quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Camerata Antiqua executa música barroca inglesa



Composições de Pelham Humfrey e Henry Purcell integram o repertório que o grupo apresenta sob a regência do maestro convidado Luís Gustavo Petri.

Dentro da temporada 2009 de concertos da Camerata Antiqua de Curitiba, patrocinada pela Volvo, um novo espetáculo está agendado para este fim de semana. O grupo musical da Prefeitura Municipal interpreta composições barrocas dos ingleses Pelham Humfrey (1647 - 1674) e Henry Purcell (1659 - 1695), sob a regência de Luís Gustavo Petri, maestro titular da Sinfônica de Santos. As apresentações acontecem às 20h de sexta-feira (30), na Paróquia Bom Pastor, e às 18h30 de sábado (31), na Capela Santa Maria.

“Lord my God”, de Pelham Humfrey, abre o programa de música inglesa do século XVII. Os hinos em verso de Humfrey são suas peças mais importantes e possuem partes para violino à maneira francesa, ao lado de vocais que devem muito ao estilo italiano. O compositor também escreveu canções seculares, odes palacianas e música para teatro, num conjunto de obras que representa a plena realização do barroco inglês. Cogita-se que tenha ensinado Henry Purcell.

Compositor, organista e cantor, Purcell é considerado um dos nomes mais importantes da história musical da Inglaterra. É autor de vários “Anthems”, peças para coral que formam uma parte opcional do serviço anglicano, sendo que a Camerata Antiqua de Curitiba interpreta quatro delas: “Sing unto the Lord”, baseada no Salmo Bíblico 96; “My beloved spake”, um conjunto de versos bíblicos dos Cantares de Salomão; My heart is inditing, escrita para a Coroação de James II, em 1685; e “Rejoice in the Lord Always”, que segue a ordem de Charles II de adicionar sinfonias com instrumentos aos “Anthems”.

O regente convidado – Luis Gustavo Petri é regente titular da Sinfônica de Santos há dez anos, sendo responsável pela visível ascensão e atuação social da orquestra na região. A carreira de Petri é marcada por sucessos como regente, compositor e diretor musical. Entre suas realizações, destacam-se a estreia, na América Latina, da trilha sonora original de “O Encouraçado Potemkin”, na exibição da cópia restaurada em 2005, no Festival de Cinema do Rio de Janeiro, frente à Orquestra Sinfônica Brasileira, e a estreia brasileira da ópera “Candide”, de L. Bernstein, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, além da regência da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, em concerto que teve Shlomo Mintz como solista.

O maestro é um dos responsáveis pela difusão da música erudita na Baixada Santista, por meio da implantação de projetos como “Do-Ré-Mi”, para as crianças da região; “Conversas Musicais”, para formação de público; e “Viajando com a Sinfônica”, entre outros. Também realiza intenso trabalho como compositor e diretor musical em cinema e teatro, com destaque para a direção musical de “Vítor ou Vitória”, com Marília Pêra.

Serviço:

Música Inglesa do Século XVII com a Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência do maestro convidado Luís Gustavo Petri, dentro da temporada 2009 de apresentações patrocinada pela Volvo.

Data, horário, local e ingressos:

Dia 30 de outubro de 2009 (sexta-feira), às 20h, na Paróquia Bom Pastor (Rua Victorio Viezzer, 810 – Vista Alegre), com entrada franca.

Dia 31 de outubro de 2009 (sábado), às 18h30, na Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro), com ingressos a R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível/ promoção não cumulativa)

Show da Sinfonética com o saxofonista Daniel Miranda



O instrumentista é o convidado para o espetáculo desta sexta-feira (30), às 20h, no Conservatório de MPB de Curitiba.

O som do saxofone de Daniel Miranda integra o show que o grupo curitibano Sinfonética Comunitária Flutuante apresenta às 20h desta sexta-feira (30). A sessão musical acontece no Conservatório de MPB de Curitiba, espaço da Prefeitura Municipal, e leva ao palco o talento de instrumentistas locais, numa proposta que une improviso e criatividade.

Daniel Miranda integra a Orquestra À Base de Sopro do Conservatório de Musica Popular Brasileira de Curitiba e faz parte do grupo de choro Ebubu Fulo, que já acompanhou vários músicos e cantores brasileiros, entre eles Silvério Pontes, Zé da Velha, Humberto Araújo, Raul de Barros, Camunguelo, Nadinho da Ilha, Nelson Sargento, Guilherme de Brito, Tantinho da Mangueira e Andréia Ernestes Dias. Também participa do Grupo de choro Jabá com Jirimum e da Orquestra Curitiba Brass Band.

Sinfonética – O improviso é uma das características da Sinfonética, que faz com que artistas e plateia compartilhem o inesperado. A formação do grupo e o repertório a ser executado são conhecidos somente quando os músicos começam a tocar. O grupo é coordenado pelo instrumentista, compositor e professor Glauco Sölter.

A Sinfonética reúne-se desde 2001. Os primeiros encontros foram em bares da cidade e, em 2004, as apresentações passaram a acontecer no Conservatório de MPB. O espetáculo é uma oportunidade para os jovens talentos estarem ao lado de profissionais experientes. O repertório conta com obras dos grandes mestres da música brasileira de todos os tempos, como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Edu Lobo, Tom Jobim, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Toninho Horta, Laércio de Freitas e Waltel Branco, além de composições de músicos locais. O objetivo principal do grupo é divulgar e experimentar a produção musical do Brasil.

Serviço:

Sinfonética Comunitária Flutuante com o saxofonista Daniel Miranda

Data e horário: 30 de outubro de 2009 (sexta-feira), às 20h

Local: Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico)

Ingressos: R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes)

Informações: (41) 3321-3208

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Elba Ramalho




O forró nordestino vai invadir Curitiba e a programação do Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante. No dia 28 de outubro, o Teatro Guaíra será palco para o show da cantora Elba Ramalho. Em única apresentação, a cantora apresenta músicas do CD Balaio de Amor, além de clássicos que consagraram sua carreira.

O show está repleto de xotes e baiões, além do choro “Ilusão nada mais”, de Dominguinhos e Fausto Nilo. O repertório inclui, ainda, gravações dos compositores nordestinos Chico Bezerra, Acioly Neto, Maciel Melo, Dominguinhos, Rogério Rangel, Petrucio Maia, Antonio Barros e Cecéu, Terezinha do Acordeon, Flavio Leandro e do sanfoneiro Cezinha.

Elba inicio sua carreira na década de 70, quando, após integrar o elenco da montagem original da peça A ópera do malandro, de Chico Buarque, surpreendeu o país com o LP Ave de Prata, inspirado na composição homônima de Zé Ramalho. O disco já incluía canções de compositores nordestinos, uma das marcas da cantora ao longo da carreira, além da faixa Não sonho mais, de Chico Buarque.

Filha do nordeste brasileiro, nascida no alto sertão da Paraíba, sob o signo de Leão, cercada de religiosidade e fé, Elba herdou a musicalidade de seu pai, que a despertou cedo para a mais sublime das formas de comunicação: a música. Foi também rodeada pelo solo seco e vegetação árida que a cantora se familiarizou cedo com os mais diversos ritmos da região: baião, maracatu, xote, frevo, pastoril, caboclinhos e forrós. Gêneros que preservam a pureza de uma cultura eminentemente popular.

Serviço Show com a cantora Elba Ramalho Data: 28 de outubro Horário: às 20h Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada) para estudantes, idosos. Clientes e funcionários do Banco do Brasil também pagam meia (benefício válido, inclusive, para o acompanhante). Classificação indicativa: Livre Local: Centro Cultural Teatro Guaíra Endereço: Rua XV de Novembro, nº 971 - Centro

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Educação Musical




25 de Outubro, Domingo

10h30/13h00

Pedagogia e Metodologia Orff (Acção de Formação)
Org.: Carl Orff Projecto – Educação Musical

16h00

Orquestra Orff Júnior

“Música com todos”

Atelier de Música dirigido a crianças, jovens e adultos

(Animação: Orquestra Orff Júnior, orquestra infantil e juvenil do Carl Orff Projecto - Educação Musical)

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

Teatro do Paiol recebe Ronaldo Saggiorato e Izabel Padovani



Depois de turnê pela Europa, o duo traz a Curitiba o show “Baixo e Voz”, com apresentação única nesta sexta-feira (23), às 21h.

