segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Lançamento -O Livro dos Mortos do Rock



O Livro dos Mortos do Rock
Revelações sobre a vida e a morte de sete lendas do Rock'n'Roll
de David Comfort



O LIVRO

Elvis, Janis, Cobain, Hendrix, Morrison, Garcia, Lennon.
Um motorista de caminhão, uma garçonete pista de boliche, um zelador, um pára-quedista, um poeta sem-teto, um professor de guitarra hippie, um estudante de arte sem um tostão: todos tiveram origens humildes. Mas os sete estavam destinados a ser os pioneiros do rock and roll moderno. Ícones culturais. Apóstolos do Vaticano pop.

Muito tem sido escrito sobre os fundadores da música pop moderna, mas nenhum título explora seus mistérios. As suas viagensno escuro para finais trágicos.
O Livro Rock and Roll of the Dead é a destilação de cada biografia existente, tecendo diversos pontos de vista -, bem como a letra e a música das estrelas em si - em uma tapeçaria única e dramática. A riqueza de fatos geralmente desconhecidos e chocantes são revelados. Elvis cometeu suicídio. Ambos Hendrix e Kurt Cobain foram assassinados. Outras revelações são abundantes e conclusivamente documentadas embora os encobrimentos oficiais persistam.

O livro traça a traumas de infância a atração fatal de cada artista. A mãe de Lennon foi morta em um acidente de carro. Tanto a de Elvis e a mãe de Hendrix morreram de tanto beber. Garcia viu seu pai se afogar. Cobain insistiu que tinha "genes suicidas", devido ao número de parentes que tinham tirado suas próprias vidas. Aos quatro anos, Morrison testemunhou um massacre na estrada que mais tarde chamou de "maior evento na minha vida."

Assim como muitos artistas atuais, todos os sete eram obcecados com as estrelas que haviam se tornado. Mas, uma vez alcançado, o estrelato tornou-se uma gaiola dourada para cada um.

Quatro morreram na idade de 27, formando "Club 27". A maioria tinha premonições de um fim precoce. 'Eu vou ser morto em dois anos ", declarou Morrison com naturalidade aos 25. "Eu não tenho certeza de que vai viver a 28", disse Hendrix.

Destrutividade é o lado misterioso e escuro de muitos gênios criativos. Cada um dos sete tinha uma atração fatal. Todos tentaram ou ameaçaram suicidio. Todos ficaram viciados. A maioria morreu de abuso de drogas. Nem todos fatalmente baleado, mas a muito bem poderiam ter encontrado o mesmo fim.


O Livro dos Mortos do Rock é a primeira obra a comparar em profundidade as vidas conturbadas e as mortes trágicas dos sete maiores ícones do rock ‘n’ roll: Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morisson, Elvis Presley, John Lennon, Kurt Cobain e Jerry Garcia. O autor apresenta fatos reveladores e surpreendentes sob um ponto de vista inédito, analisando as ambições e lutas que estes artistas tinham em comum. Carismáticos e talentosos, mas isolados e cheios de conflitos, eles não foram exatamente os ídolos que pensávamos conhecer. Para além de sua genialidade, este livro revela o lado humano e dramático destas sete lendas do rock. Uma jornada frenética ao outro lado da fama. Uma viagem às fantásticas histórias de inquietação e excessos que culminaram em suas mortes prematuras e os elevaram à condição de Imortais.


Leia um trecho do livro aqui http://www.editoraaleph.com.br/site/media/catalog/product/f/i/file_52.pdf


Veja o site oficial o livro http://rockandrollbookofthedead.com/

O AUTOR
David Comfort

Formado em Literatura, David Comfort é autor de três best sellers. Seus contos de ficção foram publicados em diversas revistas, incluindo Eclectic Literary Forum, Pacific Review, Coe Review e Belletrist Review. Comfort recebeu diversos prêmios literários e foi finalista de prêmios de renome como o Nelson Algren Award e o America’s Best. Ex-músico de rock, passou mais de 30 anos estudando o estilo, em especial os revolucionários e fatalistas pioneiros da década de 1960. Atualmente mora em Santa Rosa, Califórnia.

