros e formas musicais conhecidas (Ponteio, Lied e Rondó). Contudo, Penalva as trata de maneira harmonicamente livre e inovadora.
            A Camerata apresentará também duas obras de Henrique de Curitiba (1934-2008) – “Cantigas do Bem Querer” e “Versos de Cassandra Rios” (para soprano solo, coro, orquestra de cordas e piano), e uma de Jaime Zenamon (1953) – “Curitiba tecida pelos povos, Op. 157”. 
            A regência ficará a cargo do maestro e flautista Norton Morozowicz, um dos mais importantes músicos brasileiros. Com brilhante carreira de instrumentista, solista e camerista, apresenta-se com artistas nacionais e internacionais como o flautista, Jean Pierre Rampal. Nas décadas de 80 e 90 fez várias excursões pelo Brasil, Europa, Estados Unidos e Canadá como flauta-solo da Orquestra Sinfônica Brasileira durante 17 anos. Como regente tem dirigido as principais orquestras do país, dentre as quais, a Sinfônica Brasileira, Sinfônica Nacional, Sinfônica de São Paulo, Orquestra Sinfônica do Paraná, de Brasília, de Porto Alegre, de Salvador, a Jazz Sinfônica e Banda Sinfônica de São Paulo, entre outras. Com mais de trinta discos gravados, Morozowicz contribui para a música brasileira, por estrear, apresentar e gravar obras significativas de compositores brasileiros de todas as épocas.

           Serviço:
           Concerto da Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Norton Morozowicz, dentro da programação do IV Festival Penalva.
            Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)
            Datas e horários: 26 e 27 de outubro de 2012 - sexta-feira, às 20h, e sábado, às 18h.
            Ingressos: R$ 10 e R$ 5

sábado, 20 de outubro de 2012

“O BARBEIRO DE ERVILHA” APRESENTA ÓPERA DE ROSSINI E CULTURA NORDESTINA NO PALCO DA CAIXA CULTURAL CURITIBA


APOS convida para a 2a. Caminhada Falando de Olho Seco


Dia Nacional de Conscientização Sobre a Síndrome do Olho Seco

terá caminhada no Parque do Ibirapuera no dia 21 de outubro,

domingo, a partir das 9h.





Com o objetivo de divulgar e ampliar o conhecimento da população sobre os sintomas, tratamentos e ainda dar dicas de prevenção de uma doença crônica que atinge 30% da população mundial, a APOS- Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco organiza a 2a. Caminhada Falando de Olho Seco, no dia 21 de outubro no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. A concentração está marcada para a Avenida dos Planetários, que fica entre o Museu Afro Brasil e o planetário.



A partir das 9 horas da manhã os oftalmologistas que fazem parte da APOS estarão no local para atender as duvidas da  população.



A partir das 10h30 serão distribuídas camisetas para os que quiserem participar da caminhada pelo parque, que terá início a0s 11h da manhã. O encerramento do encontro está previsto para as 13h.



O olho seco é uma doença crônica, caracterizada pela diminuição da produção da lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes, ou seja, pouca quantidade e/ou má qualidade da lágrima. Este distúrbio no filme lacrimal e na superfície ocular pode produzir áreas secas sobre a conjuntiva e córnea.



Os sintomas são de ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar condicionado ou em frente do computador e olhos embaçados ao final do dia. Se detectada no início, a doença pode ser controlada, mas deixá-la sem tratamento pode acarretar danos a córnea e a conjuntiva com o aparecimento de lesões.



Ao som do jazz

Para os que apreciam uma boa música, no dia anterior, 20 de outubro, sobe ao palco do Espaço Off Set a Doctor’s Band, para o terceiro Oftalmo Music, que terá renda de convites revertida para a APOS. Os ingressos custam R$ 40,00 e o Espaço Off Set

fica na Rua Ferreira de Araújo, 589, em Pinheiros.  Para maiores informações sobre a compra dos ingressos estão disponíveis um endereço eletrônico e um número celular. São eles: oftalmomusic@gmail.com / 99906.4443

Brasileirinho apresenta o show 100 Gonzagão






O Coral Brasileirinho, mantido pela Fundação Cultural de Curitiba, completa 19 anos de vida. São muitas histórias neste período, mas quase nada se comparado aos 100 anos de nascimento do “Rei do Baião”. Para comemorar mais um aniversário do músico e compositor pernambucano Luiz Gonzaga, artista que tão bem traduziu as raízes nordestinas para todo o país, surgiu o espetáculo “Brasileirinho 100 Gonzagão”, que estreia neste fim de semana, no Auditório do MON (Museu Oscar Niemeyer). 

