quinta-feira, 25 de março de 2010

Leila Pinheiro em homenagem póstuma a Renato Russo



“Meu Segredo Mais Sincero” comemora os 30 anos de carreira da cantora





“Meu segredo mais sincero” é o novo projeto de Leila Pinheiro, que sobe ao palco do Teatro da CAIXA, de 02 a 04 de abril, para comemorar os 30 anos de carreira com uma homenagem ao amigo Renato Russo.



No show, que acontecerá também em Brasília e Rio de Janeiro, Leila interpretará grandes sucessos de Renato Russo e da Legião Urbana, como “Pais e Filhos”, “Há Tempos”, “Andrea Doria”, “Via Láctea” e “Ainda é Cedo”, apresentando suas múltiplas possibilidades interpretativas ao mergulhar na vida e na obra do “poeta do rock”, um dos nomes mais importantes da geração BRock, lançado da década de 80 para definitivamente integrar a história do rock brasileiro, e que neste ano completaria cinqüenta anos.



A artista sempre teve um carinho especial pela obra de Renato Russo. Entre as composições mais conhecidas do cantor, Leila já gravou “Monte Castelo”, “Tempo perdido” e “Vento no Litoral”. Em um de seus trabalhos mais recentes lançou a balada “Hoje” feita em parceria com o amigo em 1993.



A cantora



Uma das cantoras favoritas de Renato Russo, Leila Pinheiro é uma das maiores intérpretes brasileiras. Como outros grandes nomes, a paraense começou no piano jovem, aos 10 anos. Estreia aos 20 a carreira como cantora no Pará, com o show "Sinal de Partida", mudando-se no ano seguinte para o Rio de Janeiro, onde grava seu primeiro disco, o independente "Leila Pinheiro" (1983).



Em 1985 ganhou o prêmio revelação no Festival dos Festivais, da TV Globo, em que defendeu a composição "Verde", de Eduardo Gudin e José Carlos Costa Netto. Dois anos depois assinou contrato com a Polygram e gravou o disco "Olho Nu", que a leva ao Japão, onde ganhou o prêmio de melhor intérprete no Festival Mundial Yamaha. Colecionando prêmios, gravou mais dois discos, sendo "Bênção, Bossa Nova" um deles, um álbum em comemoração aos 30 anos da bossa nova, produzido por Roberto Menescal.



A partir daí, Leila passou a ser conhecida como intérprete de bossa nova, rótulo que foi reforçado com "Isso É Bossa Nova", de 1994. Dois anos depois gravou “Catavento e Girassol”, um disco completamente diferente, com composições da dupla Guinga e Aldir Blanc. No final dos anos 90 fez shows com Ivan Lins nos Estados Unidos e participou do tributo a Tom Jobim realizado no Carnegie Hall, de Nova York. Lançou também “Na Ponta da Língua”, um disco só de compositores contemporâneos que a levou em turnês pelo Brasil em 1999 e 2000. Ainda em 2000 entrou em estúdio e gravou "Reencontro", CD com repertório de Gonzaguinha e Ivan Lins. Participou de projetos especiais, como o "Tributo a Tom Jobim" e a "Sinfonia do Rio de Janeiro", de Francis Hime.



Ficha Técnica



Leila Pinheiro: Cantora e pianista

Cláudio Faria: teclado

Maurício Oliveira: contrabaixo

Allen Pontes: bateria

Webster Santos: guitarra, violão



Serviço Show: "Meu segredo mais sincero" - Leila Pinheiro canta Renato Russo Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba Data: de 02 a 04 de abril Horário: Sexta e sábado 21h e domingo 19h Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia) Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Livre para todos os públicos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

LEO GANDELMAN SE APRESENTA NO TEATRO DA CAIXA



Um dos maiores saxofonistas do Brasil em show inédito em Curitiba




A CAIXA Cultural Curitiba apresenta na próxima terça (30) o saxofonista carioca Leo Gandelman. Em show inédito na capital paranaense, Leo Gandelman apresenta técnica e talento com as músicas que marcaram os 21 anos de sua carreira solo.



A apresentação traz músicas de seu mais recente trabalho, “Sabe Você”, e as que habitam suas lembranças. O samba-canção é o ritmo que marca o show, mostrando o melhor da música popular brasileira com clássicos de Chico Buarque, Baden Powell, Vinicius de Moraes, Tom Jobim e Dolores Duran, criando no palco um riquíssimo panorama da MPB.