Após graduar-se com um BA em Literatura pelo Reed College, o autor iniciou a sua carreira literária como um romancista e escritor de ficção curta. Ele estava entre os onze finalistas (de um grupo de 3400) para o Nelson Algren Award Chicago Tribune (juízes: Mona Simpson, Scott Turow). Foi um dos finalistas para o Fellowship Heekin / GrayWolf e o Helicon Nine Award em ficção curta, bem como para os Prêmios Faulkner.

Twitter de david comfort
@RRBOOKOFDEAD san francisco, CA


UM LANÇAMENTO

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

evento - Leitura contemporânea dos poemas de Homero



Grátis na Escola São Paulo

Leitura contemporânea dos poemas de Homero

ILÍADA E ODISSÉIA - RITMO E POESIA

com Cacilda Teixeira da Costa e Marcos Moraes



Participações especiais do professor André Malta,

na seleção de textos, e dos rapper Max BO e Dj Babão

ligados ao Hip Hop,

que partem de Homero para a realização

de uma performance experimental.



Dia 10 de novembro, das 20h às22h





rapper Max BO e Dj Babão





Os poemas homéricos foram compostos há mais de 3 mil anos. Estão na base da civilização grega que nos legou diferentes formas de expressão. Entre elas poética, literatura, teatro, filosofia, artes plásticas entre outras manifestações culturais.

Embora de uma época remota, os temas da Ilíada e Odisséia podem ser reconhecidos no nosso cotidiano:



· a ira de Aquiles e a violência de Agamenon, em um confronto selvagem entre os dois heróis

· a perdição amorosa de Ares e Afrodite e a reação humorada dos deuses;

· o desafio impensado de Odisseu ao Ciclope

· as provocações reivindicatórias de Tersites em seu desacato aos reis.



Mas será possível uma leitura contemporânea dessa obra? Quem seria na sociedade atual o equivalente ao aedo, poeta cantor da epopéia grega? Que interesse esses poemas podem despertar no publico atual?



Em busca dessas respostas, Cacilda Teixeira da Costa convidou Max BO para realizar uma performance com trechos de cantos da Ilíada e Odisséia de Homero em português, recriados e musicados em rap pelo poeta-cantor.



Selecionados pelo professor André Malta e musicados em parceira com DJ Babão, Max BO interpreta os poemas por meio de sua palavra cantada e ritmada que retoma a tradição oral da poesia na antiguidade.



O MC e o DJ, ligados ao Hip Hop, partem de Homero para a realização de uma performance experimental, diante de um público contemporâneo. Os trechos dos poemas recortam alguns dos momentos mais significativos da Ilíada e Odisséia.



O espetáculo será complementado pela cenografia virtual de Libero Malavoglia explorando aspectos gráficos da arte grega.



SERVIÇO

Data: 10 de Novembro (5ª)

Horário: das 20h às 22h

1 aula | 2 horas

Evento gratuito

Informações e reservas:

Escola São Paulo

Rua Augusta, 2239

Informações e Reservas: (11) 3060.3636

www.escolasaopaulo.org

evento - musica - Desafio de DJs na Virada Cultural


Durante a Virada Cultural, o Solar dos Guimarães será o palco da música eletrônica. No sábado (5), a partir das 19h30, além da exibição de DJs mais conhecidos, como Raul Aguilera, Dante, Ilan Kriger e James Feeler, acontece o Desafio de DJs, com a performance de 15 artistas que se apresentam durante seis minutos cada. O vencedor retorna ao palco por volta das 23h para um set de uma hora.

Os 15 DJs que participarão do desafio na Virada Cultural estão sendo selecionados por uma comissão formada por professores do Centro Europeu - AIMEC e profissionais da Fundação Cultural de Curitiba. Mais de 40 artistas já se inscreveram e enviaram seus arquivos ou links de set mixado para concorrer às vagas da etapa final.

De acordo com o coordenador do desafio, Ilan Kriger, cinco quesitos serão avaliados pelos especialistas: criatividade, resposta do público, repertório, carisma e técnica de mixagem. Os sets contemplam os mais variados estilos da música eletrônica: house, techno, trance, breaks, drum n’ bass, hip hop, chill out e dub step. “Com certeza, durante a Virada, vamos ter muita gente curtindo e se divertindo com os DJs”, garante Ilan.

A Virada Cultural, nos dias 5 e 6 de novembro, terá mais de 24 horas ininterruptas de uma intensa programação artística em todo o centro de Curitiba. Confira a programação completa no site www.correntecultural.com.br.





Serviço:

Música Eletrônica na Virada Cultural

Solar dos Guimarães – R. Mateus Leme, 66

Data: 5 de novembro, a partir das 19h30

19h30 às 20h30 - Raul Aguilera e Dante

20h30 às 22h - Desafio de DJs - 15 DJs se apresentam por 6 minutos cada

22h às 23h - Webbep - DJCom (Ilan Kriger e James Feeler)

23h às 24h - Set do Campeão do Desafio de DJS

evento - musica - Hamilton de Holanda e Orquestra Sinfônica do Paraná se apresentam no Palco Riachuelo







Espetáculo faz parte da Virada Cultural e terá no repertório a Sinfonia Monumental



O virtuoso músico bandolinista Hamilton de Holanda e sua banda se apresentam na Virada Cultural de Curitiba com a Orquestra Sinfônica do Paraná, sob a regência do maestro Osvaldo Ferreira. O concerto gratuito será realizado no Palco Riachuelo (Paço da Liberdade) no dia 6 de novembro, às 11 horas. O espetáculo apresenta no repertório a “Sinfonia Monumental”, de Hamilton de Holanda e do violonista Daniel Santiago. Serão apresentados também trechos de MPB.

Holanda tem o dom de contagiar plateias em suas apresentações por onde passa. O músico acumula inúmeros prêmios em sua carreira que teve início bem cedo, quando ele tinha apenas 5 anos. Hoje é um músico conhecido internacionalmente.

A obra "Sinfonia Monumental" foi dedicada aos 50 anos de Brasília, cidade onde ele cresceu, e reflete a história da transferência da capital para o interior do Brasil, a epopeia da construção, quando milhares de famílias trocaram suas terras de origem atrás da novidade, da aventura que criou a obra monumental, a cidade de Brasília.



Serviço:

Concerto “Sinfonia Monumental”, com o músico Hamilton de Holanda e a Orquestra Sinfônica do Paraná.

Dia 6 de novembro, às 11 horas.

Local: Palco Riachuelo (Paço da Liberdade).

Evento gratuito.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

evento - musica -Sons do Báltico nos acordes da Orquestra de CâmaraCultural




A Capela Santa Maria Espaço Cultural abriga, neste fim de semana, o concerto “Sons do Báltico”, quando a Orquestra de Câmara de Curitiba interpreta obras de compositores da Alemanha, Rússia, Suécia, Estônia e Finlândia. A direção musical estará a cargo do violinista Wiston Ramalho, tendo como solista o contrabaixista chileno Pablo Güinez, ambos integrantes da Camerata Antiqua de Curitiba. As apresentações acontecem às 20h de sexta-feira (28) e às 18h30 de sábado (29), dentro da temporada 2011 patrocinada pela Volvo.

No programa estão a Sinfonia Nº 13 em Dó Maior para Orquestra de Cordas, do alemão Felix Mendelssohn-Bartholdy (1809 – 1847); a Serenata para Cordas, do russo Vasily Kalinnikov (1866 – 1901); e o Concertino para Contrabaixo e Cordas Nº 11, do sueco Lars-Erik Larsson (1908 – 1986); sendo que da Estônia vem a composição Insula Deserta, de Erkki-Sven Tüür (1959); e da Finlândia foi selecionada a obra Suíte para Cordas, de Einojuhani Rautavaara (1928).

O repertório permite mostrar ao público o virtuosismo do contrabaixista Pablo Güinez. Nascido no Chile, em 1982, o instrumentista aperfeiçoou seus estudos musicais na Alemanha e já se apresentou em vários países da Europa e América do Sul, além dos Estados Unidos e Japão. Vencedor de importantes concursos internacionais, Güinez tocou na World Youth Orchestra, composta por músicos escolhidos nos festivais mais importantes do mundo, sendo o único latino-americano a integrar a orquestra.