Esta brincadeira sonora entre o número e a preposição já sugere o clima do show, que contará e cantará a trajetória musical de Luiz Gonzaga em canções com diversos parceiros, como Humberto Teixeira, Zé Dantas, Hervê Cordovil, Miguel Lima, José Marcolino, Guio de Moraes e José Fernandes, incluindo a “Não Vendo Nem Troco” (1981), com seu filho Gonzaguinha. Das melancólicas “Asa Branca” (1947) e “Assum Preto” até as divertidíssimas “Casamento de Rosa” e “Dezessete e Setecentos”, as crianças do Brasileirinho trazem ao palco um panorama do Nordeste do Brasil, sua cultura, seu modo de falar, suas dores e alegrias, representando os personagens das canções com adereços exclusivamente elaborados para este espetáculo, que tem direção artística de Helena Bel e Milton Karam.

“O linguajar das canções de Luiz Gonzaga nos dão a oportunidade de mostrar para elas o quanto o Brasil é diferente na sua forma de se expressar, e o quanto isso é bom. As dificuldades do nordestino que sofre com a seca, a vinda para o sul, a gostosura dos ritmos de lá, nos renderam bons papos com a criançada”, comenta o diretor do Coral, Milton Karam. A música "Respeita Januário", composta em 1950, que será interpretada pelas crianças, narra a volta de Luiz Gonzaga, então já famoso, para a terra natal Exu, e o reencontro com o pai Januário depois de 12 anos.

A delicada "Olha Pro Céu", de 1951, retrata um casal e sua paixão num  cenário de festa de São João. "No Meu Pé de Serra" e” Asa Branca", de 1947, são as mais antigas do repertório. A mais recente é uma parceria entre Gonzagão e o filho Gonzaguinha. Em "Não Vendo Nem Troco", a letra induz o ouvinte a pensar que a música faz referência a uma mulher. No final, a revelação: trata-se de uma égua. Na divertida "Casamento de Rosa", escrita em 1953, os Brasileirinhos perdem o fôlego, por causa da movimentação no palco. “Acho que nunca trabalhamos canções tão antigas num mesmo repertório. Ensinamos e aprendemos junto com as crianças, levando ao público um espetáculo muito gostoso, leve, sensível e bem humorado”, afirma a também diretora do Coral, Helena Bel.



Serviço

Coral Brasileirinho no espetáculo “Brasileirinho 100 Gonzagão”

Local: Auditório Poty Lazzarotto - Museu Oscar Niemeyer- MON (R. Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico)

Data e horário: 20 de outubro (sábado), às 18h, e 21 de outubro (domingo), às 16h

Ingresso: R$20 e R$ 10

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ABC SKA FEST - NoKaos & Maraca Manca (Reggae Urbano)] Substituição aos 40' do segundo tempo



Substituição aos 40' do segundo tempo.

  Por motivos particulares o 220 SKABAR precisou adiar sua apresentação no ABC SKA FEST, para substituir os caras estamos trazendo o Maraca Manca e seu Reggae Urbano. O trampo da banda foi mixado pelo novaiorquino Victor Rice e pelo pernanbucano Buguinha DUB, especialistas no assunto.

http://tnb.art.br/rede/maracamanca
Maraca Manca | Toque no Brasil
tnb.art.br

ORQUESTRA DE CORDAS DO GURI E CONJUNTO DE CHORO DO CONSERVATÓRIO DE MPB DE CURITIBA


clique para ampliar

ANTILLECTUAL SHOW EM SÃO PAULO [ANTILLECTUAL SHOW EM SÃO PAULO] INGRESSOS JÁ A

 VENDA NA LOJA 255

Leia no facebook

Alex Kacttus 12:42pm Oct 17
INGRESSOS JÁ A VENDA NA LOJA 255!!!!

terça-feira, 16 de outubro de 2012

A pianista Marília Giller sozinha na Série Solo Música






No repertório, composições próprias do primeiro cd solo, “Teoria da Situação”



A CAIXA  Cultural Curitiba apresenta, na próxima terça-feira (23), o som instrumental da pianista, tecladista, compositora, pesquisadora e professora Marília Giller. Com 25 anos de carreira, ela vive um momento especialissímo com a finalização do primeiro CD solo: “Teoria da Situação”, que conta com direção artística de Nelson Ayres e a participação dos músicos Scott Henderson e Marcos Lobo.



Para esta apresentação, Marília Giller preparou um repertório fundamentado em composições próprias, fortemente influenciadas pelo “fusion”, gênero que ganhou destaque principalmente nos anos 80.





Marília Giller

As primeiras composições da artista vêm do início dos anos 80, quando ingressou no Conservatório Carlos Gomes e na Escola de Belas Artes, no curso superior de Pintura. Em 1983, passa a integrar o grupo Sotak, ao lado do saxofonista Paulo Branco, com quem veio a se casar.



Em 1990, viaja com o marido para a Europa, fixando residência em Montreux (Suíça). Em 1995, retorna ao Brasil e como integrante do grupo Sotak, lança os CDs "Manha , "Ozônio" e "Efeito". Também integra o Trio JazzMaia com os filhos Ian e Allan Branco. Especialista em Música Popular Brasileira pela Faculdade de Artes do Paraná, é professora de música na mesma instituição.





Serviço:

Série Solo Música – Marília Giller (jazz instrumental)

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 23 de outubro de 2012 (terça-feira)

Hora: 20h

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural



16/10/2012

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba (PR)

(41) 3544-5641 / 9906-5134

www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA

www.caixa.gov.br/caixacultural

SÉRIE MÚSICA DE CÂMARA - WINTERREISE






 clique para ampliar

SÉRIE MÚSICA DE CÂMARA - WINTERREISE






 clique para ampliar

SÉRIE MÚSICA DE CÂMARA - WINTERREISE






 clique para ampliar

Camerata, coro alemão e Canarinhos de Campo Largo, juntos em concerto na Capela




Um encontro especial marca a programação de música erudita neste fim de semana. O Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, o reconhecido coral alemão Carmina Mundi e o grupo vocal infantil Canarinhos de Campo Largo estarão juntos na Capela Santa Maria, nesta quinta e sexta-feira (18 e 19), às 20h, para apresentar a obra “Carmina Burana”, de Carl Orff. A regência será do maestro alemão Harald Nickoll.

Esta é a segunda vez que os cantores da Camerata se unem aos alemães para um concerto na Capela Santa Maria. Em outubro de 2010, em outra turnê do Carmina Mundi pelo Brasil, realizada com apoio do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha e do Goethe Institut, foi possível reunir os cantores num concerto de obras de compositores brasileiros e estrangeiros. Desta vez, a atração será acrescida da participação dos Meninos Cantores de  Campo Largo, com quem a Camerata também já teve oportunidade de se apresentar, no ano passado.

A obra escolhida é “Carmina Burana”, uma cantata cênica de Carl Orff, composta em 1935, baseada em 24 poemas de um manuscrito do século 13, o “Codex Latinus Monacensis”. Encontrado em 1803, num convento da Baviera, o manuscrito contém 315 composições poéticas, em folhas de pergaminho. Atualmente encontra-se na Biblioteca Nacional de Munique.  Os poemas foram escritos por monges e eruditos errantes, em latim medieval e antigos dialetos alemães, reunidos depois, no século 19, sob o título de “Carmina Burana”, que em latim significa “Canções de Benediktbeuern”.

Carl Orff escolheu e musicou alguns dos poemas que abrangem temas universais, pertinentes mesmo no século 21, como a inconstância da fortuna e da riqueza, a efêmera natureza da vida, a alegria do retorno da primavera, os prazeres e os perigos de beber, a gula e a luxúria. A versão que será executada no concerto da Capela Santa Maria requer três solistas, dois coros, coro infantil, dois pianos e percussão. Os solos serão interpretados por Kalinka Damiani (soprano), Ralf Schlüeter (contratenor) e Cláudio de Biaggi (baixo-barítono). As pianistas que acompanham são Cleonice Ortigara e Guiomar Ranke.



Carmina Mundi - Fundado em 1983, em Aachen (Alemanha), por Harald Nickoll, o Coro Carmina Mundi conta com 40 cantores que, juntos, produzem um som equilibrado e com afinação perfeita. O repertório do grupo inclui música coral religiosa e antiga, originária de vários países, culturas e épocas. Vencedor de importantes prêmios e com dez CDs gravados, o grupo coleciona turnês em diversos países, além de apresentações em televisões e rádios.

O reconhecimento internacional do Coro Carmina Mundi deve-se muito ao seu fundador e regente, Harald Nickoll.  Além de comandar o grupo, o maestro também dirige o coro "Collegium Byzantinum”, de Aachen, e, desde 1991, é diretor da escola de música juvenil Rhein-Kreis Neuss. Como palestrante e professor, recebe regularmente convites na área de regência coral, educação vocal e afinação.

         

            Canarinhos de Campo Largo - Criado em 1989, pelo maestro Teodolino José de Souza (Théo de Petrus), que é natural de Petrópolis (RJ), com formação franciscana, o coral tem a imagem dos Canarinhos de Petrópolis. Inicialmente esteve ligado à Prefeitura Municipal de Campo Largo (PR) e à Escola Juventude de Campo Largo, mas em 1994 se desligou dessas instituições tornando-se uma associação privada. Desde então faz parte da Federação Nacional dos Meninos Cantores do Brasil. Em dezembro de 2000, o coro inaugurou sede própria. O grupo se mantém com doação de voluntários, com cachês de apresentações e esporádicas subvenções públicas.



Coro da Camerata – Esta apresentação faz parte da temporada 2012 da Camerata Antiqua de Curitiba, patrocinada pela Volvo. O coro da Camerata é composto por cantores com sólida formação musical e é uma das maiores referências da música vocal no Brasil. Desde o início, o grupo destacou-se pela originalidade e pela leveza na interpretação da música barroca e renascentista. A música contemporânea e as estreias de peças escritas especialmente para o coral passaram a integrar os concertos, imprimindo ao grupo uma característica mais marcante – de transitar com autoridade por um vasto e eclético repertório. Desde 2009, o coro tem como regente titular a maestrina Helma Haller.



Serviço:

Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, Carmina Mundi - Coro de Câmara (Alemanha) e Canarinhos de Campo Largo (Paraná), com regência de Harald Nickoll

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Datas: 18 e 19 de outubro (quinta e sexta-feira), às 20h

Ingressos: R$ 20 e R$10

    Na quinta-feira, dia 18, às 10h30, haverá ensaio aberto ao público, com entrada gratuita.

II Rock Livre Fest! Dois dias de festival: 20 e 21



8:23pm Oct 15

II Rock Livre Fest! Dois dias de festival: 20 e 21 de outubro, com início marcado pras 13 horas! Muito rock and roll na velha Rio Claro, no Barracão Lago Azul !
 
leia em facebook

Mombojó lança o álbum “Mombojó 11º Aniversário” no SESC Pompeia






Nos dias 19 (sexta) e 20 (sábado) de outubro, o Mombojó apresenta o seu novo trabalho “Mombojó 11º Aniversário”, na Choperia do SESC Pompeia. O show faz parte da turnê de lançamento do novo álbum, CD que marca trajetória da banda e traz “Procure Saber”, faixa inédita.

Em “Mombojó 11º Aniversário”, o quarto e mais recente disco, o grupo pernambucano faz um balanço de sua primeira década à luz de duas gerações de reinvenção artística em Pernambuco. No novo CD, o Mombojó revisita músicas de seus três primeiros álbuns (“Nadadenovo”, 2004, “Homem Espuma”, 2006, e “Amigo do Tempo”, 2010) para criar uma espécie de manifesto sobre esta nova maturidade recifense. O novo trabalho traz a participação de convidados ilustres, como o pianista Vítor Araújo, Cannibal, vocalista da banda Devotos, China, Bruno Ximarú, Igor Medeiros e da Nação Zumbi.

A banda pernambucana, formada em 2001, sobe ao palco e mostra a linguagem do novo disco, com arranjos diferenciados e novas roupagens aos sucessos que marcaram a trajetória do grupo. Durante o show, os pernambucanos tocam, pela primeira vez, a música “Procure Saber”. A canção foi composta há anos e não foi gravada em nenhum álbum do Mombojó, tem letra de Felipe S. e música do vocalista em parceria com o ex-integrante do Mombojó, Marcelo Campello.

O quarteto formado por Felipe S. (vocal e guitarra), Chiquinho Moreira (teclado e samplers), Marcelo Machado (guitarra) e Vicente Machado (bateria e samplers) divide o palco com Missionário José (Volver, Projeto Lado A Lado B e produtor músical da Jardel Music), como baixista convidado.

Informações:

Dias: 19 e 20 de outubro

Local: Choperia do SESC Pompeia

Horário: 21h30

Ingressos: R$20 (inteira)

            R$10 (usuário inscrito no SESC e dependentes +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante)

          R$ 5 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no SESC e dependentes)

sábado, 13 de outubro de 2012

Flávio Renegado lança novo disco Minha Tribo é o Mundo, nesta terça-feira dia 16 na capital paranaense.




Desde sua estreia, em 2008, Flávio Renegado parecia prever que suas músicas percorreriam o mundo. Intitulado “Do Oiapoque a Nova York”, o CD foi lançado de forma independente, vendeu mais de 7 mil cópias e o levou a turnês por Cuba, França, Inglaterra, Espanha e Austrália, além de percorrer dezenas de cidades brasileiras. Esse processo foi crucial para o desenvolvimento de seu novo trabalho, “Minha tribo é o Mundo”.

Produzido por Plínio Profeta - que já trabalhou com Lenine, Tiê e O Rappa - e gravado no Rio de Janeiro, o CD apresenta uma sonoridade mais urbana e influenciada pela multiplicidade dos movimentos sonoros contemporâneos. Sem se prender a limites geográficos, sua música dialoga com batidas africanas, ritmos caribenhos, texturas do hip hop norte-americano, a energia da música eletrônica e a malandragem do samba. Uma prévia dessa diversidade pôde ser conferida na faixa-título, primeira música de trabalho do CD, disponibilizada para download gratuito na página do artista no Facebook junto de seu videoclipe. Com participações de artistas como Donatinho e Edu Krieger.

Enquanto a música transforma a vida de Flávio Renegado e o leva a circular por todo o Brasil e no exterior, também altera aqueles que são tocados por ela, restando a certeza de que gostando ou não, ninguém ficará indiferente às suas obras. Não por acaso, nos últimos anos Renegado esteve ao lado de alguns dos mais originais artistas da cena musical brasileira, do virtuosístico guitarrista Toninho Horta ao astro da MPB Lenine, assim como aclamados novos nomes da música brasileira como a cantora Aline Calixto e o vanguardista Fernando Catatau, do Cidadão Instigado.
Se a diversidade de parceiros aponta a inquietação de Flávio Renegado, sua extensa produção por outras áreas confirma sua vocação artística. Rapper, compositor, instrumentista, poeta, ator e líder comunitário, Flávio Renegado partiu dos estreitos becos do Alto Vera Cruz (comunidade carente da cidade de BH) para tomar o mundo de assalto com seu trabalho que tira o hip hop do gueto e abraça as mais diversas influências.

Ciente de sua capacidade de criação e movimentação por diferentes manifestações artísticas, ele parece ter noção de não pertencer a nenhum gênero específico, nenhuma classe artística definida, nenhuma região. Ao mesmo tempo, absorve todas elas. Um paradigma que explicita no título do novo CD e que deixa no ar as possibilidades que estão por vir ao dizer que “Minha tribo é o mundo”.

Flávio Renegado, desembarca pela primeira vez na capital paranaense para o lançamento do seu segundo albúm ‘’Minha Tribo é o Mundo’’. Com um show contagiante o rapper promete balançar a cidade de Curitiba. Para completar o baile os DJs THD e Alienação Afrofuturista.

Sobre Flávio Renegado
Artista mineiro nascido e criado na favela Alto Vera Cruz, na cidade de Belo Horizonte. Autodidata, o músico começou a cantar aos 13 anos, ao mesmo tempo em que deu início à sua atuação em movimentos sociais. Em 1997, foi um dos fundadores do grupo de rap NUC (Negros da Unidade Consciente), com o qual se apresentou por todo o Brasil e em países da América do Sul, África e Cuba. Posteriormente, o NUC tornou-se uma ONG, presidida por Flávio, que desenvolve trabalhos sócio- culturais junto a jovens de comunidades carentes com o foco principal nos jovens do Alto Vera Cruz.
A partir de 2006, passou a se dedicar à carreira solo e desde então vem acumulando uma bagagem de shows e participações em apresentações de outros artistas. Em sua carreira solo, Flávio Renegado investe na incorporação de outras referências musicais como reggae, maracatu, música cubana, samba além de outras influências da cultura típica brasileira e de tradições regionais, sem, no entanto, abandonar características do tradicional rap norte-ameri- cano e o apelo social do rap brasileiro.
Ouça: http://flaviorenegado.com.br/site/
SERVIÇO:

Lançamento do albúm MINHA TRIBO É O MUNDO - Flávio Renegado
Data: 16 de outubro de 2012
Local: Jokers
Endereço: Rua São Francisco, 164 - Curitiba/PR
Telefone: 41. 3324.2351 e 3013.5164
Site:http://www.jokers.com.br/
Ingressos: R$ 10,00

21/10 DIA NACIONAL DO OLHO SECO APOS CONVIDA PARA A 2ª CAMINHADA FALANDO DE OLHO SECO



APOS convida para a

2a. Caminhada Falando de Olho Seco



Dia Nacional de Conscientização Sobre a Síndrome do Olho Seco

terá caminhada no Parque do Ibirapuera no dia 21 de outubro,

domingo, a partir das 9h.





Com o objetivo de divulgar e ampliar o conhecimento da população sobre os sintomas, tratamentos e ainda dar dicas de prevenção de uma doença crônica que atinge 30% da população mundial, a APOS- Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco organiza a 2a. Caminhada Falando de Olho Seco, no dia 21 de outubro no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. A concentração está marcada para a Avenida dos Planetários, que fica entre o Museu Afro Brasil e o planetário.



A partir das 9 horas da manhã os oftalmologistas que fazem parte da APOS estarão no local para atender as duvidas da  população.



A partir das 10h30 serão distribuídas camisetas para os que quiserem participar da caminhada pelo parque, que terá início a0s 11h da manhã. O encerramento do encontro está previsto para as 13h.



O olho seco é uma doença crônica, caracterizada pela diminuição da produção da lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes, ou seja, pouca quantidade e/ou má qualidade da lágrima. Este distúrbio no filme lacrimal e na superfície ocular pode produzir áreas secas sobre a conjuntiva e córnea.



Os sintomas são de ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar condicionado ou em frente do computador e olhos embaçados ao final do dia. Se detectada no início, a doença pode ser controlada, mas deixá-la sem tratamento pode acarretar danos a córnea e a conjuntiva com o aparecimento de lesões.

 

Ao som do jazz

Para os que apreciam uma boa música, no dia anterior, 20 de outubro, sobe ao palco do Espaço Off Set a Doctor’s Band, para o terceiro Oftalmo Music, que terá renda de convites revertida para a APOS. Os ingressos custam R$ 40,00 e o Espaço Off Set

fica na Rua Ferreira de Araújo, 589, em Pinheiros.  Para maiores informações sobre a compra dos ingressos estão disponíveis um endereço eletrônico e um número celular. São eles: oftalmomusic@gmail.com / 99906.4443

sábado, 6 de outubro de 2012

Carbona + Gramofocas + Magaivers gravando DVD ao vivo no Hangar 110!!!







Os ingressos para o show de São Paulo no dia 17 de novembro já estão à venda no site do Hangar para aqueles que queremcomprar adiantado. Fiquem ligados nas instruções e a gente se encontra no dia 17!

http://hangar110.com.br/

SONS DA ÍNDIA TOUR BRASIL 2012








Um dos maiores percucionistas do sudeste da Índia pela primeira vez no Brasil. Deva Dharma é dono de um talento musical de arrancar aplausos e sua voz nos transporta para um universo repleto de espiritualidade e devoção pelo que faz.

ACOMPANHE O CIRCUITO do SONS DA ÍNDIA no BRASIL

GUARULHOS SP
DIA 18 OUT as 20h
ANFITEATRO PEDRO DIAS GONÇALVES
RUA JOÃO GONÇALVES, 439 CENTRO 
* Troque seu ingresso por alimento não perecível
Ligue para: 2408 3725 STUDIO MARIA LOKA (Posto de Arrecadação) e saiba quais alimentos doar

SÃO PAULO SP
DIA 19 OUT as 20h
CENTRO CULTURAL DA ÍNDIA
ALAMEDA SARUTAIA, 380 JARDINS
ENTRADA FRANCA (limite de 100 lugares)

PINDAMONHANGABA SP
DIA 20 OUT as 20h
CENTRO CULTURAL ACHARYADEVA
RUA FRANCISCO PIORINO, 107 CENTRO
INGRESSOS a R$20 reais
Ponto de venda (LANCHONETE JAY PRASADA no SHOPPING do centro)
INFORMAÇÕES - 

SAO JOSÉ DOS CAMPOS
dia 25 OUT as 19:30h
ESPAÇO de CULTURA INDIANA
Rua General Osório, 48 Vila Ema
INGRESSOS a R$25
INGRESSOS DISPONIVEIS no RESTAURANTE KRSNA (FONE: 12 3911 3784)

CURITIBA
dia 23 OUT as 21h
GANDIVA YOGA ASHRAM
Rua Barão de Guaraúna, 673, Juvevê
INGRESSOS a R$25 reais
INGRESSOS DISPONÍVEIS no LOCAL
Fone 41 3039-1519

RIO DE JANEIRO
dia 26 OUT as 19:30h
CENTRO CULTURAL GOVINDA
Rua Rodrigo Silva, 6 3º and Centro
INGRESSOS A R$30 reais
RESERVE JÁ O SEU!
Fone: 3549 9108

BELO HORIZONTE
01 NOV as 20h
CONSERVATÓRIO da UFMG
INGRESSOS a R$30 (inteira) e R$15 (meia)
Posto de venda - Templo Hare Krishna de BH
Informações - 31 8482 0392 

RECIFE
dia 09 NOV as 19:30h
AUDITÓRIO J da UNICAP (Rua da Soledade)
INGRESSOS a R$30 (inteira) e R$15 (meia)
INGRESSOS ANTECIPADOS  no RESTAURANTE GOVINDA (Fone: 3221 4202)
INFORMACÕES: 81 9696 0182 ou  81 9755 3279
 
REALIZAÇÃO
ASSOCIACAO FESTIVAL DA INDIA
 
Informações: Vaikuntha Murti Das, 11 99863 6551, vaikmurti@hotmail.com


quarta-feira, 3 de outubro de 2012

CAIXA CULTURAL CURITIBA BOTA O VIOLONCELO PARA SAMBAR





Maestro Jaques Morelenbaum mistura o erudito e o popular em show com o Cello Samba Trio





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 12 a 14 de outubro, o show de Jaques Morelenbaum com o seu instrumental Cello Samba Trio, pela primeira vez na capital paranaense. Nesta apresentação o samba ganha o sabor intimista da música de câmara, sendo o Cello (violoncelo) de Jaques o protagonista.



Instrumentista, arranjador, violoncelista e compositor, Jaques Morelenbaum ajudou a escrever a virtuosa trajetória da música brasileira com parcerias com nomes como Tom Jobim, Caetano Veloso, Ivan Lins e Gilberto Gil. “Neste show, eu abraço o samba, ele é quem representa melhor a vasta diversidade cultural deste país”, comenta Morelenbaum. “O repertório reúne as músicas mais queridas por nós, para as quais o tempo não passa”, complementa.



Ao lado do violonista Lula Galvão e do baterista Rafael Barata, o maestro combina o timbre doce do violoncelo e sua flexibilidade entre articulações gingadas, com a poesia melódica de composições como: “Eu Vim da Bahia” (Gilberto Gil), “Coração Vagabundo” (Caetano Veloso), “Retrato em Branco e Preto” (Tom Jobim e Chico Buarque), “Receita de Samba” (Jacob do Bandolim) e “Bim Bom” (João Gilberto). O trio já excursionou em festivais como o Kriol Jazz Festival (Cabo Verde), o Goyaz Jazz Festival (Goiânia) e o Festival de Jazz de Ouro Preto, entre outras cidades.



Sobre Jaques Morelenbaum:

Carioca, iniciou sua carreira musical no grupo A Barca do Sol, além de participar como violoncelista de produções fonográficas de Tom Jobim, Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Maria Bethania e Chico Buarque, entre outros. Foi integrante da Nova Banda, de Tom Jobim, colaborou com o cantor e compositor Sting em seu álbum “All this time…”, gravado com uma banda internacional, ao vivo, na Toscana (Itália). Neste mesmo ano foi agraciado com o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira, pela produção do álbum “Livro”, de Caetano Veloso.



Participou, como arranjador, de vários álbuns de Tom Jobim, Caetano Veloso, Gal Costa, Beto Guedes e João Bosco, entre outros. Escreveu os arranjos para “Titãs - Acústico”, álbum que atingiu a vendagem de 1,5 milhão de cópias no Brasil.



No cinema, compôs e produziu, com Caetano Veloso, as trilhas sonoras para “O Quatrilho” e “A Paixão de Jacobina” (Fábio Barreto), que concorreu ao Oscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, “Tieta do Agreste” e “Orfeu do Carnaval”, ambos de Cacá Diegues. Com Antonio Pinto, compôs a trilha do longa-metragem “Central do Brasil” (Walter Salles), trabalho pelo qual recebeu o Prêmio Sharp de melhor trilha sonora para o cinema. Em 2001, participou do filme “Fale com Ela” (Pedro Almodóvar) interpretando com Caetano Veloso a canção “Cucurucucu Paloma”.



Compôs para o filmes “Paid”, do diretor holandês Laurence Lamers, e colaborou como violoncelista na gravação de trilhas de outros compositores, como Leo Gandelman, para os filmes “Moacir Arte Bruta“ e “Budapeste”, ambos de Walter Carvalho.



Serviço:

Jaques Morelenbaum e Cello Samba Trio

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 12 a 14 de outubro de 2012 (sexta-feira a domingo)

Hora: sexta-feira e sábado às 20h e domingo às 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia - conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Villa Country recebe Munhoz e Mariano pela primeira vez



Em noite especial, dupla lança o DVD “Ao Vivo em Campo Grande II”

Chegou o dia mais esperado do ano: Munhoz e Mariano pisam pela primeira vez no palco da Villa Country, em São Paulo, no dia 4 de outubro. Consagrados mundialmente com o hit “Camaro Amarelo”, os artistas apresentam o show de lançamento do DVD “Ao Vivo em Campo Grande II”, gravado em maio na capital do Mato Grosso do Sul para um público de noventa mil pessoas. A concepção do espetáculo é basicamente a mesma montada para o evento em questão: cenário high tech, alta tecnologia e efeitos visuais associados a um repertório que é sinônimo de sucesso.

Com apresentação inédita, a dupla mostra as novas canções “Casa Amarela”, “Grita Amor”, “Dois Mundos”, “A Bela e o Fera”, “Sorte que a gente tem a vida inteira”  e, claro, “Camaro Amarelo”, que já figura entre as mais tocadas do país. E não para por aí. Músicas como “Sexto Sentido”, “Fim de Semana”, “Eu vou pegar você e tãe” e “Sonho Bom”  também estarão no show.

Com a pegada mais dançante, Munhoz e Mariano cantam e encantam os seus fãs com apenas quatro anos de estrada. E nesta primeira quinta-feira do mês, os sertanejos comandam a noite da casa mais sertaneja do Brasil, com simpatia e gingado pra ninguém botar defeito.



Serviço

Show: Munhoz e Mariano
Data: 04/10/2012
local: Av. Francisco Matarazzo, 774, Parque da Água Branca – São Paulo;
horário: abertura da casa – 20h; show – 0h00;
telefone: 0xx11 3868 5858
site: www.villacountry.com.br
formas de pagamento: Visa, Visa Electron, Máster Card, Diners Club e Rede Shop. Não aceita cheque.
censura: 18 anos;
capacidade: 5000 pessoas
ar condicionado: sim;
área para fumantes: sim;
acesso para deficientes: sim;
aberturas: Restaurante e American Bar – 20 horas - Demais ambientes – 23 horas até 6 da manhã;

Preços: R$ 70,00 (segundo lote - pista)

*Valores sujeitos a alterações na mudança de lote

Camerata faz concertos didáticos para alunos das escolas municipais






O programa “Alimentando com Música”, criado pela Camerata Antiqua de Curitiba com o objetivo de difundir entre os alunos de escolas municipais a linguagem da música erudita, tem uma nova edição neste mês de outubro. Aproximadamente 2 mil crianças assistirão às apresentações do espetáculo “Alegria da Vida”, a partir desta terça até sexta-feira (2 a 5), na Capela Santa Maria Espaço Cultural.

Com regência do violinista mineiro Rodrigo Toffolo, o repertório reúne obras do cancioneiro infantil brasileiro, assinadas por alguns dos principais compositores nacionais. As apresentações são estruturadas de forma cênica e educativa, de maneira a atrair a atenção do público infantil. O mesmo espetáculo foi apresentado em junho deste ano, para 2.200 alunos de 50 escolas municipais.

