terça-feira, 17 de abril de 2012

Concerto da Orquestra de Câmara resgata Itália barroca


As principais características dos concertos para cordas da primeira metade do século 18 estão presentes no espetáculo “Viagem à Itália Barroca”, que a Orquestra de Câmara de Curitiba apresenta neste fim de semana, dentro da temporada 2012 patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo. Obras dos mais importantes compositores do gênero, os italianos Antonio Vivaldi e Giuseppe Tartini, integram o repertório conduzido por Maurício Aguiar, também responsável pelo violino solo.

As apresentações acontecem às 20h de sexta-feira (20), na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, com entrada franca, e às 18h30 de sábado (21), na Capela Santa Maria Espaço Cultural, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Também na Capela Santa Maria, o público tem a oportunidade de acompanhar o ensaio geral da orquestra, às 10h de quinta-feira (19), com ingresso gratuito.

No período Barroco, o concerto para cordas se transformou num dos gêneros musicais centrais na vida dos compositores italianos. Exclusivamente instrumentais, as obras têm normalmente como fio condutor a voz (canções e árias de óperas) ou um forte componente rítmico e corporal (músicas para dançar). Aos instrumentos solistas era atribuída a função do canto – com funções semelhantes aos cantores de ópera – e a expressão corporal era alcançada por meio de um virtuosismo extraordinário, obtido graças ao desenvolvimento das técnicas do violino e dos efeitos musicais do instrumento.

No repertório preparado pela Orquestra de Câmara estão obras nas quais os compositores, sem usar diretamente o canto e uma métrica para dançar, conseguiram “cantar” e alcançar o “corpo”. Os três concertos de Vivaldi – Concerto para Violino e Cordas em Si bemol maior RV 583, Concerto para Violino, Cordas e Contínuo em Mi menor RV 278 e Concerto para Cordas em Dó maior RV 114 – têm fortes componentes teatrais. A teatralidade de Vivaldi é comprovada no primeiro andamento do Concerto em Mi menor, que apresenta uma ária de ópera para violino. O violino “canta” o seu desespero e sua preocupação num ambiente tenso e negativo, como se fosse um personagem de ópera a expressar suas angústias amorosas.

Para finalizar o programa, o Largo Andante Movimento opcional para o Concerto para Violino em Lá maior D.96, de Giuseppe Tartini, é exemplo perfeito de uma composição para violino, na qual o objetivo é imitar ao máximo a voz humana.

O virtuosismo do violinista Maurício Aguiar, diretor musical e spalla da Orquestra de Câmara de Curitiba, pode ser conferido na condução do espetáculo. Residindo nos Estados Unidos desde 1991, o instrumentista é formado em Música pela Universidade de Cincinnati, com mestrado pela Universidade de Yale, onde também concluiu o curso de construção de violino. Com extenso currículo de apresentações no Brasil e exterior, o músico apresentou-se sob a regência de importantes maestros, entre eles James Levine, Valery Gergiev, Sir Roger Norrington, Paavo Jarvi e Kurt Masur. Vencedor de vários concursos nacionais, em 2011 atuou como spalla da Orquestra Sinfônica Brasileira, sob o comando de Loorin Maazel.



Serviço:

Apresentações da Orquestra de Câmara de Curitiba, sob a direção musical do violinista Maurício Aguiar, dentro da temporada 2012 de concertos patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo. O programa do concerto “Viagem à Itália Barroca” reúne obras dos compositores italianos Antonio Vivaldi e Giuseppe Tartini.

Datas, horários e locais:

- dia 19 de abril (quinta-feira), às 10h, ensaio geral da orquestra na Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro), com entrada franca;

- dia 20 de abril (sexta-feira), às 20h, na Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Av. Nossa Senhora Aparecida, 1.637 – Seminário), com entrada franca;
- dia 21 de abril (sábado), às 18h30, na Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro), com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Nenhum comentário:

Postar um comentário