terça-feira, 31 de julho de 2012

Queen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos de Phil Sutcliffe


Queen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos

de Phil Sutcliffe


Páginas: 288
Formato: 23,5 cm x 28 cm



Em 1981, há exatos 30 anos, o Estádio do Morumbi, em São Paulo, tremeu como nunca – e não foi por causa do futebol. No auge de sua carreira, a banda inglesa Queen fez apresentações inéditas no país. Em duas noites consecutivas, o quarteto inglês levou ao delírio mais de 200 mil jovens brasileiros com aquele que seria o primeiro megaconcerto de suas vidas – um show de rock "de verdade", como nunca tinha sido realizado por aqui, com efeitos de luz deslumbrantes, som poderoso e a magnética presença de palco de Freddie Mercury e companhia. Não poderia haver uma iniciação melhor em termos de superevento: nenhuma outra banda foi tão eficaz em arrebatar estádios pelo mundo todo quanto o Queen.

Essa vocação para a grandiosidade, para o espetáculo dirigido a grandes públicos, fez do Queen um fenômeno de popularidade. Nem a passagem do tempo, nem o fim do banda, com a morte de Mercury, em 1991, foram capazes de lançá-la ao esquecimento. Ao contrário, seu nome se torna cada vez mais forte à medida que hits como We will rock you, We are the champions ou Love of my life se eternizam como clássicos do rock. Os segredos dessa fórmula de sucesso duradouro são esmiuçados em Queen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos, escrito e compilado pelo jornalista britânico Phil Sutcliffe.

Discografia completa e comentada

Além de recuperar entrevistas feitas por ele mesmo com integrantes da banda, Sutcliffe empreendeu uma ampla pesquisa em tudo o que já se publicou a respeito do Queen. A investigação, capaz de surpreender até os mais ardorosos e bem-informados fãs, se estendeu a ponto de resultar na coleta de um rico acervo iconográfico: o livro traz mais de 500 imagens de shows, fotos dos integrantes da banda e itens de memorabilia, tais como cartazes de shows, capas de disco, canhotos de ingresso e programas de concerto.

Outro destaque do volume é a discografia completada e comentada: cada álbum do Queen ganhou análises detalhadas assinadas por jornalistas especializados em rock, como Jim DeRogatis e Greg Kot (autores de The Beatles vs. The Rolling Stones: opiniões ruidosas sobre a grande rivalidade do rock'n'roll, outro lançamento recente da Globo Livros), ou por amigos próximos da banda. As influências da obra de Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon ecoam, ainda, nos depoimentos de artistas como Slash, guitarrista do Guns'N'Roses, e Tom Morello, do Rage Against the Machine, admiradores confessos do Queen.

O AUTOR


O jornalista inglês Phil Sutcliffe começou sua carreira como aprendiz do jornal Newcastle Evening Chronicle em 1970, e atuou como freelancer de reportagem e edição em revistas de música (Sounds, The Face, Smash Hits, Q Magazine, Mojo), jornais (LA Times), websites além de ocasionalmente trabalhar com rádios e na TV. Entre seus livros, Phil escreveu a biografia de grandes bandas como The Police e AC/DC, além do livro sobre o Queen.     




 UM LANÇAMENTO


sexta-feira, 27 de julho de 2012

TELAS, TRAMAS E TRAPAÇAS DO NOVO MUNDO NA CAIXA CULTURAL CURITIBA






Novo show de Nei Lisboa mescla canções novas com antigos sucessos do músico gaúcho





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, na próxima sexta-feira (3), sábado (4) e domingo (5). O show “Telas, tramas e trapaças do novo mundo”, do músico gaúcho Nei Lisboa, que vai alinhar o repertório inédito e recente com as suas canções de maior sucesso, equilibrando o roteiro entre os conceitos de inovação e releitura de uma trajetória.



A instrumentação da banda atende a essa dualidade e, sobretudo, cai no gosto dos amantes da moderna MPB e do jazz, com a percussão de Giovanni Berti, o piano elétrico de Luiz Mauro Filho, o baixo acústico de Clovis Freire, a guitarra de Paulinho Supekovia e o clarinete e saxofone de Marcelo Piraino.



Com nove discos na carreira, entre outras tantas coletâneas, e interpretado por vozes como Caetano Veloso, Zelia Duncan e Ná Ozetti, Nei Lisboa construiu, nas últimas três décadas, uma obra musical moderna, urbana, reflexiva e atenta aos signos do seu tempo.



Embora alicerçado na performance musical, “Telas, tramas e trapaças do novo mundo” também pode ser entendido como um texto, crítico e propositivo, das relações contemporâneas mediadas pela internet e a virtualidade.



Ficha Técnica:

Voz e Violões: Nei Lisboa

Guitarra e violão: Paulo Supekovia

Piano/teclado: Luiz Mauro Filho

Percussão: Giovani Berti

Baixo Acústico: Clovis Boca Freire

Sopros: Marcelo Piraino



Serviço:

Nei Lisboa em “Telas, tramas e trapaças do novo mundo”

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 03 a 05 de agosto de 2012 (sexta-feira a domingo)

Hora: sexta e sábado, às 20h – domingo, às 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

O 'Baile do Bixiga70' volta a esquentar o tradicional bairro do Bixiga, onde nasceu a banda.



Depois de shows aclamados em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Garanhuns, o Bixiga70 volta pra terra da garôa com "sede de baile"! Em show extenso, com versões de músicas de Luiz Gonzaga, Antibalas, Os Tincoãs, Soul Jazz Orchestra e Fela Kuti, além da participação de alguns dos DJs mais conceituados da cidade agitando as duas pistas da casa. O Baile promete!

Programação

    Pista 1:
    0h/2h - Paulão
    2h/4h - Bixiga70
    4h/6h - MZK

    Pista 2:
    23h/5h - Veneno Sound System

Evento no Facebook : https://www.facebook.com/events/402143353176952/

Serviço:
Local: Sambarylove (R. Rui Barbosa, 42 - Bixiga)
Data: 28/07/2012
Horário: 23h
Preço:
Lista R$15,00
* Atenção *
os nomes na lista serão válidos para entrada até as 00:30h
email: lista.bailebixiga70@gmail.com ... (nome na lista só por e-mail)

Na porta:
R$ 25,00

Venda de Camisetas e CD do BIXIGA70!

- ACEITA VISA E MASTERCARD -
Será exigida a apresentação de documento de identidade (proibida a entrada de menores 18 anos)

TIQUEQUÊ COMEMORA 10 ANOS DE CARREIRA E LANÇA O DVD INFANTIL TU TOCA O QUÊ?






O grupo de música mistura elementos das danças brasileiras,

das brincadeiras populares, da percussão corporal e do teatro

em trabalho dedicado ao universo infantil. Grupo apresenta pockets shows gratuitos.



O grupo Tiquequê comemora 10 anos de carreira com o lançamento de seu primeiro DVD “Tu Toca o Quê?”, gravado ao vivo durante uma apresentação no Teatro Alfa, em São Paulo.



São apresentados durante o show diversos arranjos musicais, combinando instrumentos tradicionais – violões, cavaquinhos, escaleta e vozes – com percussão corporal, baldes, caixas de CDs e outros objetos, mostrando às crianças que a criação musical pode se alimentar de diferentes fontes sonoras. O grupo traz elementos das danças brasileiras, das brincadeiras populares, da percussão corporal, do teatro e das histórias para fazer com que CAPA LADO72.jpg  “Tu Toca o Quê?” seja mais que um simples show de música. A riqueza visual do espetáculo é reforçada por um cenário interativo e tridimensional de tecidos coloridos sobrepostos que criam diferentes efeitos de luz. Nos buracos, os integrantes podem brincar de se esconder ou se revelar.



Há também momentos em que este mesmo cenário funciona como tela para a projeção de pequenos vídeos de animação, que dialogam com as músicas. Quatro caixas móveis são configuradas de várias maneiras para complementar as cenas, formando uma escada para um gigante, uma casa para um quati , um palco para pés-cantores.



Outro destaque do grupo é a inclusão no repertório de canções que à primeira vista não pertencem ao universo infantil. Canções esquecidas ou desconhecidas, antigas ou recentes são resgatadas pelo grupo, como “Nem Tudo” (Arnaldo Antunes), “Prato Fundo” (Noel Rosa) e Alô Alô, como Vai?” (Jorge Benjor); além de composições inéditas do próprio grupo, como “Quero Começar” (Wem), “ O Gigante” (Angelo Mundy) e “A Rosa e o Cravo” (Diana Tatit).



O grupo já se apresentou em diversas unidades do Sesc, em escolas de São Paulo, CEU, entre outros.



Toda esta energia do show ao vivo foi gravada e o DVD “Tu Toca o Quê?” chega às lojas no dia 10 de agosto  pela gravadora MCD. Para comemorar o lançamento, já estão agendados pockets shows gratuitos:


 


·       19/8 domingo das 16h às17h


na Livraria Saraiva do Morumbi


·       25/8 sábado, das 15 às 16h


na Livraria Cultura shopping Bourbon


·       26/8 domingo, das 16h às 17h,


na Fnac Pinheiros


·       01/9 sábado, das 16h ás 17h


Na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte


·       2/9 domingo, das 16h ás 17h


·       Na Livraria da Vila – Fradique Coutinho


 

Ficha Técnica

Direção e Produção: Tiquequê

Produção Executiva: Mara Zeyn

Figurino: Isabela Telles

Cenário: Renato Theobaldo

Caixas Cenário: Marcelo Jabu

Vídeos de animação: Gabriel Almeida

Adereços: Manoella Rotelli e Naya Sá

Duração: 35 minutos

Gravadora MCD

Preço: R$ 28,90

Previsão de chegada às lojas:  10 de Agosto

À venda nas melhores lojas e livrarias do país



www.tiqueque.com






Sobre o Grupo



O Tiquequê surgiu do encontro entre três primas que vinham de uma família cheia de artistas e um jovem músico.

Todos, desde pequenos, gostavam de cantar e de fazer teatro, e ao se dar conta de que o universo infantil era seu maior interesse em comum resolveram criar um grupo para trabalhar em festas. Pronto: o trabalho seria juntar um pouco de tudo que faz parte desse universo — música, dança, teatro, brincadeiras, histórias — e transformar certos elementos simples (como pequenos instrumentos inusitados, sons do corpo e de objetos do cotidiano, gestos, trechos de passos de dança...), em um espetáculo que pudesse comunicar muito com muito pouco.



A simplicidade, a perspectiva e a reação das crianças foram as principais organizadoras e diretoras das criações do grupo. E foi o que eles fizeram por 6 anos. Não só em festas, mas em eventos de escolas, teatros e espaços de convivência de SESCs. Então, uma das meninas foi morar fora do país por um tempo... E, justamente nesse momento, eles encontraram outro músico, que também gostava de crianças e de teatro! Perfeito! Seria um novo quarteto!

Passaram-se mais quatro anos, e eles criaram novos espetáculos, dessa vez com uma produção maior — novos cenários, novos figurinos, novas possibilidades. “Tu Toca o Quê?” e “Canta Outra” fi zeram temporadas de grande sucesso em São Paulo. E o Toc Patoc, aquele primeiro espetáculo do grupo, continuava a ser solicitado.



Hoje o grupo já conta com um CD, uma pequena linha de produtos artesanais — chapéus, camisetas, cadernos — relacionados a momentos e personagens de seus espetáculos.

Além do lançamento do DVD “Tu Toca o Quê?” um novo CD, totalmente autoral, já está em fase de pré-produção.

Doze grupos foram selecionados para mostra de bandas pop rock


O Instituto de Arte e Cultura de Curitiba – ICAC divulgou a relação dos 12 selecionados para a Mostra de Bandas de Pop Rock. As bandas contempladas foram: Banda Clara Crocodillo (Regional Santa Felicidade), Banda Green Fay (Regional Portão), Banda Lenda Zero (Regional Portão), Banda Test Drive Rock (Regional Boqueirão), Beti Malu (Regional Matriz), B. Sociedade Voodoo (Regional Boqueirão), Gambiaha!!! (CIC), Javali Banguela (Bairro Novo), Jumping Jacks (Boa Vista), Lissona (Cajuru), Made in Santa (Santa Felicidade) e Plexo Solar 2 (Matriz).
As 12 bandas selecionadas terão como prêmio a gravação de um CD, sendo uma faixa para cada banda. Receberão, ainda, 80 cópias do CD gravado para divulgação de seu trabalho, sem qualquer outro tipo de remuneração. Completa a premiação uma apresentação gratuita, no Auditório Antonio Carlos Kraide do Portão Cultural, em data e horário a serem definidos. O objetivo da mostra é revelar novos talentos musicais e divulgar a produção das bandas curitibanas, selecionando pelo menos uma de cada regional da cidade.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Duo de violão e clarinete nos 40 anos do Teatro do Paiol






A caminhada musical do duo Alessandro Penezzi (violão) e Alexandre Ribeiro (clarinete) tem uma aguardada passagem por Curitiba, com apresentação agendada para o Teatro do Paiol, às 20h30 desta quarta-feira (25). O espetáculo é um dos destaques da programação comemorativa aos 40 anos do Teatro do Paiol, um dos símbolos culturais de Curitiba. Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

No repertório do show estão obras do segundo álbum dos instrumentistas, “Alessandro Penezzi e Alexandre Ribeiro Gravado ao Vivo na Bimhuis – Amsterdã”, resultado da turnê realizada pela Europa, em 2011. A gravação conta com músicas inéditas de autoria do duo, composições do primeiro CD dos músicos, “Cordas ao Vento”, e interpretações de grandes nomes da música brasileira.

O trabalho anterior, “Cordas ao Vento”, lançado em 2010, mereceu destaque da crítica especializada e levou a dupla para apresentações em todo o Brasil e também no exterior, em países como Dinamarca, Macedônia, Bélgica, Holanda e Estados Unidos. O CD tinha por objetivo a divulgação das composições do duo e da música brasileira em geral, já que os instrumentistas interpretam grandes mestres como Sivuca, Luperce Miranda, Zequinha de Abreu e Ernesto Nazareth, entre outros.



Trajetórias de sucesso – Natural de Piracicaba, interior de São Paulo, Alessandro Penezzi é violonista, compositor e arranjador, tendo trabalhado com artistas como Beth Carvalho, Yamandú Costa, Amélia Rabello, Oswaldinho da Cuíca, Quinteto em Branco e Preto e Arismar do Espírito Santo. O músico possui três CDs solo – Abismo de Rosas (2001), Alessandro Penezzi (2006) e Sentindo (2008) –, além de Cordas ao Vento (2010) e “Alessandro Penezzi e Alexandre Ribeiro Gravado ao Vivo na Bimhuis – Amsterdã” (2011), em parceria com Alexandre Ribeiro.

Também paulista, nascido na cidade de São Simão, Alexandre Ribeiro é clarinetista desde os 12 anos de idade. No currículo do músico constam trabalhos com artistas como Paulo Moura, Antônio Nóbrega, Carlos Malta, Laércio de Freitas, Tom Zé, Jair Rodrigues e Aldir Blanc, mais as cantoras, Tereza Cristina, Fabiana Cozza e Dona Ivone Lara. Seus primeiros CDs são Cordas ao Vento (2010) e “Alessandro Penezzi e Alexandre Ribeiro Gravado ao Vivo na Bimhuis – Amsterdã” (2011), em parceria com Alessandro Penezzi.

Paralelamente aos espetáculos, os instrumentistas realizam oficinas de choro, violão e clarinete, levando a comunidades distantes o que aprenderam em suas trajetórias profissionais, num trabalho que transcende o simples repasse de técnicas musicais.



Serviço:

Espetáculo do duo Alessandro Penezzi e Alexandre Ribeiro.

Data e horário: dia 25 de julho de 2012 (quarta-feira), às 20h30.

Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho).

Paiol apresenta show inédito dirigido por André Abujamra






O espetáculo “Família LovBorgs – os russos falsos” leva ao Teatro do Paiol composições e arranjos inéditos, sob a direção de André Abujamra, que também atua ao lado dos músicos e cocriadores Ary Giordani, Leandro Teixeira, Flavio Lira, Levy Carvalho e Graciliano Zambonin. O show tem apresentações agendadas para os dias 27, 28 e 29 de julho e 3, 4 e 5 de agosto, sempre às 20h. Os ingressos custam R$ 12 e R$ 6.

A montagem musical integra um projeto que prevê registro de áudio e vídeo, além da realização de um DVD. Com uma proposta estética e visual diferenciada, o espetáculo reúne composições inspiradas nas culturas balcânicas e austro-húngara, com figurinos e iluminação criados a partir da pesquisa musical realizada pelo grupo.

Com a intenção de dialogar com as mais diversas plateias, os músicos irão utilizar diferentes meios de comunicação, incluindo a internet, na qual serão criados sítios em redes virtuais como Facebook, Orkut, Myspace e Blog. Essas redes serão alimentadas com informações sobre o processo de criação do show, imagens, músicas, partituras, curiosidades e, posteriormente, pelas imagens do espetáculo. 



Serviço:

Espetáculo “Família LovBorgs – os russos falsos”.

Data e horário: dias 27, 28 e 29 de julho e 3, 4 e 5 de agosto de 2012 (sextas, sábados e domingos), sempre às 20h.

Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho)

Ingressos a R$ 12 e R$ 6 (estudantes, idosos e professores).

Contato: Greice Barros (9601-6446 / 3222 0355)

nucleo.cultura@gmail.com

sexta-feira, 20 de julho de 2012

REFFER RAWFIRE HORACE GREEN




Agosto 25



REFFER
RAWFIRE
HORACE GREEN

Local: HANGAR 110 - Rua Rodolfo Miranda, 110 (Metrô Armênia)
Horario: 19h00
Mais info: www.hangar110.com.br

Ingressos limitados
R$ 15 Primeiro lote
R$ 20 Segundo lote
R$ 30 Porta (sujeito à disponibilidade)

Ingressos antecipados a venda na Loja 255 - Galeria do Rock ou online pelo site www.hangar110.com.br

Músico do Théâtre du Soleil faz show no Teatro do Paiol


Músico do Théâtre du Soleil

faz show no Teatro do Paiol



O músico Jean-Jacques Lemêtre, que integra a tradicional companhia teatral francesa Théâtre du Soleil, fará uma apresentação na terça-feira (24), às 20h, no Teatro do Paiol. Lemêtre é conhecido por criar centenas de instrumentos musicais e por executar mais de 2.800 objetos sonoros. Ele traz no currículo o cobiçado Prêmio Molière, na categoria “Música para teatro”, e também compõe trilhas para cinema ao lado de influentes diretores, como David Lynch. Neste fim de semana (de 21 a 23 de julho), o músico estará orientando a oficina “O Teatro Música” no Ave Lola Espaço de Criação.

No Théâtre du Soleil (que não tem ligação com a companhia acrobática canadense Cirque du Soleil), Jean-Jacques Lemêtre acompanha o elenco ao longo das criações e no próprio ato da encenação. Os espetáculos do grupo francês, fundado em 1964 e reconhecido pelo exímio trabalho coletivo dos artistas, têm como característica a perfeita simbiose entre cena e música, como se esta fosse parte da própria respiração dos atores ou uma expressão onírica do texto. Para Lemêtre, a música representa um terceiro pulmão do ator.

Formado no Conservatório de Paris, onde estudou saxofone, clarinete e baixo, Lemêtre compõe e interpreta todas as partituras musicais do Théâtre du Soleil desde 1979. Em 1991, recebeu o prêmio da crítica francesa de “Melhor compositor de música para cena”. Além dos trabalhos em teatro, o músico traz em seu currículo vários CDs gravados e participações em produções para televisão, cinema e rádios. Como professor, ele ensina em diversos conservatórios, dá conferências na França e no exterior. Recentemente desenvolveu uma criação denominada Babel Orkestra (ópera orquestrada), na qual vozes humanas em 1.800 línguas e dialetos, registradas por ele desde 1990, convivem com obras do artista multimídia Joseph Lefèvre.



Serviço:

Show do músico francês Jean-Jacques Lemêtre.

Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho.

Data: 24 de julho de 2012 (terça-feira), às 20h.

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)



Oficina “O Teatro Música” com Jean-Jacques Lemêtre
Local: Ave Lola Espaço de Criação - Rua Portugal, 339 - São Francisco

Data e horário: de 21 a 23 de julho, das 9h às 12h e das 14h às 17h
Investimento: R$ 200

terça-feira, 17 de julho de 2012

Dead Fish - Tour DVD 20 anos - Hangar110




Dead Fish - Tour DVD 20 anos - Hangar110

    Dead Fish no Hangar110
Tour DVD 20 anos

Dias 18 e 19 de agosto
Local: HANGAR 110 - Rua Rodolfo Miranda, 110 (Metrô Armênia)
Horario: 19h00
Mais info: www.hangar110.com.br

Ingressos limitados
R$ 25 Antecipados (para cada dia)
R$ 30 Porta (para cada dia)

Ingressos antecipados a venda na Loja 255 - Galeria do Rock ou online pelo site www.hangar110.com.br

doyoulike? em São Paulo/SP (Lançamento do CD "Sobre a Vida, a Paz e a Guerra)





        doyoulike? lançando o CD "Sobre a Vida, a Paz e a Guerra".


    Bandas convidadas: Falante, Shimbaus Trio e Vinda.

    DATA:
    Domingo, 05 de Agosto.

    LOCAL:
    Hangar 110 (Rua Rodolfo Miranda, 110 - Bom Retiro)

    ABERTURA DA CASA: 18h

    INGRESSOS:
    Loja 255 (Galeria do Rock - 2º Andar)

    VALOR:
    R$ 20,00 (Antecipado) / R$ 25,00 (Na hora)

    PROMOÇÃO:
    Play Alternative ( http://playalternative.com.br/ )

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Amanhã Dance of Days @ Hangar 110 - Show especial 10 Anos de Coração De Troia -...



Amanhã Dance of Days @ Hangar 110 - Show especial 10 Anos de Coração De Troia




clique para AMPLIAR

FISTT lançando novo cd "Hasta La Vista, Junior!" no Hangar 110


FISTT lançando novo cd "Hasta La Vista, Junior!" no Hangar 110



Fistt Bullet Bane

The Bombers

atitude contra




Buy Tickets: http://bnds.in/JLEXvU
Find Local Concerts: http://bnds.in/jlStT0

Fusa Records show


Fusa Records apresenta:

VOWE
DESEJO INSANO
LOST IN TRANSLATION
INSTINTO
DAVINA
CHARLIE IS DEAD
REMAKE
BAD MOOD BEARS
VIMME
DELTA ZERO

21/Julho
14h as 22h30

LOCAL: CERVEJAZUL MUSIC CLUB
Praça Ciro Pontes, 26 - Mooca
www.cervejazul.com

INGRESSOS
$ 15 antes | $ 20 porta

Antecipados:
- Clicando em comparecer nessa lista já garante o valor antecipado do ingresso na portaria, no dia do show.
- @fusarecords
- www.ticketbrasil.com.br (venda online e parcelada com cartão)

15/09/2012 - Noite Nervosa III no Espaço Cult, Curitiba - PR



Com as bandas:
CALIBRE 12
PERIFERIA S.A
KRAPPULAS
U.T.I
EXTREMA AGONIA
.................................................................................................
Ingressos: Entrada: 15,00 antecipado 25,00 na hora
POSTOS DE VENDA para ingressos antecipados:
TNT ESTÚDIO : Gal.pinheiro lima-centro lj17 (41) 3013-61-09
LADO B: Rua Inácio lustosa 517-sao francisco (41) 3233-94-96
UNDER ROCK CWB: Rua Tenente Max.W.Filho-Aguá verde (41)30216753
SAILOR¨S TATUARIA: Estrada da Ribeira,39 Guaraituba-Colombo (41) 3666-78-71
....................................................................................................
Local: Espaço Cult - Rua São Francisco / Largo da Ordem - Curitiba - PR

A banda Alma Sonora e a nova MPB




         

O Teatro do Paiol tem como atração, às 21h deste sábado (14), o show da banda Alma Sonora, formada por André Luiz Dias (voz), Douglas Thá (guitarra e violão), Saulo Albach (violão e baixo), Rafael Anciutti (guitarra) e Léo Serqueira (bateria). Criado em 1996, o grupo curitibano reflete uma ampla fusão de influências musicais, e por isso se define musicalmente como integrante da "Nova MPB".

O ponto de convergência da música do Alma Sonora são as letras fortes e marcantes, poéticas e com tom otimista, reflexo da visão de mundo partilhada por seus integrantes. No Paiol, serão apresentadas uma seleção de músicas dos dois primeiros CDs do grupo e também composições inéditas, preparadas para o terceiro disco, que mostram o amadurecimento poético e musical  da trajetória do Alma Sonora ao longo dos seus 15 anos.

A banda acumula uma série de premiações em festivais nacionais de música, como o prêmio Jovens Talentos do Paraná – SESC (1999); 1º lugar no Festival da Canção Espírita de Franca - FECEF (2000) – votos do júri e voto popular; 1º lugar nacional no Festival  de MPB de Paranavaí – FEMUP (2004); finalista no Festival Nacional de MPB de Maringá - FEMUCIC (2004); prêmio de Melhor Arranjo Musical no Festival Nacional de MPB de Araucária – FESTCAR (2004); 2º lugar nacional no FESTCAR (2005); prêmio de Melhor Letra - FECEF (2007); entre outros.



Serviço:

Show da banda Alma Sonora

Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho

Data: 14 de julho de 2012 (sábado), às 21h

Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)

Myspace.com/bandaalmasonora

Facebook: Banda Alma Sonora (perfil 1) e Alma Sonora II (perfil 2)

www.almasonora.com.br

almasonora@yahoo.com.br

LIPSTICK no Dynamite Pub - 11 de agosto





    Fusa Records apresenta:

    LIPSTICK
    STROUNAS
    SINTÉTICA
    FACE THE TRUTH
    + bandas à confirmar

    11 de agosto - 14h as 22h

    INGRESSOS
    $ 15 (clicando em comparecer, seu nome estará na lista)
    $ 20 porta

   

    DYNAMITE PUB
    Rua 13 de maio, 363 - Bela Vista

SORAYA RAVENLE ENCANTA CURITIBA COM CANÇÕES DE PAULO CÉSAR PINHEIRO






Cantora apresenta seu primeiro álbum solo na CAIXA Cultural Curitiba





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 20 a 22 de julho, a atriz e cantora Soraya Ravenle com o show “Arco do Tempo”, dedicado à obra de Paulo César Pinheiro. No espetáculo, Soraya canta 11 canções inéditas e quase inéditas do compositor, com destaque para a música que dá nome ao show "Arco do Tempo", o samba-de-roda "Senhorá" e a interpretação dramática do tango "Cristal Lilás".



Durante mais de 25 anos, a voz de Soraya esteve a serviço da dramaturgia, exceção feita somente durante os quatro anos em que se dividiu entre o teatro e o grupo Arranco de Varsóvia, na década de 90. Sua delicada voz de soprano deu vida às mais variadas personagens em novelas, seriados, filmes e musicais nacionais. Com maestria, ela interpretou, no palco, diversas cantoras brasileiras, como Dolores Duran (Prêmio Shell de Melhor Atriz), Carmen Miranda, Aurora Miranda e Elizeth Cardoso.



A artista dedica, agora, todo o seu tempo às apresentações desse primeiro trabalho solo, que é uma homenagem a Paulo César Pinheiro, um dos maiores nomes da música brasileira. Soraya canta apenas obras de Pinheiro neste espetáculo, que conta com alguns poemas do próprio autor, na companhia de Nando Duarte (violão), Vitor Gonçalves (piano), Carlos César (bateria) e André Vercelino (percussão).



“Procurei explorar as diferentes marcações e ritmos, do repertório, e manter as qualidades do gênio de Paulo César Pinheiro, que criou uma obra monumental, aparentemente simples, mas de grande sofisticação”, destaca o diretor Gustavo Gasparani. “O show será tão singelo e delicado quanto o repertório, valorizando o canto de Soraya e sua grande presença cênica”, completa. A direção musical é de Alfredo Del-Penho.



O roteiro abre espaço ainda para outras duas pérolas do autor, que não estão no álbum: “Vou deitar e rolar (Quaquaraquaquá)” e “Sem companhia”. Encerrando a apresentação, um dueto de Soraya e sua filha Julia Bernat na canção “Arco do Tempo”.



Ficha técnica:

Músicos: Nando Duarte (violão), Vitor Gonçalves (piano), Carlos César (bateria) e André Vercelino (percussão)

Direção e roteiro: Gustavo Gasparani

Direção musical: Alfredo Del-Penho

Iluminação: Katia Muniz



Serviço:

Soraya Ravenle com o show “Arco do Tempo”

Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 20 a 22 de julho de 2012 (sexta-feira a domingo)

Hora: sexta e sábado, às 20h – domingo, às 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

terça-feira, 10 de julho de 2012

Prorrogadas inscrições para Mostra de Bandas Pop Rock






Bandas de Curitiba que quiserem participar da “Mostra de Bandas Pop Rock” tem até o dia 17 de julho para se inscrever pelo site da Fundação Cultural de Curitiba (http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/novostalentos).

O objetivo da mostra é divulgar novos talentos musicais, selecionando 12 bandas curitibanas, sendo uma de cada Regional de Curitiba – num total de nove grupos – e mais três das Regionais com maior número de inscrições.

“Vamos ter um panorama da produção na cidade. Podem participar do edital bandas residentes em uma das nove Regionais de Curitiba, compostas por até seis integrantes. Cada banda deve inscrever quatro músicas de composição própria”, esclarece Sérgio Albach, coordenador de Música Popular Brasileira da Fundação Cultural de Curitiba.

As músicas serão analisadas pela comissão técnica do evento, formada por profissionais da área musical. Os integrantes da banda precisam ter idade mínima de 16 anos e experiência comprovada de atuação musical de pelo menos um ano. No ato da inscrição, cada grupo indicará o link do youtube com um vídeo de interpretação das quatro músicas.

O resultado da seleção será divulgado no dia 19 de julho de 2012, no site da Fundação Cultural de Curitiba. As 12 bandas selecionadas terão como prêmio a gravação de uma faixa no CD do projeto. Receberão, ainda, 80 cópias do CD gravado para divulgação de seu trabalho, sem qualquer outro tipo de remuneração. Completa a premiação uma apresentação gratuita, no Auditório Antonio Carlos Kraide do Portão Cultural, em data e horário a serem definidos.

O edital está disponível no site da Fundação Cultural de Curitiba, o documento pode ser obtido em uma das nove Regionais da cidade, no horário das 9h às 12h e das 14h às 17h, mediante o pagamento das respectivas cópias.
Serviço:

Edital de seleção para a “Mostra de Bandas Pop Rock”

Inscrições: até 17 de julho de 2012 (www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/novostalentos).

Informações: (41) 3223-5710

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Antonio Del Claro comemora 50 anos de carreira com concerto


Antonio Del Claro comemora 50 anos de carreira com concerto


na Capela Santa Maria



O violoncelista Antonio Del Claro, um dos instrumentistas mais completos e virtuosos do Brasil, está em Curitiba para apresentações na Capela Santa Maria – Espaço Cultural, junto com a pianista Olga Kiun e com o violinista Winston Ramalho. O trio Kiun-Del Claro-Ramalho é a atração dos dias 11 e 12 de julho (quarta e quinta-feira), às 20h.

Os concertos integram a programação da série Música de Câmara, realizada pela Fundação Cultural de Curitiba por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – PAIC. O repertório é composto de músicas tchecas e russas. No programa do dia 11 (quarta-feira), serão executadas a “Sonata para violino e piano”, de Leos Janácek, e “Piano Trio, Op 90 - Dumky”, de Antonin Dvorak. No dia 12 (quinta-feira), “Sonata para piano e violoncelo”, de Sergei Rachmaninov e “Trio nº. 2, Op. 67”, de Dmitri Shostakovich.

Abre o programa do dia 11 a “Sonata para violino e piano”, de Leos Janácek (1854-1928), considerado o maior compositor tcheco do início do século 20. A obra foi escrita durante os primeiros dias da Primeira Guerra Mundial, entre 1914 e 1915. O próprio compositor disse que compôs a peça ouvindo o brandir do aço em sua cabeça. Em seguida será apresentado o famoso “Trio Dumky para Piano, Op 90, de Antonin Dvorak. Último e mais conhecido dos trios do compositor, uma obra permeada com a beleza simples e de qualidade colorida de música e dança folclórica. A composição foi publicada enquanto Dvorak estava na América e foi revisado por seu amigo, Johannes Brahms.

No dia 12, o Trio Kiun-Del Claro-Ramalho brinda o público com obras de compositores russos, começando com “Sonata para piano e violoncelo, de Sergei Rachmaninov, uma das composições mais significativas, concluída em novembro de 1901, e publicada um ano depois. Rachmaninov não gostava de chamá-la de sonata para violoncelo, pois acreditava que os dois instrumentos tinham igual peso, portanto também é chamada de Sonata para piano e violoncelo, aludindo à sua complexa escrita pianística. A obra foi dedicada ao violoncelista Anatoliy Brandukov, que tocou a peça em 2 de dezembro de 1901, em Moscou, acompanhado por Rachmaninov ao piano.

Para finalizar, será apresentado o “Trio para piano, violino e violoncelo, Op. 67”, de Dmitri Shostakovich, escrito em 1944. Essa obra é uma homenagem do compositor ao seu amigo Ivan Solertinsky, sábio russo versado em várias artes, que morreu aos 41 anos. Composta em quatro movimentos, todos de caráter sombrio, a peça recria em seu final a dança da morte que os prisioneiros judeus, obrigados pelos soldados nazistas, realizavam antes de serem mortos.



Sobre os intérpretes:



Antonio Lauro Del Claro - natural de São Paulo, iniciou seus estudos muito cedo, aos 7 anos. Mais tarde, ainda no Brasil, prosseguiu os estudos com Jean Jacques Pagnot. Na Itália foi aluno de Radu Aldulescu (violoncelo) e Enrico Mainardi (música de câmara). Hoje, ao completar 50 anos de carreira, o músico é reconhecido internacionalmente por seu brilhantismo e virtuosismo. A crítica especializada brasileira e do exterior reconhece sua capacidade de captar toda a substância musical das obras através de sua postura firme, técnica aprofundada e convicção interpretativa.



Winston Ramalho – jovem curitibano, reconhecido como um grande talento do violino. Estudou no Brasil e exterior com renomados profissionais como Hildegard Soboll, Marco Damm e com a famosa pedagoga Dorothy De Lay na Juilliard School de Nova Iorque.  Foi premiado com o primeiro lugar em  vários concursos nacionais e internacionais. Participou de concertos e recitais de câmara no Brasil e em diversos países. Em 2008  foi  diretor artístico da série de Concertos Internacionais no Mosteiro de São Bento, e no ano de 2009  foi curador da série de concertos internacionais “Clássicos dos Clássicos”, realizada no Teatro da União Cultural Brasil-EUA. Há quatro anos é o diretor artístico do Instituto Música da Futurong, em São Paulo. É integrante do Quarteto Iguaçu, de Curitiba, e professor no projeto Música para Todos, desenvolvido nos municipios de Tunas e Pinhais, no Paraná.



Olga Kiun - Descendente de uma tradicional família de músicos soviéticos, iniciou seus estudos de piano aos seis anos, com sua mãe e sua avó, ambas professoras do Conservatório Musical de Chisineu (Moldávia). Ao longo de sua carreira se apresentou em países como Romênia, Bulgária, Polônia, Uruguai, Paraguai e Peru. No Brasil esteve pela primeira vez em 1991, em Curitiba. Atuou como solista junto aos mais conceituados grupos sinfônicos do país. Desde 1993 leciona na Escola de Musica e Belas Artes do Paraná (EMBAP).  Em 2010 gravou CD com obras de compositores russos e brasileiros. Atuou como jurada em inúmeros concursos de piano do Brasil e como diretora artística do 1° Concurso Internacional de Piano de Santa Catarina.



Serviço:

Série Música de Câmara – Trio Kiun-Del Claro- Ramalho

Local: Capela Santa Maria – Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro

Data: dias 11 e 12 de julho de 2012 (quarta e quinta-feira), às 20h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

* Ensaio aberto dia 10 (terça-feira), às 15h.




sexta-feira, 6 de julho de 2012

A banda baiana Maglore realiza 3 shows na região Sul do país



O Rio Grande do Sul recebe neste final de semana a baiana banda Maglore em três cidades. Para Esteio (06/07), Santa Maria (07/07) e Pelotas (08/07) levam a preciosa Nova Música Brasileira com influência da MPB e do Rock consolidando mais uma turnê Maglore é uma jovem banda e já está obtendo público através das apresentações e pela internet, onde se vê uma movimentação significativa. É a primeira vez que a banda se apresenta pelas bandas do Sul.

Os shows fazem parte do Programa Conexão Vivo, que reúne shows, festivais independentes, gravação de CDs e DVDs, produção de videoclipes, programas de rádio, oficinas e seminários que compõem uma rede nacional e permanente de atividades culturais envolvendo artistas, gestores e produtores culturais, iniciativas públicas e privadas.



A banda


Maglore é uma banda de música popular e em seu surgimento, no ano de 2009 lançou o EP “Cores do Vento”, com 5 faixas. Com participação assídua em festivais de todos os portes como o FUN Music, de São Paulo (3º lugar, em 2009), Desafio das Bandas (1º lugar, em 2009), Big Bands (2010), Feira Noise (2010), Festival de Verão Salvador (2010), BNB Rock de Cordel, em Fortaleza (2011), MB Ao Vivo e Festival Fora do Eixo, ambos no Circo Voador, no Rio de Janeiro (2011) e Móveis Convida, em Brasília (2011), a Maglore veio, desde o seu início, ganhando o respeito e atenção do público e crítica. Além dos festivais, o grupo tem público cativo nos shows em Salvador e outras capitais do Brasil, se consagrando como destaque na cena independente do país.

Paiol apresenta show de grupo folclórico do Espírito Santo






O Teatro do Paiol apresenta nesta segunda-feira (9), às 20h, o espetáculo de uma das mais tradicionais bandas de congo do Espírito Santo.  A Banda de Congo Panela de Barro faz um show gratuito, mostrando o repertório de música vocal presente nas festividades populares daquele estado. O grupo, que tem circulado por todo o país pelo projeto Sonora Brasil, do Sesc - Serviço Social do Comércio, é formado pelas cantadeiras Ruth Victor, Teresa Barbosa, Emília Ferreira e Maria Conceição, pelo mestre Valdemiro Sales e pelo percussionista Marcos Pereira.

As bandas de congo estão presentes em várias cidades do litoral do Espírito Santo, sendo a principal manifestação da tradição oral. As bandas estão relacionadas às festividades religiosas de devoção a São Benedito, e em alguns locais também a São Sebastião, São Pedro e Nossa Senhora da Penha. Os registros mais antigos de sua existência, de meados do século 19, são atribuídos ao Padre Antônio Siqueira (1832 – 1897), que em seus escritos se referia às “bandas dos índios”.

A cerimônia profano-religiosa pode apresentar características próprias em cada local, mas está sempre associada a um naufrágio ocorrido no litoral capixaba, quando um grupo de escravos se salvou agarrado a um mastro que tinha uma imagem de São Benedito. Reza a lenda que, a partir de então, as comunidades de negros do litoral do estado passaram a “fincar o mastro” todos os anos em agradecimento ao milagre.

A atual edição projeto Sonora Brasil tem como tema “Sagrados Mistérios: Vozes do Brasil”. Quatro grupos foram selecionados para participar do circuito. Além da Banda de Congo Panela de Barro, também integram o projeto, este ano, os grupos Caixeiras do Divino, do Maranhão, Comitiva São Benedito da Marujada de Bragança, do Pará, e Quarteto Colonial, do Rio de Janeiro.

       

Serviço:

Banda de Congo Panela de Barro

Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n (Prado Velho)

Data e horário: 9 de julho de 2012 (segunda-feira), às 20h

Entrada franca.

Portão Cultural promove oficina de percussão






Estão abertas as inscrições para a Oficina de Percussão Ticutucomicutuca, uma das atividades oferecidas no Portão Cultural. As aulas, que acontecem nos dias 10, 12, 17 e 19 de julho, das 14h às 16h30, serão ministradas pelo percussionista curitibano Ricardo Janotto. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até a próxima terça-feira (10), na administração do Auditório Antônio Carlos Kraide, das 9h às 12h e das 14h às 18h, com exceção de segunda-feira (9), quando o Portão Cultural encontra-se fechado.

Os alunos que possuírem algum instrumento de percussão podem levá-lo para a oficina, entretanto não é pré-requisito para integrar a turma. A idade mínima para participar da oficina é de 14 anos. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3229-4458.

Proporcionar ao aluno iniciante uma vivência musical através do ritmo é a proposta da oficina, que utiliza o corpo como base de aprendizado e reconhecimento da musicalidade já existente em cada movimento corporal. Durante as aulas, os participantes aprenderão técnicas básicas de instrumentos como pandeiro, surdo, tamborim e chocalhos. Por meio de jogos rítmicos em grupo, será possível exercitar a energia coletiva e criar músicas, colocando em prática o que foi aprendido.

Os participantes contarão com a orientação de Ricardo Janotto – Ricardo ô Rosinha –, músico reconhecido nacional e internacionalmente por seu trabalho. O percussionista já ministrou diversas oficinas no Brasil e na Europa, além de realizar turnês em países como Holanda, Itália, Portugal, Inglaterra, Nova Zelândia e Estados Unidos.



Serviço:

Oficina de Percussão para iniciantes Ticutucomicutuca, ministrada por Ricardo Janotto, dias 10, 12, 17 e 19 de julho, das 14h às 16h30. Idade mínima para participação: 14 anos.

Local: Auditório Antônio Carlos Kraide (Portão Cultural – Av. República Argentina, 3.430 – Portão).

As Inscrições são gratuitas e devem ser feitas até a próxima terça-feira (10), na administração do Auditório Antônio Carlos Kraide, das 9h às 12h e das 14h às 18h, com exceção de segunda-feira (9), quando o Portão Cultural encontra-se fechado.

TRIO KIUN- DEL CLARO-RAMALHO


clique para ampliar

terça-feira, 3 de julho de 2012

CACHORRO GRANDE SHEILA CRETINA CRETINOS E CANALHAS


CACHORRO GRANDE
SHEILA CRETINA
CRETINOS E CANALHAS

Dia: 02/08 - QUINTA FEIRA
Local: HANGAR 110 - Rua Rodolfo Miranda, 110 (Metrô Armênia)
Horario: 19h00
Mais info: www.hangar110.com.br

Ingressos limitados:
R$ 15 Primeiro lote
R$ 20 Segundo lote
R$ 25 na Porta

Ingressos antecipados a venda na Loja 255 - Galeria do Rock ou online pelo site www.hangar110.com.br

''A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol''




A terceira edição do projeto Radar “A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol” traz pela primeira vez a Curitiba, Pélico, o paulistano que iniciou sua carreira musical em 2006, gravando em 2008 seu primeiro disco: O último dia de um homem sem juízo. Esse primeiro trabalho é uma espécie de reconhecimento e deglutição de uma série de influências que formaram o músico. O CD foi apresentado em diversos shows no Brasil, em estados como São Paulo, Pará, Rio Grande do Sul e Paraná. Por meio desse trabalho, Pélico foi convidado a participar de uma homenagem a Raul Seixas, ao lado de Elza Soares e Marcelo Nova.

