quinta-feira, 28 de junho de 2012

RECITAL DE MODINHAS BRASILEIRAS NA VOZ DE MARÍLIA VARGAS

A soprano apresenta o show “Tempo Breve que Passaste” na CAIXA Cultural Curitiba



A CAIXA Cultural Curitiba  apresenta, de 06 a 08 de julho, o show “Tempo Breve que Passaste”, do segundo álbum solo da soprano paranaense Marília Vargas.  A arista traz o repertório exclusivo de modinhas brasileiras dos séculos XVIII e XIX, além de obras do século XX, acompanhada do flautista Ricardo Kanji, do violonista e alaudista Guilherme de Camargo, da violoncelista Maria Alice Brandão e do violonista Camilo Carrara.

O recital é dividido em duas partes. A primeira dedicada ao repertório do álbum, com destaque ao ciclo de árias “Marília de Dirceu”, sobre poemas de Tomás Antonio Gonzaga. O ciclo é formado por 12 árias, sendo que no recital Marília Vargas cantará cinco. “Os versos de Gonzaga renderam fama indelével ao seu autor e elevaram Marília à categoria de musa favorita de poetas e modinheiros durante todo o século seguinte. Marília foi cantada por compositores renomados, como Marcos Portugal, João de Sousa Carvalho, Antonio da Silva Leite e Cândido Inácio da Silva, mas não se sabe quem compôs a música para as doze árias de ‘Marília de Dirceu’ que apareceram nos dois primeiros volumes do Cancioneiro de Músicas Populares de César das Neves em 1893 e 1895”, explica o pesquisador Rogério Budasz.

A segunda parte do recital é dedicada à modinha, em um contexto diferente: do final do século XIX ao início do século XX, quando o gênero se relaciona mais diretamente com a moderna MPB. Serão cantadas obras importantes como “Modinha”, de Jayme Ovalle (1884-1955); “Quem sabe”, de Carlos Gomes (1836-1896); “Lua Branca”, de Chiquinha Gonzaga; e “Modinha” e “Cantilena”, movimento das Bachianas Brasileiras n٥ V, de Heitor Villa-Lobos. E, como momento instrumental entre Kanji e Guilherme de Camargo, a “Valsa nº 9”, de Mozart Camargo Guarnieri (1907-1993). O recital é inteiramente focado na música brasileira, abrangendo cerca de 200 anos de sua história.



Marília Vargas:

Marília Vargas iniciou seus estudos de canto com Neyde Thomas aos doze anos de idade. Formou-se em canto barroco na Schola Cantorum Basiliensis, Suíça, (2001). Especializou-se em Lied na classe de Christoph Prègardien, no Conservatório de Zurique (2005), onde foi laureada summa cum laude. Fez masterclasses e aperfeiçoamentos com Montserrat Figueras e Silvana Bartoli Bazzoni, foi premiada no II Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão e no VI Concurso Brasileiro de Canto Maria Callas.



Marília já se apresentou como solista com diversas orquestras, entre as quais a Aargauer Symphonie, a Orchestra of the Age of Enlightement, a Zürcher Kammerorchester, além das brasileiras Orquestra Sinfônica do Paraná, Petrobras Sinfônica, Sinfônica de Minas Gerais e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP); nos conjuntos de música antiga La Capella Reial de Catalunya, (direção de Jordi Savall), Le Parlement de Musique (direção de Martin Gester), Camerata Antiqua de Curitiba.



Além da carreira solo, integra atualmente os grupos Anima e o ensemble italiano “L Selva”. Possui 2 álbuns solo: “Todo amor desta terra”, de canções paranaenses, e “Tempo breve que passaste”. Recentemente, gravou CD com o pianista André Mehmari.



Serviço:

Música: Tempo Breve que Passaste – Marília Vargas

Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 06 a 08 de julho de 2012

Hora: sexta e sábado 20h e domingo 19h

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h).

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário