domingo, 26 de abril de 2009

JOHN LENNON: A VIDA



JOHN LENNON: A VIDA
de Philip Norman
Tradução de Roberto Muggiati


Páginas - 856

O LIVRO
JOHN LENNON: A VIDA
de Philip Norman
Tradução de Roberto Muggiati

Entre as muitas revelações contidas nesta nova biografia de John Lennon, talvez a mais inocente seja a de que, ao contrário do que se acreditava até hoje, não foi a tia, Mimi, mas sua mãe, Julia, quem lhe deu a primeira guitarra. Bem menos inocente é a identificação correta da verdadeira musa de "Norwegian Wood", canção dos Beatles que relatava um evidente caso extraconjugal do líder da banda.
Mas nem uma coisa nem outra dá a tônica à cuidadosa pesquisa realizada por Philip Norman ao longo de três anos. Longe de contentar-se com curiosidades ou mexericos, John Lennon: a vida é o relato biográfico mais completo já escrito sobre uma das personalidades mais fascinantes da segunda metade do século XX: John Winston Lennon, nascido em 9 de outubro de 1940 e tragicamente morto a tiros em 8 de dezembro de 1980, na entrada do edifício Dakota, em Nova York.

Com acesso a documentos inéditos e testemunhos diretos de Yoko Ono, Sean Lennon e Paul McCartney, entre outros, Norman começa por descrever em detalhes infância e adolescência do ex-Beatle, e logo traz à tona episódios e personagens cruciais para o entendimento de uma figura tão unanimemente admirada quanto controvertida. O pai, Freddie Lennon, que o teria abandonado ainda pequeno, é uma delas, e seu lado da história ganha aqui, pela primeira vez, um relato pormenorizado. Não menos surpreendentes são os episódios jamais divulgados da vida do ex-Beatle, como a surra feroz e injustificada que, ainda em Hamburgo, Lennon teria dado em Stu Sutcliffe, mais tarde apontada como possível causa da morte prematura do amigo, em 1962.

Stu e Julia, Lennon admitiria mais tarde, foram as grandes perdas de uma existência marcada em igual medida pela genialidade e pela insegurança. Na outra ponta, Yoko Ono dá testemunho sincero e único dos quase quinze anos de vida a dois, e um comovente depoimento de Sean Lennon encerra o livro. Se, como mostra Philip Norman, John carregou por toda a vida a mágoa de não ter podido conviver mais tempo com a mãe, Julia, Sean não teve melhor sorte: tinha cinco anos quando o pai foi assassinado - uma das trágicas coincidências de uma biografia tão rica quanto conturbada, apresentada aqui num texto cristalino, que alia rigor de pesquisa a qualidade literária.



"A melhor biografia de Lennon." - The Observer

"O retrato definitivo de John Lennon, escrito com grande beleza e sagacidade." - The Independent

"Uma história conhecida, mas contada aqui de forma mais verdadeira do que nunca." - Rolling Stone

O AUTOR
Philip Norman
Nascido em 1943 em Londres e criado na ilha de Wight, é jornalista, romancista premiado e biógrafo. Entre outras obras, é autor de uma respeitada história dos Beatles, Shout! The Beatles in Their Generation, publicada em 1981.


Philip Norman-John Lennon: The Life-Bookbits author interview


UM LANÇAMENTO


sexta-feira, 24 de abril de 2009

Dóris Monteiro e Billy Blanco se apresentam juntos em Curitiba.



Dois artistas que se complementam sobem juntos ao palco para comemorarem o sucesso das carreiras e das parcerias.

A carioca Dóris Monteiro e o Paraense Billy Blanco, ambos grandes astros da Bossa Nova e do samba canção se apresentam cantando as principais canções que marcaram suas carreiras.

Dóris Monteiro inicia o show interpretando clássicos que ficaram imortalizados na sua voz em seus 55 anos de carreira como: Dó re mi(Fernando César), Conversa de botequim(Noel Rosa/Vadico), Mudando de conversa(Hermínio Bello de Carvalho/Mauricio Tapajós),Caminhemos(Herivelto Martins).

Dóris Monteiro começou a carreira cantando em programas infantis e no programa de calouros Papel Carbono, onde foi vencedora por semanas consecutivas na Rádio Nacional.Com seu estilo intimista foi uma das pioneiras da Bossa Nova gravando o iniciante Tom Jobim.Dóris foi ao lado de Ângela Maria, a cantora que mais obteve sucessos na década de 50, chegando a ser a Rainha do rádio, e a se apresentar em vários países.

Já gravou mais de 30 discos, e recebeu inúmeros prêmios como melhor cantora.

Billy Blanco apresenta suas composições que foram fundamentais para o movimento Da Bossa Nova, em parceria com ilustres nomes como: Teresa da praia, Piston da gafieira ambas de (Billy Blanco e Tom Jobim), Samba triste (Billy Blanco e Baden Powell), Mocinho bonito, Banca do distinto (Ambas de Billy Blanco).

Os cantores serão acompanhados por: Ricardo Junior(Teclados), Billy Blanco Jr(Violão e voz) e Marcos Trança (Percussão)

Billy Blanco é autor de mais de 500 canções, e teve sua obra gravada por alguns dos maiores nomes da MPB tais como:Dolores Duran, Dick Farney, Elizete Cardoso,Emilinha Borba, Os cariocas, Lúcio Alves, Isaura Garcia,Zé Renato, Leila Pinheiro.Já gravou dezenas de discos ao longo de seus 60 anos de música.

Lançou recentemente um cd e DVD com parte da sua obra registrada nas vozes de Pery Ribeiro, Leila Pinheiro, Dóris Monteiro, Zé Renato,Roberto Silva

Dias 01 a 03 de maio de 2009

sexta e sábado às 21h

domingo às 19h

Teatro da CAIXA

Rua Conselheiro Laurindo, 280

Ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (Clientes CAIXA, estudantes e idosos)

Informações: 2118.5111

Horário da Bilheteria: terça, quarta e quinta-feira das 12h às 19h,

sexta-feira das 12h até o horário do espetáculo,

sábados e domingos das 16h até o horário do espetáculo.



quinta-feira, 23 de abril de 2009

Show com a Sinfonética e o baterista Fernando Rivabem



Improviso musical e talento são os ingredientes do espetáculo no Conservatório de MPB de Curitiba, às 20h desta sexta-feira (24).

O espetáculo que o grupo curitibano Sinfonética Comunitária Flutuante apresenta às 20h desta sexta-feira (24) tem como convidado especial o baterista Fernando Rivabem. A apresentação acontece no Conservatório de MPB de Curitiba, espaço da Prefeitura Municipal, e reforça a proposta da Sinfonética de mostrar o talento de instrumentistas locais.

Fernando Rivabem nasceu em Curitiba, em 1979. Começou a tocar bateria aos 15 anos de idade, atuando em diversas bandas, nos mais variados estilos. Aperfeiçoou técnicas musicais no Conservatório Souza Lima (SP) e também teve aulas com Cláudio Oliveira, na cidade de Cotia (SP). Em 2004, participou do quarteto do saxofonista Roberto Pinheiro e, no ano seguinte, trabalhou com Helinho Brandão.

Desde 2006 o baterista toca no Wonka Jazz Project, apresentando-se ao lado de grandes músicos, entre eles Raul de Souza, Mauro Senise, Idriss Boudrioua, Toninho Ferragutti, Jorge Helder, Ademir Cândido, Gabriel Grossi e Jorginho Trompete. Em 2007 ingressou na Décio Caetano Blues Band, com participação em diversos festivais de blues pelo país.

Improviso – O improviso é uma das características da Sinfonética, que faz com que artistas e platéia compartilhem o inesperado. Normalmente, a formação do grupo e o repertório a ser executado são conhecidos somente quando os músicos começam a tocar. O grupo é coordenado pelo instrumentista, compositor e professor Glauco Sölter.

A Sinfonética reúne-se desde 2001. Os primeiros encontros foram em bares da cidade e, em 2004, as apresentações passaram a acontecer no Conservatório de MPB. O espetáculo é uma oportunidade para os jovens talentos estarem ao lado de profissionais experientes. O repertório conta com obras dos grandes mestres da música brasileira de todos os tempos, entre eles Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Edu Lobo, Tom Jobim, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Toninho Horta, Laércio de Freitas e Waltel Branco, além de composições de músicos locais. O objetivo principal do grupo é divulgar e experimentar a produção musical do Brasil.

Serviço:

Sinfonética Comunitária Flutuante com o baterista Fernando Rivabem

Data e horário: 24 de abril de 2009 (sexta-feira), às 20h

Local: Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico)

Ingressos: R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Vh1 estreia com exclusividade documentário inédito sobre o Pearl Jam


A Vh1, canal de música, entretenimento
e cultura pop, estreia com exclusividade no Brasil o documentário
inédito Pearl Jam Ten Revisitado. A premiére no país será dia 25
de abril, às 22h, e faz parte das celebrações dos 20 anos de
estrada da banda, que serão comemorados em 2011.

O programa de meia hora esmiúça Ten, o álbum de estreia dos
garotos de Seattle, que no início dos anos 90 dividiram os
holofotes com o Nirvana, de Kurt Cobain. Mostrando imagens raras
de arquivo e entrevistas com os membros do grupo e produtores,
o especial fala da importância de Ten para o rock’n’roll. Hits como
Even Flow e Alive embalaram uma geração e trouxeram o grunge
para o grande público.

Pearl Jam Ten Revisitado mostra também uma versão inédita de
Jeremy e traz ainda apresentações de músicas como Porch, com
imagens retiradas de um acústico gravado pela banda em 1992; e
Black, gravada durante o show histórico do Festival Drop In The
Park.

No mesmo dia, a Vh1 apresenta outros dois programas sobre a
banda – às 22h30 Storytellers: Pearl Jam, com os maiores
sucessos do grupo, traz depoimentos do vocalista Eddie Vedder
contando histórias e curiosidades; e às 23h30, Videografia Pearl
Jam com uma seleção de clipes que visita as duas décadas de
história dos músicos.

Promoção
A programação especial da Vh1 acompanha o lançamento de dois
boxes comemorativos pela Sony Music, que fazem parte das
celebrações dos 20 anos da banda. Até o dia 25, os ouvintes da
rádio Kiss FM (SP) e os espectadores do Vh1 poderão participar de
um concurso cultural que distribuirá iPods e boxes. Basta entrar
nos sites do canal (www.vh1brasil.com) ou da rádio
(www.kissfm.com.br) e responder a pergunta “De onde vem o
nome da banda Pearl Jam?”. As dez respostas mais originais
ganharão boxes com o álbum remasterizado, DVD e LP. E mais:
os dois primeiros colocados ganham ainda um iPod Pearl Jam
Edição Limitada e uma camiseta importada.

PEARL JAM TEN REVISITADO
ESTREIA: dia 25 de abril, às 22h

STORYTELLERS: PEARL JAM
Dia 25 de abril, às 22h30

VIDEOGRAFIA PEARL JAM
Dia 25 de abril, às 23h30


Vh1 é um dos principais canais de cultura pop, música para jovens
e adultos e uma das maiores produtoras de programas de música
do planeta. O canal oferece uma programação variada e de alta
qualidade, com séries, documentários, eventos e reality shows
voltados à cultura pop, à música e ao entretenimento. Vh1 Brasil é
transmitida pelos principais operadores do País.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Vivaldi e Piazzolla na Orquestra de Câmara de Curitiba


Rodrigo Toffolo é o maestro convidado para o concerto de abertura da temporada 2009 de apresentações do grupo curitibano.

O contraponto entre “As Quatro Estações”, de Antonio Vivaldi (1678 – 1741), e “As Quatro Estações Portenhas”, de Astor Piazzolla (1921 – 1992), marca a abertura da temporada 2009 de concertos da Orquestra de Câmara de Curitiba. O grupo mantido pela Prefeitura Municipal apresenta-se sob a regência do maestro convidado Rodrigo Toffolo, às 20h de sexta-feira (17), na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, e às 18h30 de sábado (18), na Capela Santa Maria.

Com o título de “As Oito Estações”, o repertório contrapõe as célebres peças barrocas de Vivaldi, publicadas em 1725, às composições de Piazzolla, escritas na segunda metade da década de 1960, tendo como solistas convidados os instrumentistas Ricardo Amado (violino) e Hugo Pilger (violoncelo). Segundo o maestro Rodrigo Toffolo, o programa “cria uma dialética entre os hemisférios, revelando que a beleza da música reside em sua capacidade de ser eternamente o retrato da alma”.

A mais popular criação de Vivaldi já trazia os títulos “A Primavera”, “O Verão”, “O Outono” e “O Inverno”, além de um texto relativo a cada uma das estações do ano. As obras confirmam a genialidade do compositor que conhecia os principais segredos do violino. Em “As Quatro Estações Portenhas” estão presentes as qualidades que fizeram de Astor Piazzolla uma das maiores expressões artísticas da Argentina. Escritas para orquestra de cordas, com adaptação de Hugo Pilger para dois instrumentos solistas (violino e violoncelo) sobre arranjo original de José Bragato, as peças mostram a razão de o compositor ser considerado um músico extraordinário.

O maestro – Mineiro de Ouro Preto, o maestro Rodrigo Toffolo nasceu em 1977 e iniciou os estudos de música em 1989, aprendendo violino com o professor Moisés Guimarães. Aluno de regência orquestral do maestro e compositor Ernani Aguiar, é mestre em Musicologia pelo Departamento de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Toffolo atuou por longo tempo como violinista do Quarteto Ouro Preto e é músico fundador da Orquestra Ouro Preto, coordenador artístico e atual regente titular. Como regente, dedica-se à música histórica de Minas Gerais, tendo em seu repertório, dentre outras, obras de João de Deus de Castro Lobo e José Emerico Lobo de Mesquita. Também é integrante do grupo Bateia, formação camerística que tem como propósito a pesquisa e a interpretação da música brasileira.

Os solistas – Natural de Uberlândia (MG), o violinista Ricardo Amado graduou-se em Licenciatura em Música pela Universidade de Brasília, tendo aperfeiçoado técnicas musicais com Nicolas Merat e Paulo Bosísio. Vencedor do Concurso Nacional de Piracicaba (SP), em 1989, no mesmo ano obteve o prêmio de melhor intérprete de música brasileira no Concurso Nacional para Instrumentos de Corda de Juiz de Fora (MG). Apresentando-se como solista de várias orquestras, além de desenvolver trabalho de música de câmara integrando o trio Aquarius – com o qual fez concertos nos Estados Unidos e Europa –, atualmente é “spalla” da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Nascido em Porto Alegre (RS), em 1969, Hugo Pilger iniciou seus estudos de violoncelo com o professor Milton Bock, na Fundação Nacional de Artes de Montenegro (RS). Formou-se com nota máxima em Bacharelado em Violoncelo na UNI-RIO, na classe do professor Alceu Reis. Aprimorou conhecimentos com importantes violoncelistas, entre eles Marcio Carneiro, Antonio Del Claro, Arturo Bonucci, Antonio Meneses e Bernard Greenhouse. Com várias apresentações como solista de importantes orquestras, em concertos na Europa e América do Sul, é primeiro violoncelo da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES) e violoncelo solista da Orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.



Serviço:

Apresentações da Orquestra de Câmara de Curitiba, sob a regência do maestro convidado Rodrigo Toffolo, na abertura da temporada 2009 de concertos, patrocinada pela Volvo. O evento tem como solistas convidados Ricardo Amado (violino) e Hugo Pilger (violoncelo).

Datas, locais e horários:

- 17 de abril de 2009 (sexta-feira), às 20h, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo (Avenida Marechal Floriano Peixoto, 8.520 – Carmo). Entrada franca

- 18 de abril de 2009 (sábado), às 18h30, na Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro). Ingressos: R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível)

terça-feira, 14 de abril de 2009