Ronaldo Saggiorato e Izabel Padovani chegam a Curitiba nesta sexta-feira (23) para brindar o público com o show “Baixo e Voz”, que toma conta do Teatro do Paiol, às 21h. Depois de turnê pela Europa, o duo traça neste novo espetáculo um delicado panorama da música brasileira atual, mesclando composições dos CDs “Tons - bass and voice”, indicado ao Prêmio da Crítica Schallplattenkritik, na Alemanha; “Desassossego”, fruto do Prêmio Visa conquistado pela cantora em 2005 e indicado ao Prêmio Tim; e “Mosaico”, lançado há pouco tempo.

Formado em 2000, o duo foi saudado pela crítica paulista, que considerou Izabel Padovani “uma intérprete segura, que coloca a técnica a serviço da emoção”, e deu destaque para o baixista Ronaldo Saggiorato, “um virtuose do baixo elétrico de seis cordas”. Baixista renomado, Ronaldo Saggiorato imprime seu virtuosismo nos arranjos e na interpretação de canções que passam por nomes consagrados da música brasileira, como Tom Jobim, Villa-Lobos e Chico Buarque, e chegam aos novos compositores, entre eles Vitor Ramil, Fred Martins e Dante Ozzetti, além de composições próprias.

O instrumentista explora o caráter inusitado da formação e a sintonia musical com a cantora Izabel Padovani, presença frequente em Curitiba. O contrabaixo ora é usado como guitarra, ora como percussão e, aliado à sutileza e força de interpretação da mezzo-soprano, faz deste trabalho um dos mais autênticos exemplos da música brasileira moderna.

Izabel Padovani, uma das mais criativas e competentes cantoras da atualidade, dividiu-se entre São Paulo e Viena nos últimos dez anos, sendo a conquista do Prêmio Visa de Música Brasileira um dos principais motivos do seu retorno definitivo ao Brasil. Formada em Técnica Alexander em Viena, a cantora vem ministrando workshops e oficinas para cantores e instrumentistas em diversas cidades do país, inclusive Curitiba, que já está na sétima edição do “Workshop de Técnica de Alexander para cantores”, organizado pela cantora e produtora cultural Juliana Cortes.

Serviço: Show “Baixo e Voz”, com Ronaldo Saggiorato e Izabel Padovani Data e horário: dia 23 de outubro de 2009 (sexta-feira), às 21h Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho) Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (estudantes e maiores de 60 anos) Informações de bilheteria: (41) 3213-1340

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

CONCERTO DE HOMENAGEM A ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA


Sexta-feira, dia 16, Piano Bar, 22h00

Para assinalar os 27 anos da sua morte, o Clube Literário do Porto preparou um programa que irá recordar Adriano Correia de Oliveira através das suas músicas.

Não deixe de participar neste grande encontro.

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

Eu, Você e Maria e Carlos Careqa



Eu, Você e Maria e Carlos Careqa


Dia: 20 de outubro

Horário: 20 horas

Local: Sesc da Esquina

Ingressos: R$ 12 e R$ 6

Antecipados pelos telefones: 9194-1144 / 8409-7894 / 3078 - 3571

sábado, 10 de outubro de 2009

Noite de samba no Paiol com o grupo Combinado Silva Só





O grupo apresenta-se na próxima terça-feira (13), às 20h, mostrando composições próprias que reproduzem o samba legítimo.



O grupo Combinado Silva Só é a próxima atração do programa Terça Brasileira no Paiol, que acontece no dia 13 de outubro, às 20h, no Teatro do Paiol. No show “Combinado Silva Só canta novos sambistas paranaenses”, o grupo leva um repertório próprio, influenciado pelos sambas antigos de Noel Rosa, Cartola, Nelson Cavaquinho e Paulinho da Viola.

Formado por Bruno Silva Só, Ricardo Salmazo, Léo Fé, Xandi da Cuíca, Nego Chandi, Fabio Pires e Felipe Cubas, o Combinado Silva Só quer preservar a cultura do samba. Suas canções falam de amor e revelam um ar boêmio. Também procuram manter a tradição na hora de tocar, vestindo roupa branca e fazendo uso do violão, da percussão de couro (e não sintética) e de miudezas como reco-reco de madeira, frigideira, prato, tamborim de couro, agogô, cuíca e outros.

O grupo possui mais de duzentas composições próprias, algumas gravadas no CD “Fim de Carnaval”, com produção musical de Julião Boêmio. Além de shows, o grupo também desenvolve projetos para o resgate e a renovação do samba de raiz, como o Terreirão do Combinado, Clube do Lado B, Festival de Samba de Curitiba, entre outros.

INTEGRANTES DO SHOW:

Ricardo Salmazo (voz e cavaco)

Alexandre Gallas Mariath Costa (voz e percussão geral)

Felipe Cubas (voz e percussão)

Alexandre Martins ( voz e percussão)

Elias Fernandes (voz e violão)

Clayton Silva (sopro)



REPERTÓRIO

1 - Fim de carnaval (Bruno Silva Só / Ricardo Salmazo)

2 - Época errada (Bruno Silva Só / Castor / Ricardo Salmazo)

3 - Ta combinado (Bruno Silva Só / Ricardo Salmazo)

4 – Minha sorte (Bruno Silva Só / Ricardo Salmazo)

5 - Quilombo favela (Léo Fé)

6 - Meu Paínho (Ricardo Salmazo)

7 - Ibirí de Nanã (Léo Fé)

8 - Tia Preta (Nego Chandi / Léo Fé)

9 - Flores pra Oxum (Fábio Pires / Nego Chandi / Ricardo Salmazo)

10 - Guiado pelos Orixás (Fábio Pires / Ricardo Salmazo)

11 – Musa do carnaval (Xandi da cuíca)

12 - Volta Mané (Ricardo Salmazo / Bruno Silva Só)

13 - Dona Miséria e Seu Miserê (Léo Fé)

14 - Maravilha do Mundo (Xandi da Cuíca)

Serviço: Terça Brasileira no Paiol - Combinado Silva Só Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho Data: 13 de outubro de 2009 (terça-feira), às 20h Ingressos – R$ 10 e R$ 5 Informações: (41) 3213-1340

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Raul de Souza comemora sua carreira com show no Paiol





Um dos mais importantes músicos brasileiros festeja 75 anos de vida e 55 anos de trajetória artística com apresentações em Curitiba, na quinta e na sexta-feira (8 e 9).



A versatilidade e o talento do trombonista Raul de Souza invadem o Teatro do Paiol, às 21h desta quinta e sexta-feira (8 e 9), no show que comemora os 75 anos de vida e os 55 anos de carreira desse músico que é considerado um dos nomes mais importantes do cenário artístico brasileiro. O espetáculo conta com a participação dos instrumentistas curitibanos Glauco Sölter (baixo), Endrigo Bettega (bateria), Mário Conde (guitarra) e Jeff Sabbag (teclados), que já acompanharam Raul de Souza em turnês internacionais e com ele gravaram o CD “Jazzmim”, lançado em 2006.

A escolha de Curitiba para sediar um espetáculo tão significativo para o músico explica-se pela estreita ligação que Raul de Souza estabeleceu com a cidade. Aqui ele viveu de 1958 a 1963, servindo à Força Aérea Brasileira, quando respondeu pela organização da banda da corporação, casou, teve filhos e conquistou muitos amigos. Daquela época, o jornalista curitibano Roberto Muggiati – autor de vários livros, com atuação na BBC de Londres e em várias revistas brasileiras – lembra seus contatos com o músico: “Sempre com o trombone debaixo do braço, à procura de almas irmãs na noite fria, juntando-se à turma da Gazeta do Povo, ao contista Dalton Trevisan e ao futuro cineasta Sylvio Back, para quem Raul (com o pianista Guilherme Vergueiro, só trombone e piano) faria a trilha do filme Lost Zweig, em 2002”.

Outras ocasiões mereceram a presença de Raul de Souza na vida musical curitibana, como as participações em edições da Oficina de Música de Curitiba e parcerias com músicos locais. Aliás, o repertório do show que toma conta do Teatro do Paiol reflete sua admiração pelas composições de nossos instrumentistas. No programa estão “Tema para Raul” e “7 Maluco”, de Mário Conde, e “Nos Conformes”, de Glauco Sölter, ao lado das obras “St. Remy”, de George Duke, e “Piano na Mangueira”, de Tom Jobim. O público também irá apreciar criações do próprio Raul, entre elas “Violão Quebrado”, “Yolaine” e “Sweet Lucy”.



Um pouco de história – Nascido João de Souza, no Rio de Janeiro, o músico adotou o nome de Raul por sugestão de Ary Barroso. O então menino João de Souza apresentou-se em um programa comandado pelo compositor, que ficou impressionado com o talento do garoto. O interesse pela música teve início ao ouvir os funcionários da Tecelagem Bangu – onde mais tarde conseguiria seu primeiro emprego – tocando trombone na banda da fábrica que se apresentava nas lojas da tecelagem e em jogos de futebol.

Começou tocando tamborim, depois trompete, tuba, sax tenor e flauta, antes de se encontrar no trombone. Após cinco anos de carreira militar, deixou a aeronáutica e logo passou a tocar com Sérgio Mendes, com quem excursionaria pelos Estados Unidos e Europa. De volta ao Rio de Janeiro, conseguiu emprego na Rádio Mayrink Veiga, encontrando-se com nomes como Hermeto Pascoal e Radamés Gnattali. Participou também de programas de televisão, acompanhando cantores como Roberto Carlos.

Em 1969, mudou-se para o México, ao receber convite de trabalho do baterista Airto Moreira e da cantora Flora Purim, então no auge de suas carreiras. Viveu por vinte anos em Boston, nos Estados Unidos, tendo estudado na Berklee Music College. Mais uma vez, a convite de Airto, mudou-se para Los Angeles, quando o baterista produziu o primeiro disco de Raul. O músico lembra que ficou surpreso ao ouvir os nomes que Airto havia reunido para seu álbum de estreia: o fenomenal sax alto de Cannonball Adderley e o mestre do trombone e seu ídolo, J. J. Johnson, que arranjou e regeu o naipe de metais.

Entre os prêmios recebidos por Raul, nos Estados Unidos, está o título de cidadão honorário de Atlanta (Geórgia). Em 1979, foi classificado pelo terceiro ano consecutivo entre os cinco melhores trombonistas de jazz, pelos leitores da revista Down Beat, e considerado o número um, pelos da New York City Jazz Magazine. Raul também viveu por muitos anos na França, participando de apresentações com o seu grupo francês. Em 2004 foi homenageado no Chivas Jazz Festival - Brasil. Em 2005, lançou no Brasil o CD “Elixir” e, no ano seguinte, o CD “Jazzmim”, gravado em Curitiba, com o grupo NaTocaia.

Atualmente, Raul de Souza vive na França e participa dos mais diversos projetos, inclusive um que mescla funk com batidas eletrônicas. Também se dedica a apresentações de música brasileira com uma pegada jazzística. Considerado um dos mais importantes trombonistas do mundo, Raul de Souza é ainda o inventor do “Souzabone” – um trombone em dó com quatro válvulas, um aperfeiçoamento do trombone de três válvulas que tocou na primeira década de carreira.



Serviço: Show de Raul de Souza e convidados Data e horário: dias 8 e 9 de outubro de 2009 (quinta e sexta-feira) Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho) Ingressos: R$ 20