segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Escola e educação musical: (Des)caminhos históricos e horizontes


Escola e educação musical: (Des)caminhos históricos e horizontes
de Rita Fucci-Amato

Coleção:     Papirus educação

Encadernação:     Brochura
Nº Páginas:     144

Público Alvo:     Professores de música, estudantes de graduação (Música) e demais interessados nessa temática.

           

O LIVRO


Este livro traça um panorama da história do ensino de música na escola brasileira, desde seus primórdios até a atualidade, marcada por sua obrigatoriedade na educação básica, como parte da disciplina de arte.

No Brasil, de sua chegada oficial à escola regular, no século XIX, a educação musical passou por numerosas transformações de forma e substância, trilhando diversos caminhos quanto a propostas metodológicas, embasamentos filosóficos e concepções sociológicas. Em uma revisão crítica dos processos de ensino e aprendizagem, a obra analisa essa trajetória, contemplando desde paradigmas educacionais históricos, como o projeto de ensino de canto orfeônico empreendido por Villa-Lobos na Era Vargas, até as mais recentes tendências do pensamento pedagógico, que apontam a necessidade de a escola considerar os desafios da multiculturalidade, da tecnologia, da qualificação docente e do desenvolvimento de saberes, habilidades e competências.

Conteúdo


PREFÁCIO
Luciana Del-Ben

PRELÚDIO

FUGA

PARTE I - (DES)CAMINHOS HISTÓRICOS

1. A CHEGADA DA EDUCAÇÃO MUSICAL À ESCOLA BRASILEIRA
Primórdios da educação musical no Brasil
A educação musical chega à escola

2. INTERLÚDIO: VILLA-LOBOS E O CANTO ORFEÔNICO
O nacionalismo musical
A Escola Nova
O canto orfeônico na educação musical escolar
Origens do canto orfeônico no Brasil
O material didático: Guia prático, Solfejos e Canto orfeônico
As funções sociais do canto coletivo
A questão ideológica
Síntese: O projeto villalobiano

3. AS ÚLTIMAS DÉCADAS E O MARCO ATUAL
Da educação musical à educação artística
Da educação artística à arte
Consolidando a música na escola
Desafios e perspectivas na visão de educadores musicais

PARTE II - HORIZONTES

4. DEZ DESAFIOS DA EDUCAÇÃO MUSICAL NA ESCOLA BRASILEIRA
Preparar o educador
Valorizar a matéria
Propiciar o acesso à(s) cultura(s)
Lidar com as mudanças culturais
Desenvolver saberes, habilidades e competências
Integrar teoria e prática
Trabalhar a interdisciplinaridade
Praticar a multiculturalidade
Integrar a tecnologia
Expandir-se para além da escola

CODA




Saiba mais sobre
clique aqui http://www.ritafucciamato.blogspot.com/

Sobre Rita Fucci-Amato

Maestrina, pós-doutora em Gestão pela USP. Doutora e Mestre em Fundamentos Históricos, Filosóficos e Sociológicos da Educação (UFSCar) e Especialista em Fonoaudiologia (UNIFESP). Autora dos livros "A voz do líder: arte e comunicação nos palcos da gestão", "Manual de Saúde Vocal: teoria e prática da voz falada para professores e comunicadores", "Escola e Educação Musical: (des)caminhos históricos e horizontes" e "Memória Musical: Retratos de um Conservatório".


LANÇAMENTO



quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Coro da Camerata apresenta “O Magnum Mysterium”







            Sob a regência da maestrina venezuelana Maria Guinand, o Coro da Camerata Antiqua de Curitiba apresenta neste fim de semana o concerto “O Magnum Mysterium”, em que serão executadas diferentes versões do cântico sobre o mistério do nascimento de Jesus e a pureza da Virgem Maria. O concerto é uma homenagem à cantora lírica Neyde Thomas, no mês em que se completa um ano de sua morte. As apresentações acontecem sexta-feira (17), às 20h, e sábado (18), às 18h30, na Capela Santa Maria.

            Serão apresentadas as canções de seis  compositores do século 16 – Pedro de Cristo, Cristóbal de Morales, William Byrd, Giovanni Pierluigi da Palestrina, Giovanni Gabrieli e Tomás Luis de Victoria. O mistério da concepção de Jesus é um dos temas utilizados por inúmeros compositores daquele período, sendo que cada um explorou a musicalidade dos versos bíblicos conforme seus estilos característicos. O concerto possibilita conhecer essas variações.

Na segunda parte, o Coro da Camerata interpreta quatro madrigais de Claudio Monteverdi e finaliza com o “Gloria” a sete vozes, do mesmo compositor. Os madrigais foram as formas mais utilizadas por Monteverdi. Esse gênero é proveniente da Itália renascentista e baseia-se em poemas de temática amorosa, cuja música se destacava pela expressividade. Os madrigais também se prestavam a pequenas cenas operísticas. Mas uma das obras mais interessantes de Monteverdi no repertório da Camerata é o “Gloria”, que faz parte da coleção de música sacra “Selva Morale e Spirituale”, publicada em Veneza entre os anos de 1640 e 1641 e considerada a mais importante antologia de obras litúrgicas desse compositor.

Para dirigir o espetáculo, o Coro da Camerata trouxe como regente convidada a maestrina Maria Guinand, professora universitária e promotora de muitos projetos corais na Venezuela. É diretora de quatro importantes grupos venezuelanos - a Cantoría Alberto Grau, o Orfeón Universitario Simón Bolívar, a Schola Cantorum de Caracas e o Coral de La Fundación Polar, com quem ela tem feito muitas gravações e viagens internacionais. No âmbito da promoção de projetos, atua como primeira vice-presidente da Federación Internacional para la Musica Coral e Membro do Comitê Ejecutivo del Consejo Internacional de la Musica (UNESCO).

A temporada 2012 do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba conta com o patrocínio do Ministério da Cultura e da Volvo.



Serviço:

Coro da Camerata Antiqua de Curitiba – O Magnum Mysterium, sob a regência de Maria Guinand

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural  (R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Datas e horários: 17 e 18 de agosto de 2012. Sexta-feira, às 20h, e sábado, às 18h30

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

terça-feira, 14 de agosto de 2012

''A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol''




A quarta edição do projeto Radar “A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol” traz para Curitiba, o londrinese Bruno Morais,cantor, compositor e produtor Bruno lança Tudo em Vinil na capital paranaense no proximo dia 23 quinta-feira no Teatro Paiol.

O show recém criado especialmemte para celebrar o lançamento em vinil de seu inspirado álbum, "A Vontade Superstar"(2009) e ainda seus dois compactos chamados “Estúdio A”(2010) e o de inéditas "Estúdio A.2" (dez/2011) em versão expandida.

No repertório duas novíssimas faixas: “Ela e Os Raios” (Bruno Morais/ Guilherme Held) e e versão para “Sorriso Dela” (Erasmo Carlos e Roberto Carlos) que gravou com Bixiga 70 de banda base , que você pode escutar aqui: , algumas inéditas como “E o Mundo vai” (parceria inédita de Romulo Fróes e Lulina) e claro algumas faixas de "A Vontade Superstar" com novidades nos arranjos.

Bruno Morais, com sua voz mansa, João Gilbertiana, cheia de faíscas, sofisticação e conteporaneidade vem encantando e hinotizando plateias e músicos por onde passa e colecionando admiradores atentos do mundo todo. Ele já cantou em disco do Kiko Dinucci (“Na Boca dos Outros”, 2009), tem Guizado Man como trompetista e colaborador de quase tudo que grava, produziu “Taxi Imã” junto com Pipo Pegoraro. Participou de varios shows especiais coletivos ao lado de artistas de sua “geração” como Bixiga 70, Kiko Dinucci, Lulina, Rodrigo Campos, Luisa Maita, Blubell, Tulipa Ruiz, Emicida, Flip Grater, Karina Buhr, Marcelo Jeneci, etc. Tem parceria gravada com a lenda viva do soul Americano Leon Ware (Marvin Gaye, Quincy Jones, Ike and Tina, Maxwell…). “A Vontade Superstar” acaba de ser lançado na Europa (2 june 2012) pelo selo Black Brown & White e contou com colaboradores de peso como Marcelo Jeneci em quase todos os pianos eletricos e syths do disco, Toby Laing (Fat Freddy’s Drop), Vitamin D (beat maker de nomes como Blackalicious e Chali2na) e XXXChange (Spank Rock).

Foi apontado pelos jornais Folha de São Paulo, O Globo e Estado de São Paulo como um dos expoentes da nova música produzida no Brasil. O Album "A Vontade Superstar" figurou em muitas das mais importantes listas de melhores do ano de lançamento do mesmo e foi eleito o segundo melhor do ano pela Radio Eldorado ao lado de nomes como Arnaldo Antunes e Maria Bethânia.
Ouça aqui: http://soundcloud.com/brunomorais

A Vontade - Bruno Morais

O projeto ‘’Radar - A nova música brasileira nos 40 anos doTeatro Paiol’’ traz mensalmente á Curitiba artistas relacionados à música contemporânea brasileira que integrarão a programação dos 40 anos do Teatro Paiol. No total serão realizadas 09 edições de Radar, o projeto teve sua estréia em maio com a cantora Anelis Assumpção e já marcaram presença nomes como Lira e Pélico. O projeto é idealizado e realizado pela Verdura Produções Culturais e tem como principal objetivo a formação de público e o intercâmbio musical entre os artistas.

O projeto com com o apoio cultural da Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba, Lumen FM, Serra Verde Express, BWT Operadora, Jacobina Restaurante, Cia do Impresso, Simetria Gráfica e Meio Fio Cultural, YáYó Produções, Bob’s, Cenário Novo, Cena Low-Fi, Balcava Filmes, Tudo que se Ouve, EM Cenários e Singelida Produções.

       
       
       
Serviço:

O que?
Radar - A nova música brasileira nos 40 anos do teatro Paiol convida Bruno Morais.
Data: 23 de agosto (Quinta-feira)
Onde: Teatro Paiol
Endereço: Praça Guido Viaro S/N
Horario: 20:30h
Telefone: 3213-1340
Ingressos: R$ 20,00 Estudantes, Professores, Idosos, Doadores de 1Kg de Alimento, Doadores de Sangue e Deficientes fisicos.
R$ 40,00 inteira.''A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol''

A quarta edição do projeto Radar “A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol” traz para Curitiba, o londrinese Bruno Morais,cantor, compositor e produtor Bruno lança Tudo em Vinil na capital paranaense no proximo dia 23 quinta-feira no Teatro Paiol.

O show recém criado especialmemte para celebrar o lançamento em vinil de seu inspirado álbum, "A Vontade Superstar"(2009) e ainda seus dois compactos chamados “Estúdio A”(2010) e o de inéditas "Estúdio A.2" (dez/2011) em versão expandida.

No repertório duas novíssimas faixas: “Ela e Os Raios” (Bruno Morais/ Guilherme Held) e e versão para “Sorriso Dela” (Erasmo Carlos e Roberto Carlos) que gravou com Bixiga 70 de banda base , que você pode escutar aqui: , algumas inéditas como “E o Mundo vai” (parceria inédita de Romulo Fróes e Lulina) e claro algumas faixas de "A Vontade Superstar" com novidades nos arranjos.

Bruno Morais, com sua voz mansa, João Gilbertiana, cheia de faíscas, sofisticação e conteporaneidade vem encantando e hinotizando plateias e músicos por onde passa e colecionando admiradores atentos do mundo todo. Ele já cantou em disco do Kiko Dinucci (“Na Boca dos Outros”, 2009), tem Guizado Man como trompetista e colaborador de quase tudo que grava, produziu “Taxi Imã” junto com Pipo Pegoraro. Participou de varios shows especiais coletivos ao lado de artistas de sua “geração” como Bixiga 70, Kiko Dinucci, Lulina, Rodrigo Campos, Luisa Maita, Blubell, Tulipa Ruiz, Emicida, Flip Grater, Karina Buhr, Marcelo Jeneci, etc. Tem parceria gravada com a lenda viva do soul Americano Leon Ware (Marvin Gaye, Quincy Jones, Ike and Tina, Maxwell…). “A Vontade Superstar” acaba de ser lançado na Europa (2 june 2012) pelo selo Black Brown & White e contou com colaboradores de peso como Marcelo Jeneci em quase todos os pianos eletricos e syths do disco, Toby Laing (Fat Freddy’s Drop), Vitamin D (beat maker de nomes como Blackalicious e Chali2na) e XXXChange (Spank Rock).

Foi apontado pelos jornais Folha de São Paulo, O Globo e Estado de São Paulo como um dos expoentes da nova música produzida no Brasil. O Album "A Vontade Superstar" figurou em muitas das mais importantes listas de melhores do ano de lançamento do mesmo e foi eleito o segundo melhor do ano pela Radio Eldorado ao lado de nomes como Arnaldo Antunes e Maria Bethânia.
Ouça aqui: http://soundcloud.com/brunomorais

A Vontade - Bruno Morais

O projeto ‘’Radar - A nova música brasileira nos 40 anos doTeatro Paiol’’ traz mensalmente á Curitiba artistas relacionados à música contemporânea brasileira que integrarão a programação dos 40 anos do Teatro Paiol. No total serão realizadas 09 edições de Radar, o projeto teve sua estréia em maio com a cantora Anelis Assumpção e já marcaram presença nomes como Lira e Pélico. O projeto é idealizado e realizado pela Verdura Produções Culturais e tem como principal objetivo a formação de público e o intercâmbio musical entre os artistas.

O projeto com com o apoio cultural da Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba, Lumen FM, Serra Verde Express, BWT Operadora, Jacobina Restaurante, Cia do Impresso, Simetria Gráfica e Meio Fio Cultural, YáYó Produções, Bob’s, Cenário Novo, Cena Low-Fi, Balcava Filmes, Tudo que se Ouve, EM Cenários e Singelida Produções.
Confira as fotos da edição #3 com Pélico aqui
       
       
       
Serviço:

O que?
Radar - A nova música brasileira nos 40 anos do teatro Paiol convida Bruno Morais.
Data: 23 de agosto (Quinta-feira)
Onde: Teatro Paiol
Endereço: Praça Guido Viaro S/N
Horario: 20:30h
Telefone: 3213-1340
Ingressos: R$ 20,00 Estudantes, Professores, Idosos, Doadores de 1Kg de Alimento, Doadores de Sangue e Deficientes fisicos.
R$ 40,00 inteira.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Terça Brasileira apresenta “Café da Manhã à Luz de Velas”






O curitibano Isaac Dias sobe ao palco do Teatro do Paiol nesta terça-feira (14) para apresentar o show “Café da Manhã à Luz de Velas”. No repertório, composições do próprio Isaac e de Gustavo Bonin, que juntos buscam traduzir o cotidiano em forma de música e poesia. Integrando a tradicional programação do Terça Brasileira, a apresentação acontece a partir das 20h. Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10.

Isaac Dias integra atualmente a banda Sincopé, da qual também fazem parte alguns dos convidados da noite, que se apresentam ao lado do músico. Apostando em uma mistura de diferentes ritmos populares e temas relacionados ao dia a dia, o músico se isenta de rótulos e procura enfatizar a multiplicidade cultural com criatividade. 



Serviço:

“Café da Manhã a Luz de Velas” com Isaac Dias e convidados

Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho)

Data e horário: dia 14 de agosto de 2012 (terça-feira), às 20h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

sábado, 11 de agosto de 2012

JAIR RODRIGUES NA CAIXA CULTURAL CURITIBA







Cantor se apresenta em dois finais de semana





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta em agosto (17 a 19 e 24 a 26) o cantor Jair Rodrigues. Neste projeto, o cantor paulista apresenta um show repleto de bossa, com canções que ficaram consagradas em sua voz e canções reconhecidas em todo o mundo. O repertório conta com as imortais “Garota de Ipanema”, “Rosa”, “Você abusou”, “Disparada”, “Saudosa Maloca” e “Isso aqui o que é”.



Jair Rodrigues:

Paulista de Igarapava, Jair Rodrigues de Oliveira nasceu em 1939 e iniciou sua carreira em 1957, atuando como crooner em casas noturnas do interior de São Paulo. O primeiro disco saiu em 1962, com duas canções para a Copa do Mundo daquele ano: “Brasil Sensacional” e “Marechal da Vitória”. Em 1964, atingiu grande popularidade com sua interpretação da música "Deixa isso pra lá", de Alberto Paz e Edson Meneses, canção considerada precursora do rap brasileiro.



A incursão de Jair na Bossa Nova aconteceu em 1965, quando substituiu Baden Powell em show com a então estreante Elis Regina. A sua popularidade não se restringiu somente ao Brasil, tendo se apresentado em países como Portugal, Alemanha, França, Estados Unidos e Japão. Em 1971, se apresentou em Cannes com o grupo Os Originais do Samba e, nesse mesmo ano, gravou “Festa para um rei negro”, com o samba-enredo homônimo, da escola de samba carioca Acadêmicos do Salgueiro, um de seus grandes sucessos e um dos mais conhecidos refrões da história do carnaval brasileiro: “Ô lê lê, ô lá lá / pega no ganzê / pega no ganzá”.



Ainda nos anos 1970, gravou diversos LP, como “Orgulho de um sambista” (1973), “Eu sou o samba” (1975) e “Couro comendo” (1979). Na década de 1980, lançou os LP “Alegria de um povo” (1981), “Carinhoso” (1983), “Luzes do prazer” (1984) e “Jair Rodrigues” (1988), entre outros. Nos anos 1990, entre os CD gravados estão “Viva meu samba” (1994) e “500 anos de folia - 100% ao vivo” (1999). O cantor já teve seu talento reconhecido por importantes prêmios nacionais e internacionais, entre eles indicações ao Grammy Latino e prêmio Tim de Música. Jair completou este ano 73 anos de vida e 53 de carreira.



Serviço:

Jair Rodrigues

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 17 a 19 e de 24 a 26 de agosto de 2012 (sexta-feira a domingo)

Hora: sexta-feira e sábado, às 20h – domingo, às 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)