Em 2011, lança seu segundo disco: Que isso fique entre nós. Na linha evolutiva de sua linguagem musical, desenvolve outra perspectiva de pesquisa, a partir da incorporação de outros gêneros e instrumentos musicais. Se o disco anterior tinha um acento mais rock, fazendo ouvir mais a guitarra, acompanhada de um vocal mais exaltado, neste são convocadas outras sonoridades: tubas, fagotes, clarinetes, trompetes, trombones e outros instrumentos de sopro incomuns na música pop se prestam a dar corpo a canções tributárias de gêneros como o bolero, o tango e a valsa.


Dando esse salto estético em relação ao trabalho anterior e marcando o amadurecimento de sua estética, o resultado não poderia ser diferente: a crítica da grande imprensa e colegas de ofício saudaram com entusiasmo o CD. Veículos de imprensa respeitados como os jornais O Globo, do Rio de Janeiro, e O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, publicaram críticas elogiosas ao álbum, que saiu também em listas dos “melhores do ano” em órgãos especializados, como a prestigiada revista Rolling Stones. Nomes de peso, como o crítico musical Zuza Homem de Mello e o eterno tropicalista Tom Zé (que, a propósito, convidou Pélico para participar de seu mais recente disco), engrossaram a fila da recepção positiva do disco.
Baixe o disco aqui: http://pelico.com.br/

Recado - Pélico

O projeto ‘’Radar - A nova música brasileira nos 40 anos doTeatro Paiol’’ traz mensalmente á Curitiba artistas relacionados à música contemporânea brasileira que integrarão a programação dos 40 anos do Teatro Paiol. No total serão realizadas 09 edições de Radar, o projeto teve sua estréia em maio com a cantora Anelis Assumpção. O projeto é idealizado e realizado pela Verdura Produções Culturais e tem como principal objetivo a formação de público e o intercâmbio musical entre os artistas.

O projeto com com o apoio cultural da Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba, Lumen FM, Serra Verde Express, Jacobina Restaurante, Cia do Impresso, Simetria Grafica e Meio Fio Cultural, YáYó Produções.

       
Serviço:

O que?
Radar - A nova música brasileira nos 40 anos do teatro Paiol convida Lira.
Data: 13 de julho (Sexta-feira)
Onde: Teatro Paiol
Endereço: Praça Guido Viaro S/N
Horario: 20:30h
Telefone: 3213-1340
Ingressos: R$ 20,00 Estudantes, Professores, Idosos, Doadores de 1Kg de Alimento, Doadores de Sangue e Deficientes fisicos.
R$ 40,00 inteira.

Orquestra À Base de Corda no Unimúsica de Porto Alegre






No dia 4 de julho, a Orquestra À Base de Corda, mantida pela Fundação Cultural de Curitiba, participa do projeto Unimúsica, em Porto Alegre, evento que em 2012 reúne uma série de concertos mensais com orquestras e big bands brasileiras. Ligado à Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o projeto, que já existe há mais de 30 anos, tornou-se referência tanto para o público que acompanha as séries anuais como para profissionais da música de todo o país.

 Além da Orquestra À Base de Corda, outras orquestras de renome, como a Banda Mantiqueira, de São Paulo, a Orkestra Rumpilezz, de Salvador, e Juan Schellemberg Orquestra, de Montevidéu/Porto Alegre, participam do festival. A Orquestra À Base de Corda apresenta um repertório que, na sua maior parte, é integrado por composições de seus músicos. O concerto traz canções do CD “Nosso Som”, com lançamento previsto para este ano.

A “Suíte OABC” é a única que foi composta por um músico não integrante da Orquestra. Foi dedicada ao grupo pelo pianista André Marques, que acompanha Hermeto Pascoal em seus shows. “O CD também tem a justa homenagem a Osiel Fonseca, nosso eterno músico, arranjador, compositor, e tudo mais que a música permita exercer”, comenta o diretor artístico da Orquestra, João Egashira, referindo-se ao pianista que faleceu em 2008. Além do concerto, o evento também prevê a participação dos integrantes da Orquestra  em um workshop para falar sobre o trabalho que desenvolvem.

A Orquestra À Base de Corda foi criada por Roberto Gnattali em 1998. Dedicada à pesquisa e à divulgação da música brasileira, a Orquestra possui formação instrumental ímpar – desde 2001, conta com violino, bandolim, cavaquinho, viola caipira, violão, violão 7 cordas, piano e percussão – o que confere ao grupo sonoridade bastante particular. Seu repertório procura abranger diversos períodos da história da música popular brasileira e inclui composições de seus integrantes.

Os arranjos são especialmente elaborados por músicos da orquestra e por nomes como Paulo Bellinati, Maurício Carrilho, Leandro Braga, Dante Ozzetti, Jayme Vignoli, Mario Manga, André Abujamra, Paulo Aragão e Josimar Carneiro. Já teve como convidados Mônica Salmaso, Roberto Corrêa, Ceumar, Pedro Amorim, Dominguinhos, Joel Nascimento, Andréa Ernest Dias, Caíto Marcondes, Maurício Carrilho, Zé Renato, Ná Ozzetti, Renato Borghetti, André Abujamra, Carlos Malta e Dimos Goudarolis.

Entre suas apresentações mais importantes estão as realizadas nas Oficinas de Música de Curitiba (2001 a 2010), no 8º Festival Brasil Instrumental de Tatuí e no Acorde Brasileiro em Porto Alegre. Em 2008 lançou seu primeiro CD, intitulado Antiqüera, ao lado do violeiro Roberto Corrêa, tendo sido indicado para o Prêmio Rival. Em 2009, ao lado de Roberto Corrêa, participou da gravação do programa Instrumental SESC Brasil, em São Paulo.



Serviço:

Concerto da Orquestra À Base de Corda em Porto Alegre

Local: Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Data: 5 de julho de 2012 (quinta-feira), às 20h

Informações no site www.difusaocultural.ufrgs.br