Os concertos didáticos, promovidos pela Fundação Cultural de Curitiba e Instituto Curitiba de Arte e Cultura, em parceria com a Secretaria Municipal da Educação, por meio do programa Comunidade Escola, e a Fundação de Ação Social de Curitiba (FAS), são um exercício de cidadania e aprendizado, envolvendo músicos, alunos de várias escolas e seus mestres. Além de possibilitar às crianças o conhecimento e o funcionamento de uma orquestra, a iniciativa pretende despertar nesses jovens estudantes a curiosidade a respeito do repertório erudito e aproximá-los desse vasto e rico universo musical.

Em “Alegria da Vida” estão composições de Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Francis Hime, Edu Lobo, Paulo Soledade, Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle, Nelson Motta e do curitibano Marco Aurélio Koentopp, que também responde por todos os arranjos do repertório. Completam o programa duas canções da tradição oral e de autores desconhecidos, “Escravos de Jô” (folclore) e “Estrelinhas”, essa última contando com a participação especial dos alunos violinistas Jeasy Parreira de Assis e João Pedro Ruthes Kimura.

Compositor paranaense – Entre as obras que integram o “Alimentando com Música 2012” consta “O Relógio”, uma parceria de Vinícius de Moraes (1913 – 1980) com o paranaense Paulo Soledade (1919 – 1999). Nascido em Paranaguá, Paulo Gurgel Valente do Amaral Soledade esteve envolvido com a música desde a infância, embora sua primeira atividade artística tenha sido como ator. Foi compositor, produtor de shows e empresário, atuando desde 1940.

Em 1950, Soledade teve sua primeira composição gravada – a marcha "Zum-zum", com Fernando Lobo – lançada por Dalva de Oliveira pela Odeon, que foi o grande sucesso do carnaval do ano seguinte. Desenvolveu uma produtiva parceria com Vinícius de Moraes, compondo com ele as músicas "O Pato" e "O Relógio”, que integraram o LP "A Arca de Noé" (1980), e, no ano seguinte, "O Peru", "O Pinguim" e "A Formiga", gravadas no disco "A arca de Noé - volume 2".



Convidados – Na edição 2012 do “Alimentando com Música”, a Camerata Antiqua de Curitiba tem como regente convidado o violinista Rodrigo Toffolo. Nascido em Ouro Preto (MG), o músico é formado em violino pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Musicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Integrante do grupo de câmara Bateia, com pesquisa e interpretação de música brasileira, Toffolo fundou a Orquestra Experimental UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, da qual é regente e coordenador artístico. Aluno de regência de Ernani Aguiar, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, o músico tem participações em vários festivais brasileiros e dedica-se à música histórica de Minas Gerais.

A direção cênica do espetáculo “Alegria da Vida” está a cargo da artista plástica curitibana Jacqueline Daher, que há 30 anos atua em todo o Brasil como diretora de arte na criação de ambientes cenográficos. 

Fundadora da Cia. das Índias de Teatro, junto com Raul Cruz, Jacqueline iniciou a vivência em teatro em 1983, com uma proposta de pesquisa experimental. A partir de 1994, passou a conceber e dirigir espetáculos para grupos instrumentais e cantores de música brasileira, entre eles Kátia Drummond, Eliane Keller, Grupo Fato, Sandra Ávila, Rogéria Holtz, Edith de Camargo, Michelle Pucci, Vocal Brasileirão e Coro da Camerata Antiqua de Curitiba.

O elenco de convidados do espetáculo “Alegria da Vida” inclui também a bailarina Marina Prado, o “clown” Matias Donoso e a instrumentista Grace Torres, que respondem por performances especialmente criadas para a ocasião. A iluminação é de Nádia Luciani e os figurinos foram criados por Heroína-Alexandre Linhares, sendo que a gravação em áudio é um trabalho de Ulisses Galetto.



Serviço:

Alimentando com Música – concertos dirigidos a crianças da rede municipal de ensino

Espetáculo “Alegria da Vida”

Datas e horários: dias 2 e 4, às 14h30 e às 15h30, e nos dias 3 e 5, às 9h30 e às 10h30.

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)



Programa

Abertura – Marco Aurélio Koentopp (1968)

“A história de uma gata” – Chico Buarque de Holanda (1944)

“O Ar (O Vento)” – Vinícius de Moraes (1913 – 1980) / Toquinho (1946)

“Passaredo” – Chico Buarque de Holanda (1944) / Francis Hime (1939)

“A Casa” – Vinícius de Moraes (1913 – 1980)

 “Estrelinhas” – compositor anônimo – com participação especial dos alunos violinistas Jeasy Parreira de Assis e João Pedro Ruthes Kimura

“Valsa dos Clowns” – Chico Buarque de Holanda (1944) / Edu Lobo (1943)

“O Relógio” – Vinícius de Moraes (1913 – 1980) / Paulo Soledade (1919-1999)

“Escravos de Jó” (folclore) – compositor anônimo

“Alegria da Vida” – Marcos Valle (1943), Nelson Motta (1944) e Paulo Sérgio Valle (1940)

Finale – Marco Aurélio Koentopp (1968)