A formação clássica do músico não o impede de experimentar os diversos ritmos. “Eu me considero eclético. Estamos em uma época em que o músico pode trafegar pelas diversas linguagens”, explica o saxofonista. “Apesar de minha formação musical clássica eu cresci no Rio de Janeiro, perto do samba, e sempre me arrisquei”, complementa.



Leo Gandelman

A música sempre esteve presente na vida de Leo Gandelman, que acumula funções de saxofonista, produtor, compositor e arranjador. Nascido em 1956 é filho de uma pianista clássica e de um maestro, aos 15 anos já era solista da Orquestra Sinfônica Brasileira.



Participou, desde 1977, de mais de 800 gravações. A carreira solo iniciou dez anos depois, inspirada especialmente na música brasileira e no jazz. A versatilidade e a criatividade são marcas registradas que fizeram com que fosse eleito “o Melhor Instrumentista Brasileiro” durante 15 anos consecutivos, pelo concurso “Diretas na Música” do Jornal do Brasil. Leo já gravou dez discos ao longo da carreira, com mais de 500 mil de cópias vendidas.



Com seis temporadas de casa cheia no Blue Note de Nova Iorque, o saxofonista tem carreira notável nos Estados Unidos. Participou como solista de concertos da Orquestra Sinfônica Brasileira no Lincoln Center e no Central Park. Foi solista também da Orquestra Sinfônica da Bahia, de Ribeirão Preto, entre outras, interpretando a Fantasia de Villa Lobos para Sax Soprano e Orquestra e o Concertino para Sax Alto, de Radames Gnatalli. O mesmo repertório o levou à sala São Paulo, onde se apresentou com a OSESP, sob a regência do maestro John Nashling. Foi solista convidado da Orquestra Sinfônica de Brasília no concerto da Independência e gravou com a Orquestra Sinfônica da Petrobrás, sob a regência do maestro Isaac Karabtchevsky, do Concertino de Radamés Ganattali.



Com o CD "Radamés e o Sax", Gandelman ganhou o premio TIM 2007 como “Melhor Disco Instrumental“ e “Melhor produtor“. Ganhou o prêmio de “Melhor Trilha Sonora” por “Estrela Solitária”, no Festival de Cinema de Recife e Belém e pela APCA ganhou como “Melhor Instrumentista” em 1990 e “Melhor Produtor” em 1991.



Além dos álbuns, Leo Gandelman produziu diversas trilhas para TV e cinema. Temas de novelas e minisséries, de filmes e documentários como “Moacyr” de Walter Carvalho e “Estrela Solitária” sobre a vida de Garrincha também fazem parte de sua história. Apresentou os programas “Momento Jazz” e “Free Jazz in Concert”, do Multishow e Rede Manchete, respectivamente, e produziu álbuns de cantores como Marina Lima, Nico Rezende e Gal Costa.


Ficha Técnica



Tecladista: David Feldman

Baixo: André Vasconcellos

Bateria: Allen Pontes



Serviço



Música: Leo Gandelman

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: 30 de março

Ingressos: R$10 e R$5 (meia)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 21h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

Errata - concertos na Capela Santa Maria


Concertos comemorativos do aniversário de Curitiba

Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural – R. Conselheiro Laurindo, 273 - Centro



Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, sob regência de Ricardo Bologna

Datas e horários:

26 de março (sexta-feira), às 19h - entrada franca.

27 de março de 2010 (sábado), às 18h30 - R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível)



Lançamento do livro de partituras “A obra coral de Henrique de Curitiba Morozowicz”, com apresentações dos grupos Collegium Cantorum, sob regência de Helma Haller, e Madrigal Vocale, sob a regência de Norton Morozowicz.

Data e horário: 26 de março de 2010 (sexta-feira), às 21h - entrada franca.

Agenda de atividades Primavera 2010



Agenda de actividades Primavera 2010 Sociedade Filarmónica Humanitária - Palmela Venha celebrar o inicio da Primavera na SFH - Teatro, Concertos e muito mais




















S
exta-feira 26 de Março, 22 horas PROGRAMAÇÃO "MARÇO A PARTIR" 2010 :: "Quem será o pai da Criança", pelo grupo T.O.N.I. (grupo cénico SFH) :: Café Concerto com "Coverdose" ENTRADA LIVRE



















Sábado 27 de Março, 15 horas CONCERTO DE PÁSCOA DO CONSERVATÓRIO REGIONAL DE PALMELA ENTRADA LIVRE




















Sábado 27 de Março, 21:30 horas AUDIÇÃO DE PÁSCOA DA ESCOLA DE MÚSICA DA SFH CONCERTO DE PRIMAVERA PELA BANDA DE MÚSICA SFH ENTRADA LIVRE



















Terça-feira 30 de Março, 21:30 horas CONCERTO PELA BANDA SINFÓNICA DA G.N.R. ENTRADA LIVRE







INFORMAÇÕES E RESERVAS: TEL. 21 235 0235 --




clique para ampliar

quarta-feira, 24 de março de 2010

Concertos na Capela comemoram aniversário de Curitiba



Orquestra de Câmara e obras corais de Henrique de Curitiba marcam os festejos dos 317 anos da cidade.
Um programa duplo de concertos na Capela Santa Maria comemora na próxima sexta-feira (26) o aniversário da cidade. Às 19h, a Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba apresenta-se sob a regência do maestro Ricardo Bologna. Às 21h, um concerto coral, com os grupos Collegium Cantorum e Madrigal Vocale, marca o lançamento do livro de partituras de Henrique de Curitiba, com a participação do cantor lírico Bruno Spadoni e regências de Helma Haller e Norton Morozowicz. As duas apresentações são gratuitas.

O programa abre com o concerto da Orquestra de Câmara, que terá a participação como solista da mezzo soprano Ariadne Oliveira. A orquestra apresenta duas composições – o Salmo 126 de Antonio Vivaldi (1678-1741) e a suíte “El Amor Brujo”, de Manuel de Falla (1876-1946). O mesmo concerto será reapresentado no sábado (27), às 18h30, na Capela Santa Maria.

Regente e percussionista, Ricardo Bologna vem de São Paulo especialmente para reger o segundo concerto da temporada 2010. Sua carreira musical, desde 2002 quando se formou pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista, foi marcada por inúmeros prêmios em festivais nacionais e internacionais, e convites para acompanhar grupos e orquestras na Europa, Estados Unidos e Japão. No Brasil, fundou o Percorso Ensemble, que realiza concertos pelo Brasil e possui dois CDs gravados. Ricardo Bologna é timpanista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e regente da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal.

Ariadne Oliveira é curitibana e já se destaca no cenário do canto lírico no Brasil. Depois de se formar na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, na classe de Neyde Thomas, Ariadne fez cursos de aperfeiçoamento em conservatórios europeus. No Brasil, atuou como solista ao lado de importantes orquestras. Em março de 2009 foi um sucesso a sua interpretação, com a OSESP, da obra “El Amor Brujo”, de Manuel de Falla, a mesma que Ariadne interpretará com a Orquestra de Câmara de Curitiba.

Obra coral – Um dos mais importantes compositores brasileiros, Henrique Morozowicz, conhecido como Henrique de Curitiba, faleceu em 2008 deixando uma vasta produção de composições para orquestras, grupos vocais e instrumentos. As suas 72 composições escritas para coro foram reunidas, digitalizadas, editadas e publicadas no livro “A obra coral de Henrique de Curitiba Morozowicz”, organizado pela pianista Glacy Antunes de Oliveira e por Gyovana de Castro Carneiro. O livro, editado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Prefeitura de Curitiba, será lançado nesta sexta-feira, no concerto que integra a programação de aniversário da cidade.

Composições de Henrique de Curitiba serão cantadas pelo grupo “Collegium Cantorum”, sob regência de Helma Haller, amiga do compositor, e pelo “Madrigal Vocale”, criado pelo saudoso Padre Penalva, com quem o compositor mantinha relações de amizade e de respeito mútuo. O Madrigal cantará sob regência do maestro Norton Morozowicz, irmão de Henrique de Curitiba. No concerto, o cantor Bruno Spadoni executará uma das últimas composições de Henrique de Curitiba – “Constatação Fatal”, ária cômica escrita para baixo ou barítono e piano, com texto inspirado em crônica de José Zokner.

Serviço: Concertos comemorativos do aniversário de Curitiba Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural – R. Conselheiro Laurindo, 273 - Centro Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, sob regência de Ricardo Bologna Datas e horários: 26 de março (sexta-feira), às 19h, e 27 de março de 2010 (sábado), às 18h30. Ingressos: Entrada Franca (Obs.: Quem já adquiriu os ingressos para o Concerto da Orquestra, poderá devolvê-los na bilheteria da Capela.)

Lançamento do livro de partituras “A obra coral de Henrique de Curitiba Morozowicz”, com apresentações dos grupos Collegium Cantorum, sob regência de Helma Haller, e Madrigal Vocale, sob a regência de Norton Morozowicz.

Data e horário: 26 de março de 2010 (sexta-feira), às 21h.

Entrada franca.

VII Festival de Inverno da Meruoca


VII FESTIVAL DE INVERNO DA SERRA DA MERUOCA-CE é uma realização da Prefeitura Municipal de Meruoca, sendo seu Festival Competitivo de Música, organizado em parceria com a Associação Cultural Solidariedade e Arte - SOLAR, está com inscrições abertas para o festival competitivo, até o próximo dia 15 de abril.

O VII Festival de Inverno da Meruoca acontece nos dias 03, 04 e 05 de junho em Meruoca, região Norte do Ceará.

A participação no festival está aberta para qualquer pessoa sem limite de idade, residente no território nacional, que atenda o regulamento do evento.

Cada autor ou grupo poderá inscrever até 02 (duas) músicas, mediante o pagamento de taxa de inscrição no valor de R$ 20,00 (Vinte reais) para a Categoria Regional e R$ 25,00 (Vinte e cinco reais) para a Categoria Geral por música inscrita.

Os prêmios de classificação serão: 1º lugar, R$ 5.000,00 (Cinco mil reais) e troféu; 2º lugar, R$ 3.500,00 (Três mil e quinhentos reais) e troféu; 3º lugar, R$ 2.000,00 (Dois mil reais) e troféu; Música de aclamação popular: R$ 1.500,00 (Mil e Quinhentos reais) e troféu; Melhor intérprete: R$ 1.000,00 (Hum mil reais) e troféu; Melhor letra: R$ 500,00 (Quinhentos reais) e troféu.

Este ano, VII Festival de Inverno apresenta novidades: a Categoria Regional. Visando a valorização dos artistas locais, compositores inscritos com residência a pelo menos um ano nos municípios da Macro-Região do Vale do Acaraú (Alcântaras, Cariré, Coreaú, Forquilha, Frecheirinha, Graça, Groaíras, Hidrolândia, Irauçuba, Massapé, Meruoca, Moraújo, Mucambo, Pacujá, Pires Ferreira, Reriutaba, Santana do Acaraú, Senador Sá, Sobral, Varjota) e que optarem por esta categoria na ficha inscrição.

A Comissão Organizadora do Festival Competitivo fará a triagem e seleção de 10 músicas na Categoria Regional. As 10 músicas selecionadas serão tocadas na Rádio Tupinambá AM-1.120 kkh de Sobral entre os dias 23 de abril de 2010 e 22 de maio de 2010 e receberão votação do público para escolha das melhores no site da rádio Tupinambá (www.radiotupinamba.com), bem como também estarão disponibilizadas no site da Prefeitura Municipal de Meruoca (www.meruoca.ce.gov.br), onde também poderão ser votadas.

As duas composições mais votadas irão direto para a final do festival, além de serem premiadas com R$ 2.000,00 e R$ 1.000,00.

Segundo o coordenador geral, do Festival Competitivo, Pingo de Fortaleza, esta nova categoria dará um dinamismo maior ao Festival, além de contribuir para a difusão da cultura local.

Outra novidade está nas eliminatórias. A primeira e a segunda eliminatória contarão com 10 músicas por noite, sendo que para a Final, serão classificadas oito, já que as duas mais votadas na Categoria Regional irão direto para a Final.

O Festival Competitivo é realizado pela Associação Cultural Solidariedade e Arte - SOLAR, sob a coordenação geral de Pingo de Fortaleza e a produção executiva de Arnóbio Santiago, com o patrocínio do BNB.

Maiores informações:

Associação Cultural Solidariedade e Arte - SOLAR

Fone (85) 3226-1189

E-mail: associacaosolar@gmail.com


Como fazer a inscrição

O período de inscrição está marcado do dia 1º de março até o dia 15 de abril de 2010, pessoalmente ou por correspondência.



Em Fortaleza: Associação Cultural Solidariedade e Arte - SOLAR, Avenida da Universidade, 2333, Benfica, CEP 60.020-180, Fone (85) 3226-1189, das 08h às 12h e das 14h às 17h.

Em Meruoca: Secretaria de Turismo, Esporte, Lazer e Juventude de Meruoca, na Avenida Carlos Davi - Complexo Múltiplo-Uso, Piso, Superior, Bairro Centro, CEP 62.230-000. Das 08h às 14h.

Serão exigidos dos compositores para a devida inscrição:

10 (dez) cópias digitadas da letra da música em impressão legível com título, nome(s) do(s) autor(es) e com a letra na íntegra, além de no mínimo 01 (uma) cópia da respectiva letra acompanhada de sua cifra harmônica.

01 CD com a(s) música(s) gravada(s) na íntegra. Lembramos que a boa qualidade sonora do CD será fundamental para a eventual classificação da música.


Ficha de inscrição com todos os campos preenchidos a máquina ou em letra de forma legível, assinatura do(s) autor(es), telefone para contato, e-mail e endereço completo (disponível no site da Meruoca www.meruoca.ce.gov.br

As músicas deverão ser inéditas e originais.

Chopin em dose dupla no Guairão




Nesta quinta-feira, dia 25, Curitiba recebe dois dos mais importantes pianistas do mundo. Com entrada franca, os poloneses Adam Makowicz e Krzysztof Jablonski apresentam, no Guairão (às 20h), o concerto “Chopin em dose dupla”. O evento, organizado pelo Consulado Geral da Polônia de Curitiba, faz parte das comemorações dos 200 anos do nascimento de Fryderyk Chopin.

Segundo Adam Makowitcz, a música de Chopin é uma inspiração nesta apresentação. “O atrativo deste concerto não é ter no palco dois pianistas distintos, um de música clássica e outro de jazz. A grande atração é levar ao público a transição da música clássica, que segue as partituras, para o improviso do jazz. A ideia, é mostrar os dois gêneros de música e a harmonia de ambos”, explica o pianista.



Paixão pelo jazz



Adam Makowicz nasceu na Silésia tcheca, filho de pais poloneses. Em 1946 sua família fixou-se na Polônia. No início, estudou com sua mãe pianista e cantora e depois nas escolas de Rybnik, Katowice e Cracóvia. Aos 15 anos já demonstrava fascínio pelo jazz, mas, na Polônia comunista, o ritmo era proibido. Cada vez mais impressionado com a liberdade e a improvisação do ritmo afro-americano, aos 18 anos Adam abandonou a escola, a família e seguiu o caminho do jazz. Naquela época, frequentava o lendário Jazz Klub Helicon, em Cracóvia. Junto com Tomasz Stanko criou o “Jazz Daring's”, primeiro duo de jazz na Europa.

Em 1977, por recomendação de Benny Goodman e de Willis Conover fez uma turnê de 10 semanas nos Estados Unidos, onde gravou seu primeiro álbum solo: “Adam” pela CBS Columbia. No ano seguinte, voltou aos Estados Unidos e tocou nos mais importantes festivais e clubes como Greenwich Village Cookery Club e Newport Jazz Festival, de Rhode Island. Sua primeira apresentação no Carnegie Hall foi no concerto em memória de Errol Garner. Tocou com Benny Goodman, Herbie Hancock, Earl Hines, Freddie Hubbard, Sarah Vaughan, George Mraz, Al Foster, Jack DeJohnette, Teddy Wilson, Charlie Haden e George Shearing.
Apresentou-se com a National Symphony of Washington, a London Royal Philharmonic Orchestra, a Moscow Symphony Orchestra, e a Warszawa Filharmonica. Adam Makowicz recebeu do governo da Polônia a condecoração “Oficial da Cruz do Mérito”. Makowicz foi incluído no seleto grupo de 400 emigrantes poloneses mais influentes nos últimos 400 anos da história dos Estados Unidos. Durante seis anos consecutivos foi eleito pela revista “Jazz Forum” como o “Pianista número um do jazz”.