Ao longo de sua carreira, Güinez trabalhou com grandes maestros e importantes solistas, entre eles Christoph Esccenbach, Yutaka Sado, Christopher Hogwood, Ivan Fischer, Midori, Lang Lang e Mischa Maisky. Em 2008, foi convidado pela Orquestra de Câmara de Stuttgard para realizar turnê pela América Latina, como solista de contrabaixo. Atualmente, é primeiro contrabaixo solista da Camerata Antiqua de Curitiba.

Outro integrante da Camerata Antiqua de Curitiba, o violinista Wiston Ramalho, responde pela direção musical do espetáculo. O instrumentista foi membro e violinista convidado da Grazer Synphonishes Orchester, Recreation Orchester Graz, Orquestra Filarmônica de Viena, Orquestra de Câmara de Viena e das orquestras sinfônicas do Paraná e de São Paulo.

Em 2008, Ramalho esteve na direção artística da série Concertos Internacionais, no Mosteiro de São Bento e, no ano seguinte, foi curador da série de concertos internacionais “Clássicos dos Clássicos”, realizada no Teatro da União Cultural Brasil-EUA. Em 2011, coleciona apresentações como camerista na série de concertos da Fundação Oscar Americano, em São Paulo, além de concertos no Centro Cultural de São Paulo, Teatro Positivo, Capela Santa Maria e no 31 Festival de Música de Londrina.

Serviço:

Apresentações da Orquestra de Câmara de Curitiba com o programa “Sons do Báltico”. A direção musical estará a cargo do violinista Wiston Ramalho, tendo como solista o contrabaixista chileno Pablo Güinez, ambos integrantes da Camerata Antiqua de Curitiba. O espetáculo integra a temporada de concertos 2011 patrocinada pela Volvo.

Datas e horários: dia 28 (sexta-feira), às 20h, e dia 29 de outubro de 2011 (sábado), às 18h30.

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro),

Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (meia-entrada)

evento - musica - Nuvens lança novo trabalho no Teatro Paiol




A banda curitibana Nuvens, faz nos dias 29 e 30 de outubro, no Teatro Paiol, duas apresentações para comemorar o lançamento do seu segundo álbum, intitulado Fome de Vida. O espetáculo, que contará com as novas composições, além de outras já trabalhadas pela banda, é resultado da união entre a música e a poesia, através de uma concepção teatral e das artes visuais, ambas focadas na essência do Fome de Vida. Além da banda, a produção terá direção cênica do ator, autor e diretor de teatro Edson Bueno, e do ator Tiago Luz.
Fome de Vida
Fome de Vida é um disco conceitual com 10 músicas que abordam um tema amplo, apresentando muito mais que apena dois opostos: o som e o silêncio, o certo e o errado ou o bem e o mal. Nesse caos, a busca então é estar a vontade para trilhar um caminho, “entre o segundo e a eternidade”. E assim as canções passam de forma, ora passional, ora reflexiva, por um contexto que se torna uma apologia ao ato de estar vivo.
As músicas foram compostas na certeza de que tudo se transforma o tempo todo, entre viagens, paixões, perdas, e alegrias. Além das experiências do dia a dia, três obras foram fundamentais nas composições e no conceito do trabalho: “O poder do mito” de Joseph Campbell, “Lobo da estepe” de Herman Hesse e “A alma imoral” de Nilton Bonder.
Já a sonoridade do disco surgiu da busca pela energia do ao vivo, ou do máximo que podia ser alcançado em estúdio. Na riqueza dos arranjos, o tempo todo a banda buscou valorizar os climas e intenções das letras. Num disco que cita Cazuza, Jimi Hendrix e Renato Russo, é perceptível a influência do rock 70, da psicodelia e também da música brasileira, sempre presente nas harmonias e temas. Um trabalho com personalidade única, sem medo de buscar a fundo cada som e palavra.
Mais do que um disco, o Fome de Vida é o reflexo de uma renovação artística iniciada em meados de 2010. O trabalho, que tem direção artística de Raphael Moraes, conta também com a produção de Alvaro Alencar, produtor e engenheiro de som que já trabalhou com Maria Rita, Lenine, Lobão e O Rappa. Além dele, o artista visual e designer Juliano Domingues foi o responsável pela identidade visual de todo o projeto.
Ficha técnica do show:
Nuvens é:
Rapha Moraes – guitarra, violão e voz
Amandio Galvão – guitarra e backings
Marcos Nascimento – baixo e backings
Guima Scartezini – bateria e backings
Marcus Pereira – percussão
Direção artística: Rapha Moraes
Direção cênica: Edson Bueno e Tiago Luz
Projeções: Cia de Canalhas
Direção técnica: Dinilson Ishicava
Produção executiva: Singélida Produção Cultural
Grafismos: Juliano Domingues
Serviço:
Show de lançamento do Fome de Vida – banda Nuvens
29 e 30/10 (sábado e domingo)
sábado – 21h / domingo – 19h
- Local: Teatro Paiol
- Ingressos:
R$20 (meia: R$10)
Meia-entrada: Disponível para crianças e jovens até 14 anos, estudantes (mediante apresentação da carteirinha), professores da rede estadual e privada (apresentação de contracheque, holerite ou carteirinha), pessoas acima de 60 anos e doadores de sangue (Lei Estadual Nº 13.964, de 20 de dezembro de 2002)
- Pontos de venda:
Bilheteria do Teatro Paiol
Terça a sexta: 13h30 às 19h, ou até o horário do evento em dias de eventos.
Sábado e domingo: 15h até o horário do evento
Guimadrum (R. Visconde de Nacar, 231, Mercês)
Segunda a sexta: 14h às 20h



quarta-feira, 19 de outubro de 2011

evento - musica - VALÉRIA CARVALHO LEVA “CRENÇA” AO CONFLUÊNCIA






Sábado, 22 de Outubro, pelas 22h00, Valéria Carvalho da Companhia de Actores apresenta o seu espectáculo musical “Crença”, no espaço Confluência, em Cascais. Esta associação cultural conta com a escritora Maria Helena Torrado e o actor e encenador Ricardo Carriço na direcção.

Um espaço cultural em plena cidadela de Cascais que visa permitir uma maior “confluência nas artes, nas pessoas e nas ideias”, declara Maria Helena Torrado. Ricardo Carriço acrescenta que “o espaço Confluência é um espaço aberto a outro tipo de espectáculos além do teatro, tendo como pano de fundo, a primazia dada à língua portuguesa”.

Neste contexto comum, surgiu a oportunidade de levar a palco, o espectáculo “Crença” de Valéria Carvalho. Um lugar onde grandes compositores portugueses e brasileiros bebem da mesma taça. Vamos privar de uma faceta menos conhecida de Valéria Carvalho – vamos poder vê-la enquantoperformer, músico e cantora, na companhia de Virgílio Gomes na guitarra, Jefferson Negreiros na percurssão e Paulo Pereira no saxofone e flauta.

Um espectáculo a não perder, “Crença” no Confluência.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

evento - musica -Orquestra Suzuki faz concerto especial para as crianças




O programa “Criança na Plateia”, que a Fundação Cultural de Curitiba promove no mês de outubro, tem como atração neste fim de semana (8 e 9) as apresentações da Orquestra Suzuki. As sessões das 15h são dirigidas a crianças atendidas por projetos sociais da Prefeitura e que poucas vezes têm acesso a esse tipo de programação. A sessão de domingo (9), às 17h, é aberta ao público em geral e o ingresso é um brinquedo novo ou um livro de literatura infantil.

A Orquestra Suzuki, formada por pequenos e jovens instrumentistas, alunos de violino, viola e violoncelo da Associação da Educação do Talento Musical do Paraná, executa o “Concerto crianças para crianças”. O grupo vem se apresentando com sucesso em espaços culturais da cidade, levando um repertório de músicas de vários estilos.

Os jovens instrumentistas tiveram a sua formação musical pelo método Suzuki, conhecido em todo o mundo por ensinar violino para crianças pequenas de uma maneira natural. Seu criador, o professor japonês Shinichi Suzuki, acreditava que o aprendizado de um instrumento musical deve começar o mais cedo possível, para que as crianças aprendam música assim como aprendem a língua materna.

Implantado no Paraná pela violinista e professora Hildegard Soboll Martins, o método agora tem continuidade com as violinistas Simone e Vanessa Savytzky, bem como com os demais professores da Associação. Recitais, concertos, cursos e também apresentações didáticas em escolas, hospitais e empresas foram realizados em Curitiba e outras cidades do Paraná, em Santa Catarina e São Paulo. O grupo participou da XII Convenção Mundial do Método Suzuki em Dublin, Irlanda, onde foi eleito o melhor grupo de música de câmera.

Serviço:

“Concerto crianças para crianças”, com a Orquestra Suzuki

Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro

Apresentação aberta ao público:

Dia 9 de outubro de 2011 (domingo), às 17h

Ingresso: um brinquedo novo ou um livro de literatura infanto-juvenil

Apresentações dirigidas às crianças atendidas pela Fundação de Assistência Social (FAS), pelo programa Comunidade Escola e pelos Núcleos Regionais da Fundação Cultural de Curitiba:

Dias 8 e 9 de outubro de 2011 (sábado e domingo), às 15h

Notícia - José Duarte vem ao Porto explicar o Jazz

















Por razões de ordem lógística as Audições de Jazz Comentadas por José Duarte vão começar apenas no próximo dia 21 de Outubro, no horário estabelecido anteriormente: 18h - 19h30.P

Pedimos a vossa compreensão e as nossas mais sinceras desculpas por qualquer incómodo que esta alteração possa causar.


Clube Literário do Porto

Rua Nova da Alfândega, nº 22

4050-430 Porto

Tel. 222 089 228

Fax. 222 089 230

Email: clubeliterario@fla.pt

URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

http://clubeliterariodoportofla.wordpress.com/

terça-feira, 4 de outubro de 2011

evento - musica - Violonista mexicano faz única apresentação em Curitiba







No próximo dia 10 de outubro, o Instituto Cervantes traz a Curitiba para única apresentação o violonista Francisco Gil, um dos músicos mexicanos com maior projeção internacional na atualidade. Considerado pela revista espanhola Acordes como um dos melhores violonistas latinoamericanos, Francisco Gil, apresentará, no Auditório da Escola de Música e Belas Artes, o concerto “Guitarríssimo”.

Natural da Cidade do México, Francisco Gil se graduou com menção honrosa nos conservatórios Nacional de Música (México) e Antonio Vivaldi de Alessandria (Itália), tendo sido aluno de Marco Antonio Anguiano e Angelo Gilardino, respectivamente.

Em sua carreira, Gil já atuou como solista da Orquestra de Câmara de Puebla, da Orquestra Sinfônica Michoacán (ambas no México), da Orquestra Sinfônica de Kuala Lumpur (Malásia) e da Orquestra de Câmara de Mont Blanc (França). Entre as propostas do violonista está a busca do resgate do repertório latinoamericano e espanhol que constituiu a cultura guitarrística do continente. Desta forma Gil tem entre seus compositores prediletos na América Latina o brasileiro Francisco Mignone, o argentino Gilardo Gilardi, o mexicano Manuel M. Ponce e o venezuelano Antonio Lauro.

Além de professor no Conservatório de Música do Estado do México, Francisco Gil tem realizado cursos e conferências no Brasil, Uruguai, Argentina, Estado Unidos, Espanha, Itália e Suíça.

No programa que apresentará em Curitiba estão peças de Isaac Albéniz Pascual, renomado compositor e pianista espanhol. Entre suas composições se encontram obras orquestrais e canções, com predomínio de peças para piano. Francisco Gil também executará peças do uruguaio Abel Carlevaro. Instrumentista e compositor, Carlevaro, além de ser um dos grandes violonistas de sua época, também é o criador de uma nova escola de técnica do instrumento. Seu método de sentar e tocar violão, baseado em profundos estudos anatômicos, foi considerado revolucionário.



Programa



Isaac Albéniz (1860 – 1909)

Pavana capricho Op. 12

Rumores de la caleta Op. 71 nº 6 (malagueña)

Cádiz Op. 47 nº 4 (canción)



Abel Carlevaro (1916 - 2001)

Milonga Suite nº 1

- Azul y blanco

- Milonga triste

- Lunera

- Roelar



Isaac Albéniz

Zambra granadina (danse orientale)

Torre bermeja Op. 92 nº 12 (serenata)



Serviço:

Concerto “Guitarríssimo”, com o violonista mexicano Francisco Gil

Data: 10 de outubro

Hora: 11h

Local: Auditório do EMBAP (Rua Francisco Torres, 257)

Entrada franca.

Informações: 3362-7320

evento - musica - A percussão de Marcos Suzano na CAIXA Cultural







Músico carioca se apresenta na Série Solo Música





A CAIXA Cultural apresenta o percussionista Marcos Suzano, na Série Solo Música, no dia 11 de outubro. O músico, percussionista de destaque no Brasil e no exterior, mostra um show solo com destaques de sua carreira.



Não é a primeira vez que o músico se aventura em um trabalho solo. Sua primeira experiência foi em 1996, com “Sambatown”, em que fez usos inovadores com o pandeiro e intensificou a batida samba-funk, além da utilização de sons mais graves. Em 2000, lançou “Flash”, seu segundo trabalho solo, com uso da música eletrônica.



Suzano desenvolveu uma técnica específica para tocar o pandeiro, em que o princípio é tocar o instrumento "ao contrário", isto é, tomando como tempo forte não a batida do polegar, mas a das pontas dos dedos contra a pele do pandeiro. O músico afirma facilitar a execução de ritmos fora do padrão do pandeiro, como compassos ímpares, por exemplo.



Marcos Suzano tem mais de duas décadas atuando na música e se consagrou como um dos grandes percussionistas brasileiros. Iniciou na música tocando surdo e cuíca, aderindo posteriormente ao pandeiro, inspirado por Jorginho do Pandeiro do grupo Época de Ouro. O músico, que se destaca pelo trabalho autoral, estudou ritmos africanos com Paulo Moura, tocou com Zizi Possi, Água de Moringa, Marisa Monte, Gilberto Gil, Lenine, Benjamin Taubkin (que também se apresentou na Série Solo Música), entre outros. Participou ainda do grupo Aquarela Carioca e integra o Pife Muderno, de Carlos Malta.



Sua discografia se completa com os álbuns “Satolep Samba Town” (2007), com Vitor Ramil, “Atarashii” (2008) e “Trio 3-63” (2009), com Paulo Braga e Andrea Ernst Dias.



Série Solo Música



Em seu terceiro ano de existência, a Série Solo Música se consolidou como realizadora de grandes shows na CAIXA Cultural. Os aspectos que consagraram o projeto vão da diversidade cultural e qualidade musical a ousadia em apresentar recitais raros e em formação solo.



Somente nesta temporada já se apresentaram Roberto de Regina (cravo), Moacyr Luz (samba), Edith de Camargo (cantora e pianista), Rodolfo Richter (violinista), Oleg Fateev (bayan), entre outros. A Série vai apresentar ainda este ano Daniel Migliavacca (bandolim) e Artus Andrés (flautas e marimba de vidro).



A Série Solo Música também inova ao se definir, de forma proposital, como uma série sem gênero definido, mesclando diversas tendências. Passa pela música erudita, pela música popular e pela world music, sem se esquecer do uso de novas tecnologias. O projeto oferece ainda masterclasses com alguns dos seus artistas, o que amplia seu caráter cultural e educativo.



Serviço:



Música: Série Solo Música – Marcos Suzano (Percussão)

Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 11 de outubro – terça-feira

Horário: 20h30

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111(de terça a sexta, das 12h às 19h, sábado e domingo, das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural