quarta-feira, 31 de agosto de 2011

evento - musica -São Paulo Arte Trio apresenta-se no Memorial de Curitiba







O grupo São Paulo Arte Trio apresenta-se nesta sexta-feira (2), às 20h, no Teatro Londrina – Memorial de Curitiba. O grupo está realizando uma turnê por várias capitais pelo projeto Imagens do Brasil, patrocinado pelos Correios. Depois de São Paulo e Rio de Janeiro, Curitiba recebe o projeto, que será levado ainda a Brasília, Porto Alegre, Salvador e Belo Horizonte.

O trio interpreta duas obras de compositores brasileiros: o Trio Opus 10, de Alexandre Levy (1864 – 1892), e o Trio em Fá sustenido menor, de Alberto Nepomuceno (1864 – 1920). As obras compreendem o final do século XIX e início do século XX, e foram selecionadas de forma que o ouvinte possa apreciar as características estilísticas que legitimam os dois compositores como autênticos representantes do romantismo na música erudita brasileira.

Fundado em 2006, o São Paulo Arte Trio é formado por três destacados músicos residentes em São Paulo: o pianista paulistano Paulo Gazzaneo, o violinista Laércio Diniz, do Rio de Janeiro, e Ana Maria Chamorro ao violoncelo, professores conceituados com formação acadêmica consistente e concertistas premiados nacional e internacionalmente. O trio vem somando apresentações nas principais salas de concerto do Brasil e integrando o calendário de importantes séries de concertos de câmara.



Serviço: Apresentação do grupo de câmara São Paulo Arte Trio Local: Memorial de Curitiba – Teatro Londrina (Rua Claudino dos Santos, 79 – Largo da Ordem) Data e horário: 2 de setembro de 2011 (sexta-feira), às 20h Entrada franca Informações: (41) 3321-3313


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Notícia - Mercearia Bresser recebe nova geração de músicos curitibanos





A Mercearia Bresser do Batel recebeu na semana passada (dia 11) a cravista
Elizabeth Fadel e o bandolinista Daniel Migliavacca, após a última noite
do show Divertimento, que aconteceu na Capela Santa Maria Espaço Cultural.
Na foto, os ilustres clientes que fazem parte da nova geração de
instrumentistas do cenário musical curitibano. Na ocasião, eles foram
comemorar o lançamento do CD Divertimento, apresentado em dois concertos
na belíssima Capela.


terça-feira, 16 de agosto de 2011

evento - musica - Nova Música Brasileira



Intercenas Musicais chega a Curitiba com shows de Vendo 147, Karina Buhr e Banda Gentileza Iniciativa aposta na circulação de artistas para promover a diversidade musical

No dia 19 de agosto, Vendo 147 (BA), Karina Buhr (PE) e Banda Gentileza (PR) se apresentam no Espaço Cult, as 23h. Os shows fazem parte do Intercenas Musicais, iniciativa que realiza mini-turnês e eventos de pequeno e médio porte para circulação de artistas da nova música baiana e nacional.

O Intercenas Musicais aposta que o intercâmbio de artistas proporciona a ampliação da diversidade musical e o desenvolvimento de mercado, contribuindo para a profissionalização e fortalecimento das redes regionais de trabalho.

Sobre os artistas:
Karina Burh (foto)
Eleita a artista revelação de 2010 pela APCA (Associaçao Paulista dos Críticos de Arte), a cantora, compositora e percussionista Karina Buhr, lançou, em março de 2010 o “Eu Menti Pra Você”, seu disco de estréia em carreira solo, que foi muito bem recebido pela mídia especializada e pelo público. Veículos de todo o Brasil deram grande destaque ao CD como um importante lançamento do ano e a Karina como uma grande revelação da musica nacional, como compositora e cantora.
O show, vem sendo recebido com a mesma vibração do disco, com platéias sempre envolvidas e público crescente. Como reconhecimento do trabalho, vieram também o convite para integrar a programação do Rock in Rio 2011, além das indicações para importantes prêmios da musica brasileira como o VMB, da MTV e o Prêmio Música Digital. Karina também está entre os candidatos a melhores do ano no Guia da Folha de São Paulo, com o show de lançamento do seu disco no SESC Pompéia e também integrando os shows do lançamento da “Caixa Preta” de Itamar Assumpção.
Buhr Iniciou sua carreira musical em 1994, nos maracatus Piaba de Ouro e Estrela Brilhante, de Pernambuco. De lá pra cá foram inúmeros os grupos dos quais participou, entre eles as bandas Eddie, Bonsucesso Samba Clube, DJ Dolores, Véio Mangaba e suas Pastoras Endiabradas entre outros, além de trabalhos expressivos em dança e teatro.
Toda essa bagagem transparece agora em carreira solo com shows que impressionam pelo domínio de palco da cantora, pela sonoridade experimental e vigorosa, letras com formato muito particular e poesia marcante. Esse novo trabalho tem forte acento pop e uma banda poderosa, que conta com Bruno Buarque na bateria e bases eletrônicas, Guizado no trompete, Mau no baixo, Edgard Scandurra e Fernando Catatau nas guitarras.
Karina também assina as ilustrações do encarte do seu CD de estréia e das capas e encartes dos 3 Cds da banda Comadre Fulozinha, criada em 1997, que fez várias turnês brasileiras e se apresentou em diversos palcos da Europa, Canadá e EUA.
Ainda em 2010, Karina gravou os programas Altas Horas da rede Globo, Ensaio e Metrópolis da TV Cultura, teve musicas suas incluídas na mini série “Clandestinos” da Globo e “Descolados” da MTV, foi um dos três nomes escolhidos para representar o Brasil na Womex, importante feira mundial de música, realizada em outubro, em Copenhague, onde fez um show também bastante elogiado.
Nas palavras da jornalista Patrícia Palumbo: "Tem que ouvir agora mesmo Karina Buhr! Compositora talentosa, singular, de poesia tocante. Canta bonito, escreve letras únicas, tem uma sonoridade incrível, nova, original".
Radicada em São Paulo há 6 anos, fez parte da companhia Teatro Oficina, de José Celso Martinez Correa, como atriz, cantora, percussionista e compositora. Com o grupo participou de “Bacantes” e das cinco peças que compõem “Os Sertões”, em temporadas em São Paulo, na turnê brasileira 2007 (Salvador, Recife, Rio de Janeiro, Quixeramobim e Canudos), na gravação dos DVDs e na abertura da temporada 2005/2006 do teatro Volksbühne, em Berlim. Com o grupo ganhou o prêmio Shell São Paulo de Teatro 2002, na categoria melhor trilha sonora.
Tem participações em CDs da Mundo Livre s/a, Eddie, Erasto Vasconcelos, Antônio Nóbrega, Dj Dolores, nas coletâneas Reiginaldo Rossi, Baião de Viramundo, Pernambuco em Concerto, Music from Pernambuco, Música de Pernambuco, Revista Bexiga Oficina do Samba e + SOMA. Karina integrou a banda da cantora Iara Rennó com o show Macunaíma Ópera Tupi.


Banda Gentileza:
A versatilidade e a busca pelo novo e por novos horizontes sonoros sempre foram características definidoras do sexteto. Desde o primeiro show, em 2005, várias referências já dialogavam com tranquilidade, causando positiva inquietação em quem ouvia a Banda Gentileza pela primeira vez. Rótulos eram cada vez mais difíceis e, de certa forma, agora são excludentes e desnecessários. Com seis integrantes, que tocam ao todo 16 instrumentos, as influências se multiplicam e o Espírito Festeiro vai à forra. Passam por samba, música folclórica do leste europeu, música caipira, rock e valsa, com espantosa unidade. E não se assuste porque tudo faz ainda mais sentido quando surge a poesia certeira de Heitor Humberto, vocalista e principal compositor do grupo, talento cancioneiro dos mais impressionantes nos palcos nacionais.

Vendo 147:
A Vendo 147 é uma banda de música instrumental, nascida em Salvador/BA, que tem como principal (mas não único) diferencial o “clone drum” (bateria siamêsa, onde um mesmo bumbo tocado por duas pessoas, uma de frente para a outra, sincronizadas, como gêmeas, clones). A banda é formada por Glauco Neves e Dimmy “O Demolidor” Drummer, os “bateristas-clones”, Pedro Itan e Duardo Costa, nas guitarras, e Caio Parish, no baixo. O grupo iniciou, efetivamente, suas atividades em meados de 2009 e, em pouco tempo, conseguiu difundir seu som em quase todos os cantos do país, tendo participado dos principais festivais de música, como: Do Sol (RN), Aumenta que é Rock (PB), Campeonato Mineiro de Surfe (BH), Palco do Rock no carnaval (BA), Abril Pro Rock (PE), Maionese (AL), Virada Cultural (SP), Bananada (GO), Demo Sul (PR), Transborda (BH), Festival Instrumental do CCBN (PB e CE), Big Bands e Grito do Rock (BA), entre outros.
Serviço: O quê: Intercenas Musicais Curitiba Quem: Vendo 147 (BA), Karina Buhr (PE) e Banda Gentileza (PR) Onde: Espaço Cult - Rua Claudino dos Santos, 72, São Francisco Quando: 19/08 - 23h Ingressos: 10,00 antecipado / 15,00 na portaria Informações: www.maquinarioproducoes.com.br/intercenas


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Lançamento - The Beatles vs. The Rolling Stones





The Beatles vs. The Rolling Stones
de Jim DeRog
atis e Greg Kot



Tradutor: Cristina Yamagami
Páginas: 192
Formato: 24 x 28 cm


Aí então... Lançado pela Globo livros, The Beatles vs. The Rolling Stones é uma verdadeira enciclopédia que compara as duas bandas. O livro segue um estilo de diálogo.
Podemos dizer que são dois dos mais importantes jornalistas de música do mundo que enfrentam o debate mais acalorado da história do rock: Qual a melhor banda - os Beatles ou os Rolling Stones?

Mais de duas dezenas de temas do debate são abordados, a partir do Cavern e clubes Crawdaddy e um pau a pau de comparações de álbuns específicos (por exemplo, Exile, ou "Álbum White"?).

Os papéis dos integrantes nas faixas, , os produtores influentes, as influências musicais, e muito mais.

É o livro que se atreve a enfrentar temas sobre os quais os fãs têm regurgitado e vociferado durante anos. Ilustrado com fotografias incríveis, o livro também tem uma capa surpreendente.


O LIVRO
Há meio século, todo e qualquer jovem que começa a desbravar o mundo do rock'n'roll, cedo ou tarde, chega a um impasse: Beatles ou Rolling Stones? Inicialmente insuflada pelas estratégias de marketing dos próprios grupos, a disputa acerca da supremacia no reino do rock faz parte do imaginário de gerações e gerações, acendendo calorosos debates.


E se fosse possível tirar a paixão do caminho? E se fosse promovida uma discussão objetiva, técnica, isenta? Isso permitiria chegar a uma conclusão definitiva?


Com esse ponto de partida, o livro The Beatles vs. The Rolling Stones: a grande rivalidade do rock'n'roll põe as bandas lado a lado num detalhado exame comparativo de cada um dos aspectos que as transformaram em lendas. Numa divertida série de "batalhas", a obra põe em confronto os respectivos vocalistas, guitarristas, bateristas, baixistas, composições, discografias, caminhos criativos e até imagens públicas de Beatles e Stones. O livro é todo desenvolvido na forma de diálogos entre os autores Jim DeRogatis e Greg Kot.



Como não poderia deixar de ser, as divergências afloram como polêmica à medida que os autores mergulham nas minúcias do imaginário combate. Não se trata, porém, do embate entre um beatlemaníaco contra um stonemaníaco, mas, sim, do cruzamento de diferentes opiniões e julgamentos sobre as características de cada banda, com um sincero empenho apartidário por parte de cada autor.



Feito para entusiasmar (ou, às vezes, enfurecer) fãs de parte a parte, The Beatles vs. The Rolling Stones é sério candidato a item de colecionador, com sua riquíssima coleção de fotos e reproduções de capas de álbuns e cartazes de shows. Tudo isso acompanhado de muita informação extra.

O AUTORES

Greg Kot é crítico de rock desde 1990 no Chicago Tribune 's. Da suas opiniões também no Sound (soundopinions.org) na rádio pública e é o autor do Wilco: Learning How to Die e Ripped: A revolução da música digital.

Jim Derogatis é crítico de música pop no Chicago Sun-Times, e autor de vários livros sobre música e cultura, incluindo a Velvet Underground (Voyageur Press) e Let It Blurt: The Life and Times of Lester Bangs.








UM LANÇAMENTO


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

evento - musica - Degustação Musical



clique para ampliar


evento - musica -Tango e samba se encontram com o rock


Noite Fora do Eixo apresenta: Violentango (ARG) e Homem Canibal (CWB)

Tango e samba se encontram com o rock no palco do Era só o que Faltava


A capital paranaense recebe mais uma edição do projeto ''Noite Fora do Eixo'', a iniciativa começou com o objetivo de fomentar a economia criativa entre as cidades que são sedes dos coletivos que formam o Circuito Fora do Eixo em todo país. Com um gráfico que conta com 500 edições anuais, e a circulação de 1500 artistas em todo o Brasil e países da América Latina, o projeto, que vem crescendo e aquecendo o mercado da música nacional e internacional, traz a Curitiba a mistura de duas bandas que tem em seu país de origem sua principal influência.

No Violentango os integrantes são jovens demais para dançar o tango da velha guarda, e encontraram na música instrumental a expressão máxima de sua arte. Em apenas 5 anos de idade este quinteto de tango moderno instrumental já percorreu a Europa e a América do Sul, gravou e lançou quatro álbuns e apresentou centenas de espetáculos multimídia em festivais, teatros, praças e pontos turísticos em todo o mundo.

A outra banda a se apresentar é o Homem Canibal, que é mais um representante paranaense da música brasileira de qualidade. A banda está na estrada há quase 7 anos, soma muitos shows e atrai cada vez mais a atenção do público e da crítica. No show, além do repertório de músicas autorais, grandes nomes da música são homenageados com releituras inusitadas e interessantes: Rage Against The Machine, Caetano Veloso, Chico Sciense e a Nação Zumbi, Martinho da Vila, Pedro Luís e a Parede e muitos outros.



Realização: Fora do Eixo Curitiba, Homem Canibal

Apresentação: Era Só o Que Faltava

Endereço: Avenida República Argentina, 1334- Portão

Início dos shows: 23:30h

Informações e Reservas: 41 3342-0826

Ingressos: R$20,00 na hora

R$15,00 lista amiga (listamiga@faltava.com.br)


terça-feira, 9 de agosto de 2011

evento - musica - Show Ednardo - lançamento de livro/CD







SESC Belenzinho apresenta Ednardo, que lança livro/CD sobre movimento cultural Massafeira Livre


O projeto Arquivo do SESC Belenzinho apresenta artistas e grupos que consolidaram seu nome no cenário da música brasileira por meio de uma carreira profícua ou pela proposta estética inovadora. São músicos que se destacaram pelo trabalho alternativo em contraponto ao que é difundido pela indústria fonográfica estabelecida.

Depois de nove anos longe dos palcos paulistanos, o cantor e compositor cearense Ednardo participa do projeto Arquivo do SESC Belenzinho, no dia 13 de agosto, sábado, às 21 horas. O show comemora o lançamento do livro Massafeira 30 Anos – Som Imagem Movimento Gente (Aura Editora), que traz junto o CD duplo Massafeira Livre, homônimo ao festival ocorrido há mais de 30 anos, em Fortaleza, quando o disco foi gravado.

O álbum duplo foi, recentemente, remasterizado pela Sony Music e traz, além de Ednardo, vários outros intérpretes: Belchior, Fagner, Rodger Rogério e Teti, além das vozes de Lúcio Ricardo, Ângela Linhares, Chico Pio, Ana Fonteles, Régis & Rogério, Tânia Cabral, Calé Alencar, Mona Gadelha, Pachelly Jamacaru, Graco, Vicente Lopes, Petrúcio Maia e Sérgio Pinheiro, entre outros. O CD, com 23 faixas, é vendido também separadamente.

O livro Massafeira 30 Anos – Som Imagem Movimento Gente foi publicado, em 2010, e agora ganha lançamento no SESC Belenzinho, em São Paulo. Organizado por Ednardo, a obra foi escrita coletivamente por diversos artistas e jornalistas: o próprio Ednardo, Calé Alencar, Rosemberg Cariry, Brandão, Mona Gadelha, Ruy Vasconcelos, Fausto Nilo, Michel Platini, Gilmar de Carvalho, Dalwton Moura, Henilton Menezes, Nelson Augusto, Eleuda de Carvalho e outros. O livro traz muitas imagens inéditas, fotos de Gentil Barreira, ilustrações de Brandão, fotogramas do filme realizado por Ednardo durante o Massafeira Livre, imagens de Rosemberg Cariry, além de trabalhos de vários outros artistas.

Massafeira Livre



O festival Massafeira Livre ocorreu no Theatro José de Alencar, em 1979, em Fortaleza, reunindo grande parte da classe artística cearense, durante quatro dias, com oito horas diárias de duração. Ednardo foi diretor artístico e também produziu o evento. Cerca de 400 artistas - entre músicos, poetas, atores, dançarinos, artistas plásticos, fotógrafos e cineastas - participaram do evento apresentando suas manifestações artísticas autorais. A repercussão e adesão foram tamanhas que a Massafeira se tornou um movimento cultural coletivo, que envolveu também um grande público espectador e revolucionou o conceito das apresentações tradicionais no Ceará. Como a música teve um destaque especial, o movimento gerou um disco duplo que lançou, em 1980, grandes nomes da cultura cearense e deixou marcado na história a determinação desses jovens artistas.




Nas palavras de Ednardo, “o movimento cultural coletivo Massafeira Livre exalou uma efervescência febril, bela e loucamente solta durante quatro dias. Era como se fosse o carnaval mudando de data e mais verdadeiro”. Essa “feira” cultural com espírito inovador e iconoclasta não apenas exibiu os jovens coletivos artísticos ou os mais conhecidos à época, como também os expoentes da terra natal de José de Alencar mostraram a cara, alguns veteranos estreantes em palcos da capital: o poeta popular, improvisador e compositor Patativa do Assaré; a Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto (que tem uma importante participação no filme de Bia Lessa, Crede Mi, de 1996); o mestre rabequeiro Cego Oliveira; entre muitos outros.



Ednardo


Compositor, cantor e diretor de cinema, Ednardo iniciou sua trajetória em 1970, quando venceu o Festival Nordestino da Música Brasileira, promovido pelos Diários e Rádios Associados - TV Tupi. Nascido em Fortaleza, ele é autor de mais de 400 músicas e letras, distribuídas em 15 discos originais, 15 compilações, 4 trilhas de cinema, 2 trilhas para Teatro, 2 vídeos com especiais de TV, e alcançou reconhecimento nacional como um dos mais importantes artistas da Música Popular Brasileira. Sua obra repercute por várias gerações e suas músicas são executadas também em países como Portugal, Espanha, França, Japão, Israel, Alemanha, Itália, Holanda, Argentina, Uruguai, Cuba, México e em comunidades latino-americanas nos EUA.

Repercute até hoje o sucesso da emblemática “Pavão Mysteriozo”, música de abertura da novela Saramandaia (TV Globo), de Dias Gomes com direção de Walter Avancini. Ele também participa das trilhas sonoras dos filmes Luzia Homem (de Fábio Barreto, onde viveu também o personagem Poeta de Cordel), Tigipió, premiada nos festivais de Karlov Vary (Checoslováquia) e de Verona (Itália), O Calor da Pele (de Pedro Jorge de Castro) e Cauim, no qual produz, roteiriza e dirige filme homônimo ao disco Cauim, que será lançado em DVD. Compôs ainda para a novela Tocaia Grande (TV Manchete), sobre obra de Jorge Amado com direção de Walter Avancini. É dele a música de cordel de encerramento do folhetim, no qual também participou como ator.

Entres os sucessos de sua careira, destaque para “Terral”, “Pavão Mysteriozo”, “Artigo 26” , “Flora”, “A Manga Rosa”, “Beiramar” “Carneiro”, “Enquanto Engoma a Calça”, “Imã”, “Rubi”, “Longarinas”, “Pastora do Tempo”, “Lagoa de Aluá”, “Ingazeiras” e outros. Mais de 50 intérpretes gravaram músicas de Ednardo, entre eles Elba Ramalho, Fagner, Belchior, Ney Matogrosso, Vânia Abreu, Luiz Caldas, Amelinha, Ceumar, Cláudio Lins, Inti-Aymará & Nacha, Nonato Luiz, Renato Aragão, Eliana Pittman, Mona Gadelha, Moisés Santana, Banda Paralela, Grupo Mawaca e outros.

Repertório do show
O show de Ednardo inclui, além de composições do CD Massafeira Livre, canções importantes de sua carreira.

Repertório completo: “Cariri” (Ednardo), “Imã” (Ednardo), “Ingazeiras” (Ednardo), “Mucuripe” (Fagner e Belchior), “Passeio” (Belchior), “Longarinas” (Ednardo), “Na Asa do Vento” (João do Vale e Luiz Vieira), “Amor de Estalo” (Ednardo e Brandão), “Dono dos Teus Olhos / Kalu” (Humberto Teixeira), “A Palo Seco” (Belchior), “Artigo 26” (Ednardo), “Flora” (Ednardo, Dominguinhos e Climério), “Lagoa de Aluá” (Ednardo, Vicente Lopes e Climério), “É Cara de Pau” (Ednardo e Brandão), “A Manga Rosa” (Ednardo), “Beira Mar” (Ednardo), “Dorothy Lamour” (Petrúcio Maia e Fausto Nilo), “Lupiscínica” (Petrúcio Maia e Augusto Pontes), “Carneiro” (Ednardo e Augusto Pontes), “Cavalo Ferro” (Fagner e Ricardo Bezerra), “Pavão Mysteriozo” (Ednardo), “Enquanto Engoma a Calça” (Ednardo e Climério) e “Terral” (Ednardo).

Projeto Arquivo Show: Ednardo Músicos: Ednardo (voz, violão, guitarra e teclados), Manassés (violão de 12 e cavaquinho), Lú de Souza (guitarra), Luis Miguel (contrabaixo), Edson Filho (teclados) e Denílson Lopes (bateria). Dia 13 de agosto - Sábado - às 21 horas SESC Belenzinho - www.sescsp.org.br/belenzinho Endereço: Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho/SP - Tel: (11) 2076-9700 Teatro (392 lugares). Duração: 1h30. Classificação etária: 12 anos.

Ingressos pelo INGRESSOSESC: R$ 32,00 (inteira); R$ 16,00 (usuário matriculado e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública); R$ 8,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).
Estacionamento: R$ 6,00 (não matriculado); R$ 3,00 (matriculado, trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo / usuário). Acesso universal. Ar condicionado.

Shows do projeto Arquivo - agosto/2011: Plebe Rude - 5 e 6/08, sexta e sábado, 21h30. Comedoria. Ingressos: R$24,00; R$12,00, R$6,00. Marcelo Nova - 12/08, sexta, 21h30 - Comedoria. Ingressos: R$ 24,00, R$ 12,00, R$6,00. Ednardo - 13/08, sábado, 21h - Teatro. Ingressos: R$32,00; R$16,00; R$8,00. Made in Brazil - 13/08, sábado, 21h30. Comedoria. Ingressos: R$24,00, R$12,00, R$6,00.


evento - musica - 32 artistas e bandas de 10 estados



Programação musical reúne, no CCBNB, 32 artistas e bandas de 10 estados das cinco regiões do Brasil


Trinta e dois artistas e bandas de dez estados das cinco regiões do Brasil - Nordeste (Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Bahia e Sergipe), Sudeste (Minas Gerais), Sul (Rio Grande do Sul), Centro-Oeste (Distrito Federal) e Norte (Pará) - integram a programação musical "Cultura vai à Feira", que o Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) realizará gratuitamente no período de 17 a 20 deste mês, de 12 horas às 20 horas. Serão oito shows a cada dia.

Conheça a seguir a programação:



Carol Oliveira (CE) - dia 17, às 12h.

Carioca, mas cearense por opção, desde a adolescência cultiva o respeito e o trato pela música e a cultura popular brasileira, reconhecida e referendada no cenário local por sua voz marcante, é admiradora da bossa nova e do samba de raiz. O show será um passeio por esse genêros músicais, apreciado por todos que fazem parte da história da música brasileira.



Kazane (CE) - dia 17, às 13h.

Artista plástico, Ilustrador e um dos principais ícones do Blues na cena local, seu trabalho autoral exauta a diversidade e excentricidade do nosso povo e da cidade. O formato atual é em quinteto, sendo assim Kazane Blues, pode fundamentar as diversas expressões desta forma musical, egressa dos EUA e tão bem aceita no Brasil.



Lia Veras (CE) - dia 17, às 14h.

A professora de canto Lia Veras, que já se apresentou em diversos festivais de música dentro e fora do estado. Em 2010, desponta na cena autoral cearense como letrista, tendo seus escritos musicados pelos compositores Rogério Lima, Carlos Hardy, Márcio Resende e Luciana Costa. Apresenta o show, "Pra te dizer algo assim", com uma nova roupagem dos trabalhos de artistas consagrados e algumas de suas composições.



Lorena Nunes (CE) dia 17, às 15h

Intérprete que vem ganhando entusiasmados elogios e chamando atenção na expoente geração da música cearense, apresenta o show "Ai de Mim", uma homenagem à autores cearenses como Rogério Franco, Rodger Rogério, assim como releituras de grandes compositores brasileiros, como João Bosco e Aldir Blanc, Chico Buarque e Caetano Veloso.



Elvis Boamorte e Os Boavidas (SE) - dia 17, às 16h.

Grupo uriundo de Sergipe tem como proposta de composição a utilização de acordes cheios de swing, utilizando a mais comum característica brasileira que é a de misturar vários gêneros musicais, do samba-rock ao axé. Com harmonia distorcida e letras despretensiosa, eles já conquistaram o público.



The Baggios (SE) - dia 17, às 17h.

O duo sergipano que iniciou suas atividades em 2004, apresenta seu trabalho em terras alencarinas. Possuem habilidade natural ao misturar o blues primitivo ao rock in roll, suas letras enraizadas nas questões sociais contemporânea, embebidos nas águas turvas e viciadas da música negra, com essetrabalho, foram contemplados em vários festivais nacionais.



Marcos Lessa (CE) - dia 17, às 18h

Jovem, talentoso e determinado, iniciou sua carreira em 2007, lançando o primeiro CD autoral "Olhares da Vida", teve como parceira Clarisse Araripe. Cantou o "Pessoal do Ceará", num projeto com o instrumentista Manassés. Sua busca incessante por novos conhecimentos e experiências, não o deixam parar, nesse show interpreta os conterrâneos Belchior, Fagner, Ednardo, Petrúcio Maia e Fausto Nilo, como também suas composições.



Carlos Zens (RN) - dia 17, às 19h

Carlos Zens , instrumentista, compositor e cantor potiguar, segue as veredas do Mar ao Sertão da música brasileira, onde apresenta um repertório alegre, leve e rítmico, dedicado a contemplação com o mar e a veneração com o sertão. Além de nos presentear com citações poéticas: IMENSIDÃO; "Guimarães Rosa","NÃO GOSTO DE SERTÃO VERDE" Câmara Cascudo," O RETRATO DO SERTÃO, Patativa do Assaré e " JANELAS NO MAR " de Odylo Costa Filho.



Gustavo Portela (CE) - dia 18, às 12h.

Instrumentista e compositor cearense, originário da banda Et Circense e Encarne, apresenta um trabalho coeso de composições coletivas, intitulado "movimento", com canções inéditas de sua autoria como também contribuição de outros artistas locais, possue uma diversidade de rítmos, letras poéticas e uma sonoridade bem peculiar.



Talma & Gadelha (RN) - dia 18, às 13h

O som das terras potiguaras ganham espaços em nossos palcos, o grupo liderado por Simona Talma e Luiz Gadelha, nos remete ao rock in roll dos anos 70, revelado pelos Mutantes ou Rita Lee, e ao mesmo tempo lembra a pegada indie rock, isso será conferido no show, "Matando o Amor", mesmo nome do CD, produzido por Anderson Foca.



Bonecas da Barra (CE) - dia 18, às 14h.

Influenciados pelos grandes nomes do rock in roll e por sua irreverência, o grupo desenvolveu uma característica própria e marcante que atrai o público do começo ao fim. Nesse show o grupo comemora o lançamento do seu single, com algumas canções inéditas, assim como releituras do EP "Batom Navalha".



Roraima In Trio (PI) - dia 18, às 15h

Ele é um representante da Música Brasileira Contemporânea. Roraima é um músico que experimenta estilos, e com seu talento peculiar, cria a sua maneira de fazer música. O trio de músicos mostra toda versatilidade e o swing da música piauiense. No repertório, além de músicas autorais, uma releitura de grandes nomes. Sempre com arranjos do trio.



Khalil Gibran (CE) - dia 18, às 16h

No show "Noturno", Khalil Gibran desvenda o universo lírico e desiludido, com letras e arranjos que nascem sob o signo do novo, suas canções possuem originalidade e qualidade estética. Nesse pocket show, contará com a participação especial de Paulo Façanha e Isaac Cândido, além dos riffs de guitarra 'assinados' pelo guitarrista Mimi Rocha.



Topaz (RS) - dia 18, às 17h

Quarteto gaúcho apresenta seu mais novo trabalho, "III" (terceiro), com letras inteligentes que combinam perfeitamente com as melodias bem trabalhadas e muito diferentes do que estamos acostumados a ouvir. Após sucesso como "Notas de Rodapé", que teve clipe gravado no inicio de 2010, a Tópaz lançou o single "O Maior Idiota do Mundo". A canção levou o quarteto a ser destaque na rede de microblogs Twitter.



André Marinho (RJ) - dia 18, às 18h.

Carioca, escolheu o cenário nacional para apresentar sua poesia que aborda temas sociais, traduz em leveza as situações vividas no cotidiano e o romantismo, característica do verdadeiro poeta. No show, "Domingo no Parque", o artista fará um mix dos CDs "Batuque dos Anjos" e "Vida de Gato", de forma descontraida, numa levada quase de improviso, com a participação de Aroldo Araújo e Luizinho Duarte, responsáveis por vários de seus arranjos



Lia Sophia (PA) - dia 18, às 19h

Nascida na Guiana Francesa, chegou ao Brasil aos 2 anos de idade, sempre conviveu com diversos estilos musicais, do gospel ao brega, do bolero ao zouk, merengue, além das fortes influências do carimbó e do marabaixo, ritmos típicos da região norte. Revela em seu segundo CD, "Castelo de Luz", sua multiplicidade artística, que vai da composição a produção.



Forró da Roça (CE) - dia 19, às 12h

Há quase dez anos de estrada o grupo foi criado com o intuito de enaltecer a cultura de nossa região e demonstrar a essencia do autêntico forró nordestino. Seu primeiro CD, lançado em 2003, recebe a ilustre participação de Dominguinhos, assinando umas das faixas. O grupo conta hoje com uma nova formação mantendo a mesma caracteristica lhe é peculiar, a alegria.



Kiko Klaus (MG) - dia 19, às 13h.

Pernambucano, radicado em Belo Horizonte, o cantor, compositor e produtor musical Kiko Klaus é classificado pela mídia e público como um dos mais promissores artistas nacionais, possue estilo próprio e voz marcante. Com mais de dez anos de carreira, lança o CD "Mesmalua", uma mistura de samba, bossa, baião e maracatu, turbinados por toques eletrônicos e pegadas funks, é o que chama de: música brasileira planetária.



Alegoria da Caverna (CE) - dia 19, às 14h

Show que marca mais de uma década de trajetória, "Os Alegóricos estão voltando", arrastando a massa com alegria contagiante, um passeio pelo rock, reggae, country, grooves, samba e o que eles chamam de psicodelia. O espetáculo é uma mistura de cores e estilos, que vai do moderno ao tradicional, do global ao local, mexendo com os sentidos e o corpo dos ouvintes.



Felipe Cordeiro (PA) - dia 19, às 15h.

O paraense é dono de uma sonoridade rica de referências que vão da lambada ao pop-retrô, flertando com o tecnobrega que ele denomina de Kitsch-pop-cult. Premiado em diversos festivais, o artista se destaca como um dos principais representantes da música em sua região. Este ano lança seu mais novo CD, mesmo nome do show, "Kitsch-pop-cult".



Pastel de Miolos (BA) - dia 19, às 16h

O rock baiano tem uma ótima representação, banda PDM, com mais de quinze anos de estrada, adquire sua maturidade musical, explorando um pouco de metal e pós-punk, de forma completamente peculiar, tudo isso será conferido no show "Da Escravidão ao Salário Mínimo", a banda consegue ser visceral e direta, com a potência suficiente pra tirar qualquer um da letargia.



Érika Machado (MG) - dia 19, às 17h

Após uma série de apresentações em diversos centros culturais de Portugal, a cantora, compositora, instrumentista e artista plástica retorna ao Brasil com show em novo formato, trazendo novas versões para as canções dos CDs "No Cimento" (2006) e "Bem Me Quer Mal Me Quer" (2009), ao lado da parceira Cecília Silveira. 60 min.



Ska Brothers (CE) - dia 19, às 18h

Primeira banda de ska tradicional do estado do ceará, o ritmo que tem origem na Jamaica, foi facilmente adaptado ao Brasil. Surgiu em 2006 com a proposta de divulgar o ritmo e resgatar os maiores clássicos do Ska Music. O grupo também se propõe criar releituras de clássicos da música pop adaptadas ao estilo, realizando uma mistura interessante entre propostas e gêneros.



Julia Says (PE) - dia 19, às 19h

Projeto musical pernambucano, formado por Antony Diego e Pauliño Nunes, nasceu com o intuito de promover música livre, que perpassa as diversas vertentes, sem se prender a nenhuma. Em 2008, lança o primeiro EP, intitulado simplesmente de "Julia Says", selecionada para o festival internacional SXSW (South by Southwest Conferences and Festivals), em março de 2010 em Austin, Texas.



Fabio Lobo (PA) - dia 20, às 12h

Paraense, influenciado pelos rítmos da região norte, tais como: carimbó, o siriá e a marujada, passeia também pela música afro-indígena e caribenha. Seu repertório é formado por canções de domínio público e por suas composições, fruto de seu trabalho lançado em 2010, intitulado "Carimbó Pai d´égua", O artista compõem um repertório que alia o tradicional, o popular e o contemporâneo.



Validuaté (PI) - dia 20, às 13h.

Grupo piauiense, com mais de seis anos de estrada, lança seu mais novo álbum, "Alegria Girar", que conta com as participações especiais do poeta Ferreira Gullar, do ator e vocalista Lirinha, do ator e dublador Isaac Bardavid e do cantor, compositor e ator Zéu Britto. O show é uma combinação de ritmos, sons, performances e poesia.



Carlinhos Nação (SP) - dia 20, às 14h

Paulistano, radicado no ceará, o cantor e compositor Carlinhos Nação, agora em carreira solo, após uma longa trajetória na banda "Nação Regueira". No show homenageará o rei do reggae, Bob Marley, incluindo alguns dos hits de sua autoria, como: "Sorriso Seu" e "Sentimento Bom", executadas nas principais rádios locais, é o toque brasileiro unido ao genero musical vindo da Jamaica.



Ellen Oléria (DF) - dia 20, às 15h

Atriz, cantora e compositora, destaca-se como um dos maiores expoentes do cenário musical brasiliense, canta e encanta, dentro e fora do palco, com seu sorriso aberto, mistura de swing brazuca e performance jazzística. Apresenta o seu primeiro CD, intitulado "peça", lançado em 2009, com letras e melodias envolventes, misturando samba, afoxés, jazz e hip hop.



Isaac Cândido (CE) - dia 20, às 16h

"Além da Fronteira", é o trabalho encorpado de um dos maiores nomes da cultura local, compositor, instrumentista e produtor, com mais de 20 anos de carreira. O show demonstra a maturidade litero-musical de Isaac, faz um passeio por vários ritmos, em letras poéticas e delicadas, com uma sonoridade marcante, apimentadas por seu timbre vocal grave.



Soraya Castelo Branco (PI) - dia 20, às 17h

Com seu doce canto, elegante postura de palco, além de grande interação com o público, Soraya Castello Branco ou simplesmente Sol é considerada por muitos, dona de uma das vozes mais afinadas da nova geração. É representante dos melhores compositores nordestinos.



Maglore (BA) - dia 20, às 18h

Formada desde 2009, o grupo é destaque na cena independente da Bahia, apostam no rock tropical, com influências do folk americano, isso tudo unido ao 'caldeirão' de ritmos que é a cidade de Salvador. No show "Cores ao vento", a ideia é misturar a base do rock clássico britânico com a irreverência "pop-moderna" em letras e cores.



Racional Soul (CE) - dia 20, às 19h

A banda surgiu em 2008, com o intuito de homenagear o mestre Tim Maia, apresentando novas versões do Racional vol 1 e 2 de 1973/74. Com o passar do tempo foram inserindo ao repertório releituras de grandes nomes da música brasileira, como também músicas inéditas autorais, com letras que expressam toda sua brasilidade e conscientização social, deixando nítido a beleza e a riqueza étnica de nosso país.