Virtuose precoce

Krzysztof Jablonski nasceu em Wroclaw, na Polônia. Começou seus estudos de piano aos seis anos de idade com a professora Janina Butor e graduou-se na Academia de Música de Katowice. Foi aluno de Andrzej Jasinski e já aos 12 anos fez seu primeiro concerto com orquestra. Recebeu o terceiro prêmio no Concurso Internacional de Piano Fryderyc Chopin, em Varsóvia; a medalha de ouro do Concurso Arthur Rubisntein, em Tel Aviv; e o “Jorge Bolet”, da Walter Naumburg Foundation International Piano Competition
de Nova Iorque, entre outros.
Em 1999, formou com o cellista Tomasz Strahl, o “Chopin duo”. Desde 2004, faz parte do “Warsaw Piano Quintet” que foi fundado por Wladyslav Szpilman, em 1962. De 1999 a 2006, Jablonski colaborou com o Teatro Wielki de Varsóvia tocando para o ballet “Fortepianissimo”. Em 2005 se apresentou na Filharmonia Narodowa de Varsóvia com a Orquestra Século XVIII sob direção de Frans Brüggen e mais tarde sob a regência de Andrey Boreyko. Com Orquestra do Grand Teton Music Festival, tocou no concerto de “Shostakovich nº1 para piano e orquestra”. Krzysztof Jablonski fez várias gravações na Alemanha, Polônia e Japão, além de produzir três CDs com os Estudos, Prelúdios e Improvisos.
Desde 1994 é professor de piano. Inicialmente na Academia de Música em Wroclaw e depois na Academia de Música de Katowice. Atualmente é professor da Academia de Música Fryderyc Chopin de Varsóvia. Em 2005, Jablonski foi membro do júri do XV Concurso Internacional Fryderyk Chopin de Varsóvia; do Concurso Internacional Chopin na Ásia; e do Sétimo Concurso Chopin nos Estados Unidos.

Programa

- Prelude Op. 28 Nº 24 - (Krzysztof Jablonski)
- Prelude Op. 28 Nº 24 - (Adam Makowicz)
- Prelude E minor Op. 28 Nº 4 - (Krzysztof Jablonski)
- Prelude E minor Op. 28 Nº 4 - (Adam Makowicz)
- Prelude G major Op. 28 Nº 3 - (Krzysztof Jablonski)
- Prelude G major Op. 28 Nº 3 - (Adam Makowicz)
- Ballada G minor Op. 23 - (Krzysztof Jablonski)
- Ballada G minor Op. 23 - (Adam Makowicz)
- Prelude A flat major Op. 28 Nº 17 - (Krzysztof Jablonski)
- Prelude A flat major Op. 28 Nº 17 - (Adam Makowicz)
- Latino No. 2 for two pianos- (Makowicz / Jablonski)


Intervalo

- Scherzo B flat minor Op. 31 - (Krzysztof Jablonski)
- Polonaise A flat major Op. 53 - (Krzysztof Jablonski)
- Living High in Manhattan - (Adam Makowicz)
- Sunset over the Hudson - (Adam Makowicz)
- Interface- (Adam Makowicz)
- Prelude A major Op. 28 Nº 7 - (Krzysztof Jablonski)
- Prelude A major Op. 28 Nº 7 - (Adam Makowicz)
- Mazurka Op. 17 Nº 4 for two pianos - (Makowicz / Jablonski)

SERVIÇO “Concerto Chopin em dose Dupla”, com os pianistas Adam Makowicz e Krzysztof Jablonski Data: 25 de março de 2010 Horário: 20h Local: Teatro Guaíra – Grande Auditório Endereço: Rua XV de Novembro, nº 971 Ingressos: Entrada gratuita (ingressos na bilheteria do teatro) Classificação indicativa: Livre

quinta-feira, 18 de março de 2010

Música nos Parques encerra com show no Barigüi



O vocal Cobras & Lagartos e o grupo El Merekumbé fecham esta edição do programa Música nos Parques, com as últimas apresentações neste domingo (21), no Parque Barigüi.

A série de shows do programa Música nos Parques encerra neste domingo (21), no Parque Barigüi, com as apresentações do vocal Cobras & Lagartos e do grupo El Merekumbé. O programa é realizado nos meses de verão pela Fundação Cultural de Curitiba, como forma de divulgar a música paranaense e proporcionar mais uma opção de lazer para a população. Nesta edição, o Música nos Parques contou com o patrocínio da OI.

Com repertório baseado no livro “A música feita no Paraná”, de Hilton Barcelos, o grupo vocal Cobras & Lagartos criou o espetáculo que será apresentado neste domingo. O show homenageia e resgata alguns dos principais compositores e poetas representantes da música paranaense, como Paulo Chaves, Paulo Leminski, Ivo Rodrigues, Sérgio Justen, Nhô Belarmino, Lápis, Etel Frota, Lydio Roberto e João Lopes.

O vocal Cobras & Lagartos, criado e dirigido pelo maestro Anderson Nascimento, dedica-se à pesquisa sonora e à divulgação da música popular brasileira. Formado por oito cantores e três instrumentistas, o grupo canta desde modinhas do século passado ao rock dos Titãs. É um grupo ousado nos arranjos, no desenvolvimento vocal e musical, e na performance de palco.

Voltado à divulgação da música latino-americana, o grupo El Merekumbé apresenta uma seleção de ritmos caribenhos, como o mambo, a rumba e o merengue. Como uma autêntica orquestra cubana, formada por metais, cordas, percussão e vozes, o grupo executa composições do Buena Vista Social Club, bem como canções mais atuais de conjuntos que fazem sucesso entre os latinos, como os Orishas e Los Vanvan. Convidando a plateia a participar do espetáculo, o El Merekumbé conduz um grande baile. Com a ajuda de uma dupla de dançarinos, o público tem a chance de experimentar como são dançados os ritmos caribenhos.

Vários outros grupos tiveram a oportunidade de se apresentar desde o início do programa, em novembro. Foram promovidos 26 shows nos fins de semana, levando animação para os parques Barigüi, São Lourenço, Cambuí, Tingüi, Bacacheri, Tanguá, Jardim Botânico, Bosque do Papa, Bosque de Portugal e Bosque da Fazendinha.



Serviço: Música nos Parques Local: Parque Barigüi Data: 21 de março de 2010 (domingo) Às 15h – show “A música feita no Paraná”, com o vocal Cobras & Lagartos Às 17h – show de música latino-americana com o grupo El Merekumbé Entrada franca

terça-feira, 16 de março de 2010

Pocket Show da Banda Nuvens




CLIQUE PARA AMPLIAR


Acontecerá no próximo dia 19 de março, na FNAC, um debate promovido pela Banda Nuvens e por integrantes do Movimento Música para Baixar [MPB] que reúne artistas independentes de todo o país.


O debate tem como foco a discussão de como tornar o meio musical mais rentável e justo para os artistas e acessível para os consumidores.


Gustavo Anitelli, diretor executivo d'O Teatro Mágico; Laércio Demarch, gerente do departamento de editoriais da FNAC Curitiba e Raphael Moraes, músico curitibano idealizador da Banda Nuvens, são os convidados da mesa.


O evento conta com o Pocket Show da Banda Nuvens e tem início às 19 horas.




quinta-feira, 4 de março de 2010

Música brasileira anima o Parque Barigüi neste domingo



O programa “Música nos Parques”, patrocinado pela OI, terá como atrações neste domingo (7) os shows “Saudosos Malucos” e “Trio de Ouro – Homenagem a Baden Powell”.

O Parque Barigüi volta a ser o palco do programa Música nos Parques, neste domingo (7), com a apresentação dos shows “Saudosos Malucos” e “Trio de Ouro Catuaba Brasil – Homenagem a Baden Powell”. Os shows acontecem às 15h e às 17h, mostrando o melhor da música popular brasileira. Desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba, o Música nos Parques conta este ano com o patrocínio da OI, que durante os espetáculos presenteia o público com bonés, cangas e lenços.

O samba em variados estilos, mas resguardado em sua estética, é a linha mestra do espetáculo “Saudosos Malucos”, que une as cantoras Cris Lemos e Silvia Contursi, mais o instrumentista Cláudio Menandro (violão, cavaquinho e bandolim). Os artistas, vindos respectivamente de São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia, encontraram em Curitiba, há muitos anos, o palco ideal para sua arte. Composições de Adoniran Barbosa e músicas inéditas de Cláudio Menandro integram o repertório que cria um divertido diálogo entre obras célebres e novos sambas da melhor qualidade.

O espetáculo “Trio de Ouro Catuaba Brasil – Homenagem a Baden Powell” reúne 12 músicas inspiradas no universo do samba e do choro, os gêneros mais expressivos da música popular brasileira. Na primeira parte, o trio, formado por Daniel Migliavacca, Fabiano Silveira e Cris Loureiro, interpreta sete composições próprias. A segunda parte do espetáculo é uma homenagem a Baden Powell, para lembrar os dez anos de sua morte. Baden Powell é considerado um dos maiores violonistas de todos os tempos e um dos compositores mais expressivos da música brasileira.



Serviço:

Música nos Parques

Local: Parque Barigüi

Data: 7 de março de 2010 (domingo)

Horários:

Às 15h – Saudosos Malucos, com Cris Lemos, Silvia Contursi e Cláudio Menandro

Às 17h – Trio de Ouro Catuaba Brasil – Homenagem a Baden Powell

Entrada franca

CAIXA Cultural Curitiba apresenta a violonista Luhli


A artista se apresenta no Projeto Solo Música


Acontece na terça (09) a apresentação da violonista Luhli no projeto Solo Música, na CAIXA Cultural Curitiba. A temporada prevê 11 concertos e iniciou com o acordeonista Toninho Ferragutti, que lotou o teatro.



A artista

Com um “H” inventado, a carioca Luhli, formada em Artes Gráficas, é múltipla: letrista, compositora, cantora, violonista e percussionista. Além de shows solo e em parceria, a artista faz arranjos para coral e trilhas sonoras, direção musical de shows e discos, aplica oficinas de ritmo e de criatividade musical em universidades e centros culturais. Assina ainda inúmeros projetos gráficos de cartazes, marcas e logotipos, capas de discos e livros, como o “Segredo dos Gnomos”, com 49 ilustrações de sua autoria.

Tem diversos sucessos na voz de cantores de renome como Nana Caymmi, Joyce, Wanderléa, Tetê Espíndola, Rolando Boldrim, Zélia Duncan e principalmente Ney Matogrosso, que gravou 15 de seus sucessos, como “Vira”,“Fala”, “Pedra de Rio”, “Aqui e agora”, ”De Marte”, “Êta nóis!”, ”Me rói”,“Coração Aprisionado, “Chance de Aladim”, “Bugre, e ainda “Napoleão” e “Bandolero”, recentemente regravadas, entre outras.

Luhli tem sete discos em parceria com Lucina, resultante dos 25 anos de carreira da dupla. Além do talento voltado para música, a dupla teve participação ativa no movimento ecológico e na resistência cultural. Montou a exposição “Tambores de Luz”, um espetáculo sobre folclore brasileiro e lançou em parceria com a pesquisadora Betti Albano, o cd e o espetáculo “Todo Céu Pra Voar”, onde a música e a dança se uniam homenageando a natureza, com violas, violões, vozes e percussão.

A artista se dedicou também a projetos sociais com a população carente através de ONGs, desenvolveu e aprimorou com êxito seus métodos de musicalização e multiplicou parcerias por todo o país através da Internet. Gravou um cd para projeto de livro infantil, elaborou (em parceria com o poeta Felipe Cerquize) o livro de poemas “Conversa Rimada”, premiado entre os melhores livros do ano, pela União Brasileira de Escritores.

Em 2008 lançou o projeto “O Ney e Eu”, em que entre conversas e canções apresenta arranjos pessoais das 13 músicas de sua autoria gravadas e consagradas por Ney Matogrosso, cercada pelas belas imagens do artista clicadas pelo fotógrafo Luiz Fernando Borges da Fonseca. Numa temporada de enorme sucesso em Curitiba, em setembro, participou do espetáculo “Três Mulheres”, um encontro memorável de música e poesia, com a poetisa Etel Frota e com a pesquisadora musical Consuelo de Paula.

O projeto

O Solo Música apresenta um recital por mês, sempre às terças-feiras, nos quais são exibidas apresentações raras, com artistas solo tocando instrumentos que dificilmente são mostrados em outras programações culturais. A série foi desenvolvida a partir de uma observação dos espaços culturais da cidade. Segundo o produtor Álvaro Collaço, a série é exclusiva, pois diversifica os instrumentos e gêneros na mesma programação.

A Série não privilegia um gênero musical definido, mas a diversidade cultural em solo, promovendo assim uma aproximação entre a música instrumental e erudita, sendo que a única ligação entre os recitais apresentados é o fato de estar no palco um único músico, cuja característica principal é ter absoluta segurança na sua qualidade como instrumentista e intérprete.



Serviço



Projeto Solo Música – Luhli - violonista

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba/PR

Data: 09 de março

Horários: terça 20h30

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural